boo-box

quarta-feira, 30 de junho de 2010

O espírito esportivo de Cristiano Ronaldo

Mas que gajo nervosinho e mal-educado, hein?





Brasil x Holanda, a saga (2)

O ano de 1994 foi muito especial para mim. Do lado pessoal, foi o ano em que me casei. Já no lado profissional, fui escalado para cobrir o Mundial masculino de basquete em Toronto, onde acompanhei a vexatória campanha do Brasil, que terminou em 11º lugar, mas em compensação pude presenciar o show da seleção dos EUA, comandada por Shaquille O'Neal em plena forma.

E pelo caminho ainda tinha uma Copa do Mundo. O futebol colocaria à prova sua popularidade nos EUA, país sem nenhuma tradição no esporte e que até hoje o chama de soccer. Para quem esperava um Mundial com estádios vazios, qual não foi a surpresa em ver as arquibancadas sempre lotadas, com um público entusiasmado? Já dentro de campo não havia o mesmo nível de qualidade. As partidas tinham emoção, porém eram pobres em qualidade técnica. Muito por culpa dos horários dos jogos, disputados sob o forte calor do verão americano. No geral, somando prós e contras, foi uma grande Copa.

Pessoalmente, já não tinha a mesma paixão pela seleção brasileira. E sejamos justos: teria que ser muito pacheco para se apaixonar pelo time de Parreira na Copa de 94. Um futebol pragmático, que ia derrotando seus adversários, mas sem quase nenhum brilhantismo, exceção feita a Romário, o único craque da equipe.

Até que chegou as quartas de final. E mais uma vez a Holanda no caminho brasileiro. Ao contrário de 74, não fiquei xingando aquele time de camisas laranjas (que mais uma vez não jogou de laranja, mas sim de branco). Mas tenho que admitir que naquele dia, trabalhando na redação do então Diário Popular, me peguei torcendo muito pelo Brasil, que abriu 2 x 0, com Romário e Bebeto, e viu a Holanda empatar. Depois, o emocionante gol de falta de Branco, a nove minutos do final do jogo. E muita festa pela classificação às semifinais. Desde 1978 que o Brasil não estava entre os quatro melhores do mundo.

A festa, porém, ficou pra trás meia hora depois do jogo ter terminado. Foi quando recebi um telefonema de minha mulher e soube que a minha sogra havia acabado de falecer.

Não tenho boas lembranças daquele 9 de julho de 1994.



terça-feira, 29 de junho de 2010

Paraguai faz história nas Copas.
Para delírio de Larissa Riquelme


O jogo foi horroroso. Mas a classificação nos pênaltis do Paraguai diante do Japão foi justíssima, inclusive pela campanha que a equipe vem fazendo na Copa do Mundo da África do Sul.

Mas certamente quem ficou ainda mais feliz com a classificação paraguaia foi a modelo Larissa Riquelme, que vem "animando" os torcedores durante os jogos da seleção em um telão no centro de Assunção, como este blog já havia mostrado no último dia 24.

E, convenhamos, motivos para todos ficarem animados não faltam!


Brasil x Holanda, a saga (1)

A primeira Copa do Mundo que acompanhei pra valer foi a de 1974, na Alemanha. Tinha dez anos e já havia sido contaminado por este vírus incurável chamado futebol. E mesmo sem contar com a fartura de opções de canais de tv a cabo, HD etc, não desgrudava da minha tabela e de um guia do Mundial que havia sido publicado por algum jornal, não lembro mais qual era.

E dá-lhe torcida pela seleção brasileira. Na primeira fase, aquele sofrimento nos jogos contra Iugoslávia e Escócia, dois 0 x 0 horrorosos. Depois, escapando do vexame com um 3 x 0 no ridículo time do Zaire. A classificação para a fase seguinte colocou a seleção no mesmo grupo de Alemanha Oriental, Argentina e ...Holanda! E alguém lá sabia que havia futebol na Holanda?

Pois é, mas havia, e muito! É claro que um moleque de dez anos e sem acesso às informações que hoje em dia qualquer um encontra na internet e nos canais de tv especializados não saberia. Mas o técnico Zagallo e os demais integrantes da seleção brasileira tinham a obrigação de conhecer aquele timaço da Holanda, de Cruijff, Neskens, Rep, Resenbrink, que fez uma verdadeira revolução nos gramados da Alemanha.

Naquele 3 de julho de 74, quando a Holanda despachou o Brasil por 2 a 0, xinguei demais aquele time que não jogou de laranja, sua marca registrada (e eu não conseguia entender o motivo daquele inusitado laranja apesar da bandeira deles ser azul, vermelha e branco). Anos depois, percebi que xinguei a equipe errada.



segunda-feira, 28 de junho de 2010

Cielo entra para a história

Sei bem que nos tempos atuais só se fala de Copa do Mundo. Nada mais justificado. Porém, é preciso ressaltar, ainda que tardiamente, o triunfo de Cesar Cielo no 4º Paris Open, neste último domingo. Ao cravar 21s55, Cielo superou o antigo recorde mundial do nadador russo Alexandrer Popov, marca que só caiu devido ao uso dos maiôs tecnológicos.

Ou seja, sem a inestimável ajuda da tecnologia, Cielo deixou para trás uma das lendas da natação. Não é para qualquer um.

Cesar Cielo, com justiça, garantiu um lugar na história da natação mundial.

Foto: divulgação

domingo, 27 de junho de 2010

A Copa-2010 em números (após o Dia 16)

Estatísticas gerais

Total de jogos disputados: 50
Total de gols: 107 (2,1 p/jogo)
Chutes a gol: 595 (11,9 p/jogo)
Faltas cometidas: 1533 (30,7 p/jogo)
Cartões amarelos: 147 (2,9 p/jogo)
Cartões vermelhos: 12 (0,2 p/jogo)

Estátