boo-box

quarta-feira, 31 de março de 2010

Os 80 anos da Copa do Mundo (9)

Os mais novos podem não lembrar, mas a tensão corria solta no Brasil na Copa do Mundo de 94. Fazia 24 anos que o país não ganhava um Mundial, sempre ficando pelo caminho. E com isso a Copa dos Estados Unidos ganhou um peso ainda maior que naturalmente a competição já tem.

E pelo visto a tensão contaminou todos os profissionais envolvidos, até mesmo os jornalista. Como neste vídeo que vazou da gravação de um boletim que Galvão Bueno e Pelé faziam para alguns telejornais da Globo.


Ainda bem que o Galvão não tinha uma marreta perto da mão dele, hein?





As dançarinas da NBA 2009/10 (23):
Janeen, do Philadelphia 76ers




Jannen, fã dos atores Adam Sandler e Kate Hudson, adora massa e mouse de chocolate e adora passar suas férias na Flórida, é integrante das Sixers Dancers, a equipe de dançarinas do Philadelphia 76ers.
Esta seção, que reúne as mais belas cheerleaders da NBA, é publicada às quartas-feiras

terça-feira, 30 de março de 2010

Os 80 anos da Copa do Mundo (8)

O raríssimo vídeo abaixo (pelo menos eu não me lembro de tê-lo assistido na época), exibido pelo Fantástico, da TV Globo, mostra o então técnico Cláudio Coutinho conclamando pelo apoio do povo para a seleção brasileira, que dias depois começaria sua participação na Copa do Mundo da Argentina em 1978. O mesmo Coutinho que ao final do Mundial, para justificar o terceiro lugar do Brasil no torneio, disse que sua equipe deixou a Argentina como a campeã moral da Copa.

Sinceramente, não consigo imaginar o afável Dunga fazendo a mesma coisa que Coutinho antes da Copa da África do Sul...

PS: só fico aqui imaginando quem foi que escreveu o texto lido pelo Coutinho na época.



segunda-feira, 29 de março de 2010

Os 80 anos da Copa do Mundo (7)

Até a Copa de 82, na Espanha, jamais uma partida de Mundial havia sido decidida na disputa de pênaltis. Era comum, nos primórdios da Copa, ser realizado um jogo-extra. Até que a sensacional semifinal entre Alemanha Oidental e França trouxe, pela primeira vez, a emoção dos pênaltis.



Abaixo, todas as disputas de pênalti na história das Copas do Mundo:


8/7/1982 - Alemanha Ocidental 3 x 3 França (semifinal) - Alemanha 5 x 4 nos pênaltis
21/6/1986 - França 1 x 1 Brasil (quartas) - França 4 x 3 nos pênaltis
21/6/1986 - Alemanha Ocidental 0 x 0 México (quartas) - Alemanha 4 x 1 nos pênaltis

22/6/1986 - Bélgica 1 x 1 Espanha (quartas) - Bélgica 5 x 4 nos pênaltis
25/6/1990 - Irlanda 0 x 0 Romênia (oitavas) - Irlanda 5 x 4 nos pênaltis
30/6/1990 - Argentina 0 x 0 Iugoslávia (quartas) - Argentina 3 x 2 nos pênaltis
3/7/1990 - Argentina 1 x 1 Itália (semifinal) - Argentina 4 x 3 nos pênaltis

4/7/1990 - Alemanha 1 x 1 Inglaterra (semifinal) - Alemanha 4 x 3 nos pênaltis
5/7/1994 - Bulgária 1 x 1 México (oitavas) - Bulgária 3 x 1 nos pênaltis
10/7/1994 - Suécia 2 x 2 Romênia (quartas) - Suécia 5 x 4 nos pênaltis
17/7/1994 - Brasil 0 x 0 Itália (final) - Brasil 3 x 2 nos pênaltis
30/6/1998 - Argentina 2 x 2 Inglaterra (oitavas) - Argentina 4 x 3 nos pênaltis
3/7/1998 - França 0 x 0 Itália (quartas) - França 4 x 3 nos pênaltis
7/7/1998 - Brasil 1 x 1 Holanda (semifinal) - Brasil 4 x 2 nos pênaltis
16/6/2002 - Espanha 1 x 1 Irlanda (oitavas) - Espanha 3 x 2 nos pênaltis

22/6/2002 - Coreia do Sul 0 x 0 Espanha (quartas) - Coreia 5 x 3 nos pênaltis
26/6/2006 - Suíça 0 x 0 Ucrânia (oitavas) - Ucrânia 3 x 0 nos pênaltis
30/6/2006 - Alemanha 1 x 1 Argentina (quartas) - Alemanha 4 x 2 nos pênaltis
1º/7/2006 - Inglaterra 0 x 0 Portugal (quartas) - Portugal 3 x 1 nos pênaltis
9/7/2006 - Itália 1 x 1 França (final) - Itália 5 x 3 nos pênaltis

domingo, 28 de março de 2010

Mundial de Curling - Final


E terminou neste domingo, na pacata Swift Current, no Canadá, a edição do Campeonato Mundial feminino de Curling, o esporte que virou conqueluche no Brasil após as Olimpíadas de Inverno, em Vancouver. E as garotas da Alemanha faturaram o título, após derrotarem na decisão as meninas da Escócia por 8 a 6.

O blog cumprimenta o time alemão pela conquista, mas não esconde a decepção pela derrota de sua musa na competição, a bela escocesa Eve Muirhead (foto abaixo), a melhor coisa produzida naquele país desde o uísque (embora o blogueiro aqui não goste de uísque)....




















Mundial de Curling

Swift Current (Canadá)
Últimos resultados

Desempate
26/3
Suécia 11 x 8 EUA

Playoff 1º x 2º
Canadá 3 x 6 Alemanha

27/3
Playoff 3º x 4º
Escócia 8 x 3 Suécia

Semifinal
Canadá 4 x Escócia 10

28/3
Decisão do bronze
Canadá 9 x 6 Suécia

Decisão do ouro
Alemanha 8 x 6 Escócia

Os 80 anos da Copa do Mundo (6)

A última vez em que houve uma verdadeira unanimidade em torno da selação brasileira. A última vez em que ver um jogo do Brasil valia a pena. Quem acompanhou a seleção de 82 não se esquece jamais. Abaixo, os 11 gols mais bonitos do maravilhoso time montado por Telê Santana e que tinha craques como Zico, Sócrates, Falcão, Cerezo, Leandro, Júnior... É verdade que eles não ganharam a Copa,mas e daí?

A estranha mania do São Paulo de
ser derrotado no último minuto

A derrota do São Paulo para o Corinthians, no emocinante 4 a 3 deste domingo, na Pacaembu, traz algumas constatações para o torcedor tricolor que vão além dos sete gols exibidos no placar:

a) Enquanto o time continuar com esta postura digna de um jogador de bridge, sem vibrar, sem lutar, o São Paulo terá como único objetivo ao longo da temporada apenas disputar os campeonatos nos quais está inscrito. Sim, porque ganhar títulos não é algo que parece estar reservado aos apáticos e inertes jogadores do Tricolor;


b) O último clássico que o São Paulo venceu foi quando o Santos ainda era um time meia-boca, no já distante 25 de outubro de 2009, válido pelo Campeonato Brasileiro. A continuar nesta toada, vai seguir sem derrotar seus rivais por um bom tempo;


c) De que adianta contratar 11 jogadores (alguns de qualidade duvidosa), se o time insiste em manter a mesma forma de jogar de quatro, cinco anos atrás?

d) Rogério Ceni tem que pensar seriamente em antecipar sua aposentadoria...

e) E o São Paulo,a a cada jogo importante em que deixa o campo derrotado pelo oponente, mostra ter um prazer quase masoquista de levar o gol decisivo no último minuto. Ah, acha que é exagero do blogueiro? Então veja os vídeos abaixo e chegue à sua própria conclusão...









Os cartazes das Copas do Mundo:
México-1970 e Alemanha-1974



México - 1970



Alemanha - 1974

A seção "Os cartazes das Copas do Mundo" será publicada aos domingos, até o dia 2/05

sábado, 27 de março de 2010

Os 80 anos da Copa do Mundo (5)

Depois de Uruguai 2 x 1 Brasil, destaque do post anterior, eis aqui a maior zebra da história das Copas, Alemanha 3 x 2 Hungria, decisão do Mundial da Suíça, em 1954.

Diria que foi um resultado até mais surpreendente, diante da diferença de nível técnico entre a fabulosa Hungria e a apenas esforçada Alemanha Ocidental. E o mais legal deste vídeo são algumas imagens coloridas da decisão, uma raridade para a época.




O baú das Copas (4)



Copa do Mundo do Brasil - 1950

Período de disputa: 24/6 a 16/7/50
Cidades-sede: Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo
Estádios utilizados: Independência (Belo Horizonte), Durival de Brito (Curitiba), Eucaliptos (Porto Alegre), Ilha do Retiro (Recife), Maracanã (Rio de Janeiro) e Pacaembu (São Paulo)
Eliminatórias: 34 seleções inscritas, 25 seleções participantes
Países classificados: 14 (classificados, Escócia, Turquia e Índia decidiram não disputar a Copa)
Total de jogos: 22
Total de gols marcados: 88
Média de gols: 4 gols/jogo

1º gol da Copa: Ademir de Menezes (Brasil), aos 30min do jogo Brasil 4 x 0 México
Último gol da Copa: Alcides Ghiggia (Uruguai), aos 79min do jogo Brasil 1 x 2 Uruguai
Artilheiro: Ademir de Menezes (Brasil) - 9 gols
Melhor ataque: Brasil - 22 gols
Pior ataque: Bolívia - 0 gol

Melhor defesa: Inglaterra - 2 gols
Pior defesa: Suécia - 15 gols
Total de público: 1.337.000 pessoas
Média: 60.772 pessoas/jogo
Jogador mais jovem da Copa: Carlos Ibanez (Chile) - 18 anos e 224 dias
Jogador mais velho da Copa: Stan Mattews (Inglaterra) - 35 anos e 151 dias


CLASSIFICAÇÃO FINAL:

  1. Uruguai
  2. BRASIL
  3. Suécia
  4. Espanha
  5. Iugoslávia
  6. Suíça
  7. Itália
  8. Inglaterra
  9. Chile
  10. EUA
  11. Paraguai
  12. México
  13. Bolívia

Foto: Gighia comemora o segundo gol do Uruguai diante do Brasil, no jogo decisivo da Copa do Mundo de 1950
Crédito: Reprodução

sexta-feira, 26 de março de 2010

Mundial de Curling - Dia 6

Resultados do Mundial feminino de Curling
Swift Current (Canadá)


25/3
EUA 5 x 9 Suécia
Letônia 6 x 9 Suíça
Rússia 4 x 7 Canadá
Japão 6 x 5 Noruega
Alemanha 4 x 2 Letônia
China 5 x 9 EUA
Dinamarca 8 x 7 Japão
Escócia 5 x 9 Rússia
Noruega 7 x 9 Dinamarca
Canadá 8 x 5 Escócia
Suíça 2 x 8 Alemanha
Suécia 4 x 9 China

Classificação final - 1ª fase (Vitórias - Derrotas)

1º Canadá - 10-1
2º Alemanha e Escócia - 8-3
4º Suécia e EUA - 7-4
6º Dinamarca e China - 6-5
8º Rússia - 5-6
9º Noruega e Suíça - 3-8
11º Japão - 2-9
12º Letônia - 1-10



Os 80 anos da Copa do Mundo (4)

Brasil 1 x 0 Inglaterra, na Copa do Mundo do México, em 1970, foi um dos maiores jogos da história dos Mundiais. Doses atômicas de emoções. Qualquer uma das duas seleções poderia ter vencido. Só que a genialidade de Tostão e Pelé, além do faro de gol de Jairzinho, foram fundamentais naquela vitória,

E aquele foi também o jogo de uma das defesas mais espetaculares de todos os tempos. Jairzinho cruza milimetricamente, a bola sobe e desce rápido, Pelé salta mais do que o zagueiro e testa com força para o chão. Gol? Não, porque debaixo das traves estava Gordon Banks. Impressionante. Incrível. Inigualável.



GP da Austrália de Fórmula 1: conheça
o circuito de rua de Melbourne


Circuito de Melbourne
Traçado:
5.303
m
Número de voltas: 58 (307,574 Km)
Número de curvas: 16 (6 para a esquerda, 10 para a direita)
Velocidade máxima alcançada: 325 Km/h
Recorde de volta mais rápida: Michael Schumacher (Ferrari) - 1min24s215 (2004)
Recorde de pole position: Michael Schumacher (Ferrari) - 1min24s408 (2004)
Pole em 2009: Jenson Button (Brawn GP) - 1min26s202
Pódio em 2009: 1º) Jenson Button (Brawn GP/ING); 2º) Rubens Barrichello (Brawn GP/BRA); 3º) Jarno Trulli(Toyota/ITA)

O confuso retorno de Ricardinho

Coluna Diário Esportivo, publicada na edição de 25 de março do Diário de S. Paulo

Do ponto de vista estritamente técnico, não poderia ser melhor para o vôlei brasileiro a notícia da pré-convocação do levantador Ricardinho para o grupo da seleção brasileira que disputará a Liga Mundial, a partir do próximo mês de junho. É claro que sua presença na equipe só será assegurada definitivamente após uma conversa direta com o técnico Bernardinho. Se forem aparadas todas as arestas de sua polêmica saída da equipe nacional, ocorrida pouco antes da disputa dos Jogos Pan-Americanos de 2007, no Rio, Ricardinho estará mesmo de volta à seleção. O que ninguém pode garantir é se internamente, seu retorno está sendo bem recebido pelo grupo.

A tomar como base as declarações de alguns dos líderes da equipe, desde a pré-convocação de Ricardinho, no dia da apresentação certamente haverá um clima de tensão no ar. “Precisamos ver a vontade dele de se ajustar ao grupo”, disse o capitão Giba, em uma nota oficial. “A imagem deixada em 2007 foi que um grupo unido não tolera estrelismos e vaidades”, escreveu o meio Gustavo (que já abandonou a seleção) no Twitter. “Nesse tempo todo (do afastamento) ele não quis nenhuma aproximação e também não sei se vou aceitar essa aproximação tão facilmente”, disparou o meio Rodrigão.

É bom Ricardinho estar preparado. Se por um lado ninguém discute sua condição técnica é considerado um dos maiores levantadores da história do vôlei , por outro todos conhecem seu gênio difícil. Pelo jeito, esta novela ainda vai longe.

Foto: Divulgação/CBV

A coluna Diário Esportivo, assinada por este blogueiro, é publicada às sextas-feiras no Diário de S. Paulo

quinta-feira, 25 de março de 2010

Mundial de Curling - Dia 5

Resultados do Mundial feminino de Curling
Swift Current (Canadá)

24/3
Japão 2 x 10 Canadá
Rússia 3 x 4 Noruega
Letônia 4 x 7 Suécia
EUA 9 x 7 Suíça
Suíça 7 x 9 Escócia
Suécia 10 x 9 Dinamarca
Noruega 7 x 8 China
Canadá 7 x 8 Alemanha
China 9 x 7 Rússia
Alemanha 7 x 5 Japão
Escócia 7 x 4 EUA
Dinamarca 13 x 1 Letônia

Ronaldo conhece o "lado B" da torcida corintiana e perde a compostura

“Jamais faria tal gesto para a torcida do Corinthians que me adotou e me apoia desde a minha chegada. Foi dirigido a uma pessoa que me ofendeu moralmente e com questões pessoais no estacionamento do estádio. Quero aproveitar também para pedir desculpas caso algum corintiano tenha se sentido ofendido e reiterar meu carinho e admiração pela torcida que me tratou tão bem desde a chegada aqui.”

Ronaldo conheceu na madrugada desta quinta-feira, após a derrota do Corinthians para o Paulista, na Arena Barueri, o lado pouco agradável da torcida do Timão. Ou melhor dizendo, de integrantes da torcida organizada do clube, que de forma inexplicável conseguiram acesso à área do estacionamento do estádio. Lá, foi cobrado, xingado e ofendido por sua atuação ridícula diante do Paulista.

Nada justifica a presença de torcedores organizados em um local que deveria ser exclusivo acesso dos atletas. Da mesma forma, nada justifica o gesto obsceno do jogador, captado pelo fotógrafo Paulo Pinto, da Agência Estado. Ronaldo sabe que por tudo o que representa dentro e fora de campo, suas atitudes precisam ser muito bem analisadas.

A nota de desculpas atenua a pisada na bola, mas que Ronaldo fique esperto: a Fiel não costuma ser muito boazinha com gestos de traição de suas ídolos.

Foto: Paulo Pinto/AE

Os 80 anos da Copa do Mundo (3)

Os maiores artilheiros em todas as Copas

  1. Ronaldo (Brasil) - 15 gols
  2. Gerd Muller (Alemanha) - 14 gols
  3. Just Fontaine (França) - 13 gols
  4. Pelé (Brasil) - 12 gols
  5. Jürgen Klinsmann (Alemanha) e Sandor Kocsis (Hungria) - 11 gols
  6. Helmut Rahn (Alemanha), Gabriel Batistuta (Argentina), Gary Lineker (Inglaterra), Teofiulo Cubillas (Peru) e Grzegorz Lato (Polônia - 10 gols

Abaixo, o gol marcado por Ronaldo, contra Gana, pela Copa de 2006, quando tornou-se o artilheiro absoluto na história dos Mundiais:



quarta-feira, 24 de março de 2010

Mundial de Curling - Dia 4


Resultados do Mundial feminino de Curling
Swift Currente (Canadá)


23/3
Suécia 2 x 9 Alemanha
Suíça 5 x 6 China
Canadá 9 x 6 Dinamarca
Noruega 3 x 7 Escócia
Dinamarca 5 x 6 EUA
Escócia 10 x 1 Letônia
Alemanha 4 x 7 Rússia
China 11 x 6 Japão
Letônia 2 x 11 Noruega
EUA 4 x 6 Canadá
Japão 4 x 7 Suíça
Rússia 3 x 10 Suécia

Os 80 anos da Copa do Mundo (2)

Ah, estas listas...Adoro listas, especialmente as mais polêmicas. Esta publicada pelo jornal inglês The Times é mais uma delas. Na última segunda-feira, o diário publicou uma relação que ele considera a dos dez maiores jogadores da história das Copas do Mundo. E ao contrário do que a maioria possa imaginar, o escolhido não foi Pelé mas sim o argentino Diego Maradona.

Não deixa de ser meio urreal que os ingleses escolham o carrasco de sua derrota mais emblemática como o maior jogador de todos os Mundiais. Talvez só um psicanalista explique isso. E sem entrar no mérito da genialidade de Maradona, é inconcebível que Pelé, pelo conjunto de sua obra, mas especialmente pelo que fez no México, em 1970, não lidere qualquer lista do gênero.

Abaixo, os dez maiores da história das Copas, segundo o The Times:

  1. Diego Maradona (Argentina)
  2. Pelé (Brasil)
  3. Franz Beckenbauer (Alemanha)
  4. Giuseppe Meazza (Itália)
  5. Gerd Müller (Alemanha)
  6. Garrincha (Brasil)
  7. Johan Cruyff (Holanda)
  8. Ronaldo (Brasil)
  9. Bobby Moore (Inglaterra)
  10. Ferenc Puskas (Hungria)

As dançarinas da NBA 2009/10 (22):
Heather, do Orlando Magic



Heather, de 24 anos, nascida em Longwood (Flórida), é formada em comunicações pela Univesity of South Florida, não se desgruda de seu iPod um minuto e que também é uma dunking dancer (dançarina que faz enterradas), integra há três temporadas o elenco das Magic Dancers, as dançarinas do Orlando Magic.


Esta seção, que reúne as mais belas cheerleaders da NBA, é publicada às quartas-feiras

terça-feira, 23 de março de 2010

Mundial de Curling - Dia 3

Resultados do Mundial feminino de Curling - Swift Current (Canadá)

22/3
Escócia 11 x 2 Japão
Dinamarca 4 x 10 Rússia
China 8 x 2 Letônia
Alemanha 8 x 12 EUA
Rússia 6 x 7 Suíça
Japão 5 x 8 Suécia
EUA 8 x 7 Noruega
Letônia 6 x 12 Canadá
Canadá 10 x 9 China
Noruega 4 x 10 Alemanha
Suécia 3 x 7 Escócia
Suíça 3 x 8 Dinamarca




Os 80 anos da Copa do Mundo (1)

Nesta terça-feira, dia 23 de março, faltam 80 dias para o início da Copa do Mundo da África do Sul. E tem passado meio batido até agora que neste ano completam-se exatamente 80 anos da disputa da primeira edição do torneio mais emocionante já criado para uma modalidade esportiva.

A partir desta terça e até o dia de abertura do Mundial da África do Sul, o blog passará a trazer imagens, vídeos, fotos, listas, rankings, ou seja, sempre um post relativo à história das Copas. Sugestões, como sempre, serão bem-vindas.

No início desta série, alguns dos gols mais bonitos registrados pela TV ou em filmes, que foram marcados pela seleção brasileira na história das Copas. Será que o time de Dunga conseguirá emplacar algum golzinho nesta relação?



segunda-feira, 22 de março de 2010

Mundial de Curling - dias 1 e 2

Resultados do Mundial feminino de Curling - Swift Current (Canadá)

20/3

China 6 x 8 Alemanha
Rússia 6 x 8 EUA
Japão 7 x 4 Letônia
Escócia 9 x 4 Dinamarca
Letônia 2 x 4 Rússia

Canadá 9 x 6 Suécia
Noruega 7 x 6 Suíça

Japão 3 x 10 EUA

21/3
Dinamarca 8 x 3 China
Escócia 6 x 9 Alemanha
Suécia 9 x 5 Noruega
EUA 6 x 7 Letônia

Rússia 7 x 6 Japão
Canadá 6 x 4 Suíça

Alemanha 3 x 10 Dinamarca
Noruega 3 x 8 Canadá

Suíça 6 x 7 Suécia
China 4 x 14 Escócia


Massacre do Santos sobre o Ituano ficou longe de ser a maior goleada do Paulistão

O impressionante show dos novos Meninos da Vila na noite do último domingo certamente entrou para a história do Campeonato Paulista. Afinal, não é todo dia que um time consegue ganhar uma partida por 9 a 1, como o Santos fez com o pobre Ituano. Mas embora impressionante, a goleada do Peixe não está nem entre as dez maiores vitórias por larga diferença do Paulistão.

Segundo pesquisa do site Campeões do Futebol, a maior goleada do Campeonato Paulista ocorreu no dia 16/05/1920, quando o Paulistano aplicou 12 x 0 sobre a AA das Palmeiras. Em uma lista com os 25 maiores placares da história do torneio, não aparece nenhum com nove gols marcados (e oito de diferença), como foi o 9 a 1 da garotada do Peixe.

Abaixo, as 25 maiores goleadas do Paulistão:

  1. 16/05/1920 - Paulistano 12 x 0 AA das Palmeiras
  2. 28/08/1921 - Paulistano 12 x 1 Ypiranga
  3. 03/05/1927 - Santos 12 x 1 Ypiranga
  4. 08/07/1945 - São Paulo 12 x 1 Jabaquara
  5. 27/08/1933 - São Paulo da Floresta 12 x 1 Sírio
  6. 19/11/1959 - Santos 12 x 1 Portuguesa Santista
  7. 23/10/1921 - Corinthians 12 x 2 SC Internacional
  8. 11/07/1920 - Corinthians 11 x 0 Santos
  9. 08/08/1920 - Palestra Itália 11 x 0 SC Internacional
  10. 03/07/1932 - São Paulo da Floresta 11 x 0 SC Internacional
  11. 07/07/1935 - Portuguesa de Desportos 11 x 0 Ordem e Progresso
  12. 21/11/1964 - Santos 11 x 0 Botafogo
  13. 05/06/1927 -Santos 11 x 2 Barra Funda
  14. 17/07/1927 - Palestra Itália 11 x 2 Corinthians (SBC)
  15. 03/07/1927 - Santos 11 x 3 SC Americano
  16. 16/09/1928 - Santos 10 x 0 Portuguesa
  17. 16/12/1928 - Germânia 10 x 0 União Lapa
  18. 11/11/1950 - São Paulo 10 x 0 Guarani
  19. 11/09/1958 - Santos 10 x 0 Nacional
  20. 13/06/1976 - Botafogo 10 x 0 Portuguesa Santista
  21. 21/08/1927 - Santos 10 x 1 Guarani
  22. 08/06/1930 - Guarani 10 x 1 Ypiranga
  23. 11/09/1949 - XV Piracicaba 10 x 1 Nacional
  24. 21/05/1933 - Corinthians 10 x 1 Sírio
  25. 06/09/1961 - Santos 10 x 1 Juventus

Foto: Jogadores do Santos comemoram no Pacaembu. Esta cena foi vista nove vezes neste último domingo
Crédito: Divulgação/site oficial do Santos FC

domingo, 21 de março de 2010

Antes da Copa do Mundo, que tal
curtir o Mundial feminino de Curling?


A Copa do Mundo da África do Sul só começa dia 11 de junho. Sim, todo mundo que curte futebol já está careca de saber disso. Mas para "aquecer" as turbinas, que tal curtir as emoções do curling?

Pois é, amigo, se você gostou de ver aquelas belas moças varrendo o gelo e empurrando uma espécie de chaleira de porcelana gigante pista abaixo, durante as Olimpíadas de Inverno de Vancouver, agora chegou o momento de acompanhar o Mundial feminino de Curling, que está sendo disputado na simpática cidade de Swift Current, localizada na província canadense de Saskatchewan e que conta com cerca de 15 mil habitantes.

O canal Sportv comprou os direitos de transmissão da competição. Só resta saber quando que eles começarão a transmitir as partidas. O Mundial começou neste sábado e a final está marcada para o próximo domingo, dia 28/3. Participam as seguintes seleções: Alemanha, Canadá, China (atual campeã), Dinamarca, Escócia, EUA, Japão, Letônia, Noruega, Rússia, Suécia e Suíça.

Abaixo, as imagens da cerimônia de abertura do Mundial feminino de Curling:



Os cartazes das Copas do Mundo:
Chile-1962 e Inglaterra-1966


Chile - 1962



Inglaterra - 1966
A seção "Os cartazes das Copas do Mundo" será publicada aos domingos, até o dia 2/05

sábado, 20 de março de 2010

Cielo rejeita o Corinthians
de olho em Londres-2012

Um dos trunfos que o departamento de marketing do Corinthians sonhava para impulsionar as comemorações do centenário do clube acabou literalmente, fazendo água. Neste sábado, o nadador Cesar Cielo, campeão e recordista mundial dos 50 e 100m livre, além de campeão olímpico dos 50m, anunciou oficialmente neste sábado que as negociações para assinar contrato com o Timão foram encerradas.

E os motivos apontados por Cielo foram bem simples: a opção pelo Corinthians poderia afetar a sua preparação para os Jogos Olímpicos de Londres-12.

Eis um trecho comunicado divulgado pela assessoria de Cielo: "Apesar das partes comerciais e estruturais estarem acertadas para a recepção do atleta no Corinthians, Cielo, que vive um ciclo olímpico, preferiu não concluir as negociações para a mudança de sua rotina pessoal e profissional, o que, segundo ele, interferiria em sua carreira no momento. Este motivo fez com que as partes encerrassem as conversas."

Duas coisas precisam ser lembradas sobre o caso: Cielo está abrindo mão de um salário que jamais imaginou ganhar, cerca de R$ 50 mil mensais mais participações em ações publicitárias desenvolvidas pelo marketing corintiano. Não é pouco coisa.

Mas a pobre estrutura existente no clube (em comparação, por exemplo com o Pinheiros) para um atleta do porte de Cesar Cielo, que costuma passar parte do ano treinando no Brasil, pode ter pesado bastante na decisão do nadador.

sexta-feira, 19 de março de 2010

Fabiana dá um salto de qualidade

Coluna Diário Esportivo, publicada na edição de 19 de março do Diário de S. Paulo

Pense um pouco e reflita com honestidade: você imaginou que seria possível um dia o Brasil formar um campeão mundial no salto com vara? O que dirá então do salto com vara feminino, modalidade que mal completou duas décadas de existência em competições oficiais e que tem uma hegemonia quase imbatível da russa Elena Isinbayeva, um verdadeiro mito do esporte. Por tudo isso, tem que se tirar o chapéu para o feito da paulista Fabiana Murer, que no último domingo garantiu a inédita medalha de ouro no Mundial Indoor (pista coberta) de Doha, no Qatar. E se pensarmos que há exatos dez anos Fabiana saltou 3m79 em uma prova indoor nos Estados Unidos, é impressionante ela ter conquistado o título mundial com 4m80, marca inclusive inferior ao seu próprio recorde sul-americano, que é de 4m82.

O evidente salto de qualidade na carreira de Fabiana Murer só não é maior do que sua postura realista. “Quando a Isinbayeva está bem, a gente entra para disputar a prata”, reconheceu a nova campeã mundial ao repórter Alessandro Lucchetti, do DIÁRIO, no dia em que voltou ao Brasil. Fabiana tem a verdadeira noção de suas qualidades e defeitos. Sabe que tem que treinar muito mais do que suas concorrentes, até para superar a diferença física existente entre elas. Para completar, a má fase da estrela russa um dia irá acabar. Além de passar em branco em Doha, Isinbayeva já havia fracassado no Mundial de Berlim no ano passado. Alheia à tudo isso, Fabiana Murer segue em frente. E cada vez mais alto.

A coluna Diário Esportivo, assinada por este blogueiro, é publicada às sextas-feiras no Diário de S. Paulo

quinta-feira, 18 de março de 2010

As 50 vitórias do São Paulo, jogando
no Morumbi, pela Taça Libertadores

Como observou o companheiro David Abramvezt, na edição desta quinta-feira do Diário de S. Paulo, o São Paulo tentaria diante do Nacional, do Paraguai, sua 50ª vitória no Morumbi, em jogos válidos pela Taça Libertadores da América. E sem a menor dificuldade, o feito foi alcançado, com o Tricolor derrotando o fraquíssimo time paraguaio por 3 a 0. Ainda longe do ideal, mas foi a melhor atuação do São Paulo na competição.

Abaixo, todas as vitórias do São Paulo atuando no Morumbi, pela Taça Libertadores:

1972
1/mar - 1ª fase - 3 x 1 Olímpia (PAR) (Toninho, Pedro Rocha e Toninho II)
5/mar - 1ª fase - 4 x 0 Cerro Porteño (PAR) (Toninho II, Pedro Rocha, Zé Carlos e Toninho)
27/abr - Semifinal - 1 x 0 Independiente (ARG) (Toninho)

1974
30/mar - 1ª fase - 2 x 0 Palmeiras Terto (2)

1982
21/set - 1ª fase - 2 x 1 Defensor (URU) (Sávio e Everton)

1987
10/abr - 1ª fase - 2 x 1 Cobreloa (CHI) (Muller e Lê)

1992
1/abr - 1ª fase - 4 x 0 Criciúma (Raí, Palhinha, Elivelton e Muller)
14/abr - 1ª fase - 2 x 0 Bolivar (BOL) (Antonio Carlos e Macedo)
6/mai - Oitavas - 2 x 0 Nacional (URU) (Ronaldão e Antonio Carlos)
13/mai - Quartas - 1 x 0 Criciúma (Macedo)
27/mai - Semifinal - 3 x 0 Barcelona (EQU) (Muller, Palhinha e Rinaldo)
17/jun - Final - 1 (3) x (2) 0 Newell's Old Boys (ARG) (Raí)

1993
14/abr - Oitavas - 4 x 0 Newell's Old Boys (ARG) (Raí (2), Dinho e Cafu)
28/abr - Quartas - 2 x 0 Flamengo (Muller e Cafu)
5/mai - Semifinal - 1 x 0 Cerro Porteño (PAR) (Raí)
19/mai - Final - 5 x 1 Universidad Católica (CHI) (Lopez (c), Vitor, Gilmar, Raí e Muller)

1994
24/jul - Oitavas - 2 x 1 Palmeiras (Euller (2))
3/ago - Quartas - 4 x 3 Union Española (CHI) (Palhinha, Vélber, André Luiz e Euller)
10/ago - Semifinal - 2 x 1 Olímpia (PAR) (Palhinha e Muller)
31/ago - Final - 1 (3) x (5) 0 Velez Sarsfield (ARG) (Muller)

2004
26/fev - 2ª Fase - 3 x 1 Cobreloa (CHI) (Luís Fabiano (2) e Fuentes (contra))
10/mar - 2ª Fase - 1 x 0 LDU (EQU) (Luís Fabiano)
7/abr - 2ª Fase - 3 x 1 Alianza Lima (PER) (Luís Fabiano (2) e Marquinhos)
12/mai - Oitavas - 2 (5) x (4) 1 Rosário Central (ARG) (Grafite (2))
19/mai - Quartas - 3 x 0 Deportivo Táchira (VEN) (Rogério Ceni, Luís Fabiano e G. Nery)

2005
9/mar - 2ª Fase - 4 x 2 Universidad do Chile (Lugano, Rogério Ceni, Cicinho e Grafite)
13/abr - 2ª Fase - 3 x 1 Quilmes (ARG) (Tardelli (2) e Cicinho)
11/mai - 2ª Fase - 3 x 0 The Strongest (BOL) (Edcarlos, Luizão e Grafite)
25/mai - Oitavas - 2 x 0 Palmeiras (Rogério Ceni e Cicinho)
1/jun - Quartas - 4 x 0 Tigres (MEX) (Rogério Ceni (2), Luizão e Souza)
22/jun - Semifinal - 2 x 0 River Plate (ARG) (Danilo e Rogério Ceni)
14/jul - Final - 4 x 0 Atlético Paranaense (Amoroso, Fabão, Luizão e D. Tardelli)

2006
8/mar - 2ª Fase - 4 x 1 Cienciano (PER) (Fabão, Alex Dias, Thiago e Souza)
20/abr - 2ª Fase - 2 x 0 Caracas (VEN) (Danilo e Rogério Ceni)
3/mai - Oitavas - 2 x 1 Palmeiras (Aloísio e Rogério Ceni)
19/jul - Quartas - 1 (4) x (3) 0 Estudiantes (ARG) (Edcarlos)
2/ago - Semifinal - 3 x 0 Chivas Guadalajara (MEX) (Leandro, Mineiro e Ricardo Oliveira)

2007
28/fev - 2ª Fase - 4 x 0 Alianza Lima (PER) (Alex Silva (2), Leandro e Júnior)
4/abr - 2ª Fase - 3 x 0 Necaxa (MEX) (Souza, Miranda e Hugo)
2/mai - Oitavas - 1 x 0 Grêmio (Miranda)

2008
5/mar - 2ª Fase - 2 x 1 Audax Italiano (CHI) (Adriano (2))
2/abr - 2ª Fase - 1 x 0 Sportivo Luqueño (PAR) (Adriano)
23/abr - 2ª Fase - 1 x 0 Atlético Nacional (COL) (Alex Silva)
7/mai - Oitavas - 2 x 0 Nacional (URU) (Adriano e Dagoberto)
14/mai - Quartas - 1 x 0 Fluminense (Adriano)

2009
9/abr - 2ª Fase - 2 x 1 Defensor (URU) (Borges (2))
22/ab - 2ª Fase - 2 x 1 América (COL) (Dagoberto (2))

2010
10/fev - 2ª Fase - 2 x 0 Monterrey (MEX) (Washington (2))
18/mar - 2ª Fase - 3 x 0 Nacional (PAR) (Dagoberto, Léo Lima e Washington)

O baú das Copas (3)

Copa do Mundo da França - 1938

Período de disputa: 4 a 19/06
Cidades-sede: Antibes, Bordeaux, Le Havre, Lille, Marselha, Paris, Reims, Estrasburgo e Toulouse
Estádios utilizados: Parc des Princes (Paris), Stade Chapou (Toulouse), Stade de la Cavée Verte (Le Havre), Stade Olympique de Colombes (Paris), Stade Velodrome Municipal (Reims), Stade Velodrome (Marselha), Stade de la Meinau (Estrasburgo), Stade du Fort Carré (Antibes), Stade Victor Boucquey (Lille) e Parc de Lescure (Bordeuax)
Eliminatórias: 37 seleções inscritas, 27 seleções participantes
Países classificados: 14 (a Áustria estava classificada, mas como foi anexada pela Alemanha, não participou)
Total de jogos: 18
Total de gols marcados: 84
Média de gols: 4,66 gols/jogo

1º gol da Copa: Jupp Gauchel (Alemanha), aos 29min do jogo Suíça 1 x 1 Alemanha
Último gol da Copa: Silvio Piola (Itália), aos 82min do jogo Itália 4 x 2 Hungria

Artilheiro: Leônidas (Brasil) - 7 gols
Melhor ataque: Hungria - 15 gols
Pior ataque: Holanda e Índias Holandesas - 0 gol

Melhor defesa: Noruega - 2 gols
Pior defesa: Cuba - 12 gols
Total de público: 483.000 pessoas
Média: 26.833 pessoas/jogo
Jogador mais jovem da Copa: Bertus Van de Harder (Holanda) - 18 anos e 42 dias
Jogador mais velho da Copa: Bertus Anderiesen (Holanda) - 34 anos e 190 dias


CLASSIFICAÇÃO FINAL:

  1. Itália
  2. Hungria
  3. BRASIL
  4. Suécia
  5. Tchecoslováquia
  6. Suíça
  7. Cuba
  8. França
  9. Romênia
  10. Alemanha
  11. Polônia
  12. Noruega
  13. Bélgica
  14. Holanda
  15. Índias Holandesas

Foto: O técnico Vittorio Pozzo segura a Copa do Mundo, aos lado dos jogadopres da Itália, após a vitória sobre a Hungria no final da Copa de 1938
Crédito: Fifa.com

Internauta pede a presença de Ronaldinho Gaúcho para a Copa da África do Sul

A lista da seleção brasileira para a Copa do Mundo de 2010 já está pronta. A menos que ocorra algum acidente de percurso, o técnico Dunga já tem na cabeça os nomes dos 23 jogadores que chamará para levar à África do Sul. E mesmo com tudo indicando que o atacante Ronaldinho Gaúcho não estará entre os chamados, o internauta que frequenta este blog não tem dúvida: o dentuço do Milan teria que ser convocado.

Na opinião de 68% dos blogueiros, Ronaldinho Gaúcho tem jogado muito, a despeito da eliminação do Milan na Liga dos Campeões da Europa, e por isso deveria ser presença certa na convocação que Dunga fará em maio. Em compensação, para 32% dos internautas, Ronaldinho já teve sua chance com Dunga e fracassou. Por isso, não merece ir à Copa.

quarta-feira, 17 de março de 2010

As dançarinas da NBA 2009/10 (21): Ashley, do Oklahoma City Thunder


Ashley, nascida em Shawnee (Oklahoma), estudante de publicidade e propaganda, tem como um de seus hobbies ir ao cinema e cujo filme favorito é "Bonequinha de Luxo", é integrante das Thunder Girls, a equipe de dançarinas do Oklahoma City Thunder.

Esta seção, que reúne as mais belas cheerleaders da NBA, é publicada às quartas-feiras

terça-feira, 16 de março de 2010

Quer dizer que sem a grana do Pré-sal não tem Olimpíada? E só agora dizem isso?

Antes de dar o meu pitaco, reproduzo nota oficial do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), emitida nesta segunda-feira, a respeito da polêmica da lei que transita no COngresso Nacional a respeito dos royalties do Pré-sal (os grifos em negrito são do blog):


RIO 2016 – NOTA OFICIAL

O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016 vem a público para esclarecer sua posição sobre as conseqüências da aprovação, pela Câmara de Deputados, de um novo modelo de repartição das receitas da exploração do petróleo em território nacional.

Durante o processo de candidatura, o governo brasileiro apresentou um conjunto de garantias que passou a fazer parte do contrato assinado com o Comitê Olímpico Internacional e se tornou obrigação do Estado Brasileiro, representado pelos governos federal, estadual e municipal, de acordo com as suas respectivas competências constitucionais.

A redução da receita da exploração do petróleo deixará o Estado do Rio de Janeiro sem condições de fazer as obras necessárias para os Jogos Rio 2016. Qualquer decisão que afete a capacidade do Estado do Rio de Janeiro de cumprir várias obrigações tem impacto negativo na organização dos Jogos e, se não for remediada, representará uma quebra de contrato.

O Comitê Rio 2016 tem plena confiança de que os poderes legislativos levarão esses fatos em consideração, evitando que o país, em uma volta ao passado, descumpra obrigações assumidas.

O Comitê Rio 2016 se coloca à disposição do governador Sergio Cabral para lutar pelos direitos do Rio de Janeiro e pelo fiel cumprimento das obrigações assumidas em contrato internacional.

Carlos Arthur Nuzman
Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016
Presidente


Quer dizer, cara-pálida, que diante do que está escrito na nota oficial do COB, sem a grana do Pré-sal, o Brasil não terá os Jogos Olímpicos em 2016? Será que a tal palestra dada pelo presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, que encantou os membros do COI em Copenhague, em outubro do ano passado, tinha como garantia fundamental do governo estes recursos? A única forma de se garantir as Olimpíadas aqui seriam com estes recursos? Não existe um plano B?

Se todas estas minhas suposições forem mesmo verdade, o Governo brasileiro se meteu em uma bela enrascada ao bancar a realização dos Jogos de 2016. Do contrário, tem um cheiro de chantagem barata ao Congresso Nacional.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Fabiana Murer mostrou que é
ouro também no comportamento

A historica conquista de Fabiana Murer neste domingo, ao ganhar a medalha de ouro no Mundial Indoor de Atletismo, em Doha (Qatar), teve dois aspectos que não podem ser esquecidos: o primeiro é a importância da conquista. Apesar de não ser tão badalado quanto o Mundial ao ar livre, não é todo dia em que se pode derrotar um dos maiores mitos do esporte, como a russa Yelena Isinbayeva (que por sinal, anda numa fase, hein?)

O outro aspecto importante na conquista de Fabiana foi justamente o seu comportamento. Como faz bem aos olhos e aos ouvidos de todos ver uma atleta comemorar um feito desta grandeza sem apelar para as lágrimas baratas, declarações demagógicas ou de cunho exageradamente religioso.

Por tudo isso, a vitória de Fabiana Murer teve um sabor bem especial.

Foto: Divulgação/IAAF

domingo, 14 de março de 2010

Os cartazes das Copas do Mundo:
Suíça-1954 e Suécia-1958


Suíça - 1954

Suécia - 1958

GP de Bahrein de F-1: confira a relação
de todos os vencedores da prova

2004 - Michael Schumacher (ALE/Ferrari)
2005 - Fernando Alonso (ESP/Renault)
2006 - Fernando Alonso (ESP/Renault)
2007 - Felipe Massa (BRA/Ferrari)
2008 - Felipe Massa (BRA/Ferrari)

2009 - Jenson Button (ING/Brawn GP)
2010 - Fernando Alonso (ESP/Ferrari)



Na foto, Michael Schumacher comemora a vitória no primeiro GP do Bahrein disputado na história.
Crédito:
Stats F1

Do blog do Flavio Gomes: Bruno Senna ignora com classe babação global ao vivo

Do blog do Flavio Gomes - 14/03/10



"...Então, a babaquice global fez com que Gil, constrangido, fosse obrigado a mandar um abraço lá da cabine e de todo o povo brasileiro e a perguntar sobre a “emoção de largar” etc. Claro que os bobões queriam que Bruno chorasse, falasse que na hora da largada tinha lembrado do tio, que era um momento muito emocionante, inesquecível, que a memória de Ayrton era tudo em que ele pensava naquele cockpit apertado e solitário, que sentia a presença do tio com ele, que era impossível não se transportar no tempo para aquelas manhãs de domingo…

Mas Bruno, que é piloto de corridas, e não um babaca profissional, falou apenas que para ele, na verdade, “a corrida estava chata, sem disputa”. Falou também que a equipe tem de aprender, que os problemas são comuns, que não teve “nada de emocionante”, não citou o tio, não caiu na tentação de vender emoções baratas, quebrou as pernas globais.

Ponto para o primeiro-sobrinho."

sábado, 13 de março de 2010

Todos os vencedores das provas
da Fórmula Indy no Brasil

Circuito de Jacarepaguá (Rio de Janeiro)

1996 - André Ribeiro (Brasil/Lola/Honda)
1997 - Paul Tracy (Canadá/Penske/Mercedes)

1998 - Greg Moore (Canadá/Forsythe/Reynard)
1999 - Juan-Pablo Montoya (Colômbia/Chip Ganassi/Reynard)
2000 - Adrian Fernandez (México/Patrick/Reynard)

Circuito de rua de São Paulo da
Fórmula Indy já recebe críticas

"Espero que não chova. No seco já está difícil, não quero nem pensar como vai ser na chuva. É uma pista super ondulada. O pior trecho é o Sambódromo. Está muito escorregadio. Nenhum piloto conseguiu acelerar tudo na reta. Existe um risco até de alguma coisa acontecer"


Tony Kanaan, piloto brasileiro, arrasando com o traçado de rua do circuito Anhembi, em São Paulo, que receberá neste domingo a etapa de abertura da temporada 2010 da Fórmula Indy

sexta-feira, 12 de março de 2010

Coitado do Bruno Senna

Alguma coisa me diz que a temporada 2010 da Fórmula 1 nos reservará doses de glicose a níveis diabéticos...

Do site UOL Esportes - 11/03/2010

Compositor do "Tema da Vitória" faz música para Bruno Senna

Bruno Doro
Em São Paulo

A estréia do sobrinho de Ayrton Senna na Fórmula 1 ganhou um tema musical. O maestro Eduardo Souto Neto, o mesmo com compôs o “Tema da Vitória”, recebeu uma encomenda dos patrocinadores do jovem piloto, para comemorar sua chegada à categoria.

A música foi composta em dois dias e lembra a música que marca as vitórias brasileiras na Fórmula 1. “Assim que desliguei o telefone com o pedido, meu primeiro sentimento foi desenhar o tema com uma guitarra berrando, gritando de emoção, para trazer de volta o sentimento da conquista”, diz Souto Neto.

O “Tema da Vitória” foi criado nos anos 1980, após encomenda da TV Globo. A música seria usada na transmissão da Fórmula 1 da emissora. Com as vitórias de Nelson Piquet, foi oficializada como a música usada sempre que um brasileiro vencia uma corrida.

Só com Ayrton Senna, porém, a música ganhou notoriedade e se tornou sinônimo do sucesso brasileiro na categoria. Hoje, é quase uma instituição nacional. Já foi usada até por torcidas de clubes de futebol para comemorar conquistas importantes.

Que mundo é este em que vivemos?

Atualizado

Simplesmente estarrecedora a notícia da morte do cartunista Glauco Villas Boas, da Folha de S. Paulo, criador de inesquecíveis personagens como Geraldão, Dona Marta, Doy Jorge, entre outros, ao ser assassinado em casa, numa tentativa de assalto, em sua casa, na cidade de Osasco. Mais tarde, surgiu outra versão, segundo a qual o suspeito pelo assassinato frequentava uma igreja fundada pelo próprio Glauco. O crime aconteceu na madrugada desta sexta-feira. O filho Raoni, de 25 anos, que chegava da faculdade, também foi morto pelos assaltantes. Uma tragédia.

É fácil para as autoridades falarem em queda nos índices de criminalidade em São Paulo. Mas a sensação de quem vive o dia a dia é bem diferente. E provavelmente hoje os programas policialescos das TVs abertas de São Paulo irão berrar (sim, eles não noticiam mas berram!) contra a falta de segurança nas ruas das grandes cidades, especilistas serão entrevistados e algum delegado será ouvido para falar que eles não têm pista alguma dos assassinos.

Tudo isso para não resultar em nada! Outros Glaucos continuarão sendo assassinados. E ninguém fará nada para mudar este triste cenário.

Yes, nós temos treinador!

Coluna Diário Esportivo, publicada na edição de 12 de março do Diário de S. Paulo

Parece que virou moda, quase um hit deste fim de verão escaldante em terras brasileiras. Agora, qualquer equipe olímpica que se preze tem que contar com um treinador estrangeiro comandando sua comissão técnica. Só neste início de 2010, três técnicos gringos foram contratados: no basquete, o consagrado argentino Rúben Magnano dirigirá a seleção masculina e o desconhecido espanhol Carlos Colinas será o novo comandante da equipe feminina. Já o polo aquático, bem menos badalado, já acertou a chegada do croata Goran Sablic para o time masculino e promete fechar com um holandês para chefiar a seleção feminina.

Longe de querer imitar Policarpo Quaresma e defender a mão de obra nacional com unhas e dentes, acho que a presença dos treinadores estrangeiros traz enormes benefícios ao esporte brasileiro. Aliás, nem se trata de uma novidade. Várias modalidades há anos bebem na fonte dos técnicos gringos, como o atletismo, o boxe, o handebol e a ginástica artística feminina, que por sinal evoluiu indiscutivelmente sob o comando do ucraniano Oleg Ostapenko até 2008.

Mas algo me incomoda nesta frenética abertura de mercado aos técnicos estrangeiros. Antes de fazer o investimento em trazer treinadores do exterior, os cartolas brasileiros deveriam primeiro se preocupar em preparar técnicos para trabalhar com a formação de atletas e que conheçam profundamente os problemas do esporte brasileiro. Do contrário, a contratação dos gringos será apenas uma modinha passageira.

Foto: Rubén Magnano, um dos técnicos estrangeiros que irão trabalhar no Brasil em 2010
Crédito: Gaspar Nóbrega/CBB


A coluna Diário Esportivo, assinada por este blogueiro, é publicada às sextas-feiras no Diário de S. Paulo

quinta-feira, 11 de março de 2010

O baú das Copas (2)


Copa do Mundo da Itália - 1934

Período de disputa: 27/05 a 10/06
Cidades-sede: Bolonha, Genova, Florença, Roma, Milão, Nápoles, Turim e Trieste
Estádios utilizados: Littorale (Bolonha), Benito Mussolini (Turim), Giovanni Berta (Florença), Luigi Ferraris (Genova), Giorgio Ascarelli (Nápoles), San Siro (Milão), Nazionale (Roma) e Littorio (Trieste)
Eliminatórias: 32 seleções inscritas, 29 seleções participantes
Países classificados: 16
Total de jogos: 17
Total de gols marcados: 70
Média de gols: 4,11 gols/jogo

1º gol da Copa: Ernesto Belis (Argentina), aos 4min do jogo Suécia 3 x 2 Argentina
Último gol da Copa: Angelo Schiavio (Itália), aos 5min da prorrogação do jogo Itália 2 x 1 Tchecoslováquia
Melhor ataque: Itália - 12 gols
Pior ataque: Romênia, Brasil e EUA - 1 gol

Melhor defesa: Romênia - 2 gols
Pior defesa: Alemanha - 8 gols
Total de público: 395.000 pessoas
Média: 23.235 pessoas/jogo
Jogador mais jovem da Copa: Roberto Iraneta (Argentina) - 18 anos e 65 dias
Jogador mais velho da Copa: Tom Florie (EUA) - 37 anos


CLASSIFICAÇÃO FINAL:
  1. Itália
  2. Tchecoslováquia
  3. Alemanha
  4. Áustria
  5. Espanha
  6. Hungria
  7. Suíça
  8. Suécia
  9. Argentina
  10. França
  11. Holanda
  12. Romênia
  13. Egito
  14. BRASIL
  15. Bélgica
  16. EUA

Foto: O técnico Vittorio Pozzo é carregado em triunfo pelos jogadores da Itália, após a vitória suada sobre a Tchecoslováquia, na final da Copa de 1934
Crédito: Fifa.com

As maiores goleadas da Copa do Brasil

atualizado em 21/04/10

O Santos continua roubando a cena neste início de temporada. E a nova geração dos Meninos da Vila conseguiram um resultado historico nesta quarta-feira, ao aplicar a estrondosa goleada de 10 a 0 sobre o Naviraiense, na Vila Belmiro, pela Copa do Brasil. Além de passar para a próxima fase do torneio, o Peixe cravou o terceiro maior placar na história da competição. Só ficou atrás do 11 x 0 que o Atlético-MG marcou no Caiçara-PI, em 1991, e os mesmos 10 x 0 do São Paulo sobre o Botafogo-PB, em 2001.

Abaixo, as maiores goleadas da Copa do Brasil:
  1. Atlético-MG 11 x 0 Caiçara-PI (28/02/1991) - Belo Horizonte
  2. São Paulo 10 x 0 Botafogo-PB (28/03/2001) - São Paulo
  3. Santos 10 x 0 Naviraiense-MS (10/03/2010) - Santos
  4. Internacional 9 x 1 Ji-Paraná-RO (6/04/1993) - Porto Alegre
  5. Flamengo 8 x 0 Kaburé-TO (26/04/1995) - Rio de Janeiro
  6. Sergipe 0 x 8 Palmeiras (28/02/1996) - Aracaju
  7. Portuguesa 8 x 0 Kaburé-TO (4/03/1997) - São Paulo
  8. Vasco 8 x 0 Picos-PI (10/02/1998) - Rio de Janeiro
  9. Interporto-TO 0 x 8 Bahia (15/03/2000) - Porto Nacional
  10. Ponte Preta 8 x 1 Castanhal-PA (21/03/2001) - Campinas
  11. Santos 8 x 1 Guarani (14/04/2010) - Santos
Foto: Robinho comemora seu primeiro gol na Copa do Brasil

Crédito: Ricardo Saibun/Divulgação

quarta-feira, 10 de março de 2010

Os últimos vexames do Real Madrid
na Liga dos Campeões da Uefa

A fase anda feia para o Real Madrid em relação à Liga dos Campeões, o principal torneio de clubes do mundo. Há seis temporadas que o time galáctico não consegue passar das oitavas de final do torneio. Um vexame, levando-se em conta o investimento milionário que os dirigentes espanhóis fazem anualmente. Confira abaixo todas as recentes eliminações do Real na Liga dos Campeões:

Temporada 2004/05
Real Madrid 1 x 0 Juventus
Juventus 2 x 0 Real Madrid

Temporada 2005/06
Real Madrid 0 x 1 Arsenal
Arsenal 0 x 0 Real Madrid

Temporada 2006/07
Real Madrid 3 x 2 Bayern Munique
Bayern Munique 2 x 1 Real Madrid

Temporada 2007/08
Roma 2 x 1 Real Madrid
Real Madrid 1 x 2 Roma

Temporada 2008/09
Real Madrid 0 x 1 Liverpool
Liverpool 4 x 0 Real Madrid

Temporada 2009/10
Lyon 1 x 0 Real Madrid
Real Madrid 1 x 1 Lyon

Foto: O goleiro Casillas, do Real Madrid, lemanta o gol de empate do Lyon
Crédito: Uefa.com

As dançarinas da NBA 2009/10 (20):
Sierra, do New York Knicks


Sierra, nascida em Lincoln (Nebraska), é modelo de diversas marcas de jeans e lojas nos EUA, gravou um comercial das American Express com o tenista Andy Roddick e do Great Bank of Australia com o comediante Jerry Senfield, integra há três temporadas o elenco das Knicks City Dancers, as dançarinas do New York Knicks.

Esta seção, que reúne as mais belas cheeleaders da NBA, é publicada às quartas-feiras

terça-feira, 9 de março de 2010

Roberto Carlos, um profissional exemplar

“Fizemos coisas piores em 2002 e ninguém soube. No Japão era mais liberado do que em 2006. A gente arregaçava. A gente se divertia pra caramba. Todo mundo solteiro, todo mundo aproveitava. Era gostoso. Ninguém se drogava, ninguém saía bêbado”

Roberto Carlos, lateral-esquerdo do Corinthians, em entrevista à revista Playboy, mostrando que as baladas acompanham a seleção brasileira nas derrotas e nas vitórias também.

segunda-feira, 8 de março de 2010

Marcos Braz e as pérolas do caso Adriano

"Se fosse problema com drogas, eu colocava para treinar e ele sentia uma dorzinha. Aí virava um estiramento e o deixava fora do time o tempo que precisasse"

"Ele procurou novamente a bebida"


Vice-presidente de futebol do Flamengo, Marcos Braz, comentando os problemas envolvendo o atacante Adriano e que por suas declarações neste fim de semana, é o candidato mais forte a ganhar o prêmio de maior besta quadrada do futebol mundial


domingo, 7 de março de 2010

De que vale o recorde brasileiro de
pontos de Marcelinho Machado?


Os sites esportivos destacam neste início de tarde de domingo uma marca histórica alcançada pelo ala Marcelinho Machado, do Flamengo, que anotou incríveis 63 pontos na vitória do Flamengo sobre o São José, atual campeão paulista, por 101 a 89, pela edição 2009/10 do NBB (Novo Basquete Brasil).

Não se trata de uma pontuação qualquer. Com estes 63 pontos, Marcelinho tornou-se o jogador com maior número de pontos marcados numa partida de campeonatos nacionais. Superou simplesmente Oscar Schmidt, maior cestinha da história do Brasil (e talvez do mundo), que havia marcado 59 pontos em 4 de abril de 199, num jogo do Mackenzie/Barueri sobre o Santo André.

Por si só, trata-se de uma marca considerável. Já não é de hoje que Marcelinho assumiu o posto de principal cestinha do país e teve participação fundamental nos dois títulos brasileiros conquistados pelo Flamengo recentemente. Mas...

O recorde de Marcelinho Machado também nos traz uma triste constatação: mesmo com a crescente participação de jogadores brasileiros na NBA e nas principais ligas da Europa, o que ainda prevalece por aqui é este estilo "fominha" de se praticar basquete. Um único jogador torna-se o "salvador da pátria" e de suas mãos saem 70, 80% dos arremessos do time. Quando o sujeito está inspirado, cai tudo na cesta. Mas em compensação, tem dias que o infeliz só amassa o aro.

O mais triste é que muita gente na imprensa, por comodismo ou mesmo ignorância, enaltece este estilo, que tem em Marcelinho seu grande expoente. As transmissões dos jogos estão aí para comprovar esta minha tese. Ele é um ótimo jogador, repito, mas tem seus defeitos. A compulsão por arremessar, especialmente bolas de três, é uma delas.

A própria seleção brasileira há anos sofre com o "estilo Marcelinho". Na última Copa América, quando o Brasil garantiu a vaga para o Mundial da Turquia, o ala terminou com um aproveitamento de apenas 33% dos chutes de dois pontos e 44,2% dos tiros de três. Muito pouco para quem arremessa tanto.

O recorde deste domingo de Marcelinho Machado precisa ser festejado, Mas com moderação e sem perder de vista o senso crítico.

Foto: Divulgação/LNB

Os cartazes das Copas do Mundo:
França-1938 e Brasil-1950


França - 1938


Brasil - 1950

A seção "Os cartazes das Copas do Mundo" será publicada aos domingos, até o dia 2/05

sábado, 6 de março de 2010

O baú das Copas (1)

Copa do Mundo do Uruguai - 1930

Período de disputa: 13 a 30/07
Cidade-sede: Montevidéu
Estádios utilizados: Centenário, Parque Central, Pocitos
Eliminatórias: não foram disputadas
Países participantes: 13
Total de jogos: 18
Total de gols marcados: 70
Média de gols: 3,88 gols/jogo

1º gol da Copa: Laurent (França), aos 19min do jogo França 4 x 1 México
Último gol da Copa: Hector Castro (Uruguai), aos 89min do jogo Uruguai 4 x 2 Argentina
Melhor ataque: Argentina - 18 gols
Pior ataque: Bélgiga e Bolívia - 0 gol

Melhor defesa: Brasil - 2 gols
Pior defesa: México - 13 gols
Total de público: 435.500 pessoas
Média: 24.194 pessoas/jogo
Jogador mais jovem da Copa: Carvalho Leite (Brasil) - 18 anos e 65 dias
Jogador mais velho da Copa: Rafael Guitierrez (México) - 34 anos


CLASSIFICAÇÃO FINAL:
  1. Uruguai
  2. Argentina
  3. EUA
  4. Iugoslávia
  5. Chile
  6. BRASIL
  7. Romênia
  8. França
  9. Paraguai
  10. Peru
  11. Bélgica
  12. Bolívia
  13. México

Foto: O goleiro argentino Botasso salta para tentar, sem sucesso, defender o chutedo uruguaio Castro, no quarto gol do Uruguai sobre a Argentina
Crédito: Fifa.com

sexta-feira, 5 de março de 2010

A Copa do Mundo é nossa (5)

Da Folha de S. Paulo - 5/03/2010

Horário incomum irrita torcedores, causa tumulto e muda rotina do bairro

EDUARDO OHATA
SANDRO MACEDO
DA REPORTAGEM LOCAL

Acostumado aos jogos noturnos de seu time, Iraildo de Oliveira achou que a matinê corintiana, às 17h, era a ocasião ideal para levar sua filha de oito anos para ver sua primeira partida de futebol.

Chegou às 15h30. Às 18h20, ainda do lado de fora do Pacaembu, Iraildo deixava o estádio sem poder entrar. "Eu não vim pedir nada, vim pagar. É esse o país que vai sediar a Copa?", esbravejou o indignado torcedor, que segurava a mão da filha, chorosa.

Quando já corriam mais de 20min do segundo tempo, a bilheteria anunciou queda no sistema e parte da torcida correu em direção à entrada principal do estádio para forçar a entrada. A polícia agiu rápido e conteve os mais impulsivos. A confusão logo foi dissipada.

O tumulto foi o resultado do problema que ocorreu desde o início da tarde. Como Iraildo, cerca de 2.000 torcedores, segundo a polícia, formaram uma longa fila única, que andava lentamente. Com o horário mais cedo, apostando num público reduzido, a maioria dos corintianos deixou para comprar ingresso pouco antes do horário da partida.

Pais que buscavam os filhos em escolas no entorno do estádio sentiram efeitos da mudança de "fuso horário" da bola. Mães foram pegas de surpresa. Foi o caso de Samanta Cafardo, 35, que planejava buscar mais cedo a filha, Lara, 3, que estava febril, na escola.

"Não imaginava que tinha jogo hoje [ontem]. Demorei cinco vezes mais do que costumo no mesmo trajeto."

"Os jogos atraem flanelinhas, que não respeitam nem perua escolar, ameaçam amassar seu carro", reclamou Washington Luis, 42, motorista de transporte escolar que atende a quatro escolas.Em suma, o coro de falta de organização foi geral. Orientadores com jaleco com o distintivo do Corinthians argumentavam que a torcida chegou em cima da hora. E se defendiam dizendo que a bilheteria estava aberta havia dias e, ontem, já funcionava às 9h.Quando a reportagem chegou, nove guichês funcionavam. Mas torcedores diziam que só dois ou três estavam abertos no início da tarde.

"Não deveriam colocar jogo nesse horário. Quinta? Às 17h? Muita gente acha que não vai ninguém", argumentou Eric Rafael, 24, que, como Iraildo, foi embora quando a partida já passava de sua metade, sem entrar no estádio.

"Claro que estou indo embora. Para que ficar? Para entrar quando o jogo já tiver acabado?", reclamou Laio Santos, 18, fiscal de micro-ônibus.

A rainha e os bobos da corte


Coluna Diário Esportivo, publicada na edição de 5 de março do Diário de S. Paulo

Totalmente previsível o desfecho da novela para a definição do novo técnico da seleção brasileira feminina de basquete, que culminou com a escolha do espanhol Carlos Colinas para comandar a equipe em seu principal desafio de 2010, o Campeonato Mundial da República Tcheca. Mesmo sem surpresas, o final deste episódio mostrou o quanto a Confederação Brasileira de Basquete (CBB) e sua diretora Hortência Marcari falharam na condução da troca de comando da seleção.

O maior de todos os pecados cometidos por Hortência, que passou algumas semanas na Europa à procura de um nome para o cargo, foi a forma como tratou o antecessor, Paulo Bassul. Desde o final da Copa América, em setembro do ano passado, já estava claro que Bassul não permaneceria no emprego. Só que como o próprio treinador afirmou à repórter Marta Teixeira, do DIÁRIO, a CBB pediu que ele não assinasse com qualquer equipe antes de uma definição da entidade. E o que ele ganhou foi um simples agradecimento pelos serviços prestados. Lamentável!

Quanto à Hortência, que como cartola está longe de repetir o brilhantismo da época em que era a Rainha do basquete, lamenta-se apenas sua tentativa de tratar a todos como verdadeiros bobos da corte, ao tentar desmentir sua entrevista ao repórter David Abramvezt, também do DIÁRIO, quando disse que o time não será convocado pelo técnico e sim por ela. Ao treinador, garantiu Hortência, caberá só treinar a equipe. Será que o desconhecido Colinas sabe onde está se metendo?

A coluna Diário Esportivo, assinada por este blogueiro, é publicada às sextas-feiras no Diário de S. Paulo

quinta-feira, 4 de março de 2010

Em clima de Copa, estrelas do futebol mundial se divertem no comercial da Pepsi

A cada quatro anos, sempre às vésperas da Copa do Mundo, as empresas gastam uma bela grana para preparar um comercial temático sobre a maior competição esportiva do planeta. A campanha publicitária da Pepsi para este ano segue a mesma toada: reuniu algumas estrelas que estarão na África do Sul a partir de 11 de junho, como Drogba, Kaká, Henry, Lampard e Messi (o russo Arshavin é a exceção) e fez um dos comerciais mais bacanas dos últimos tempos. Confira:



Related Posts with Thumbnails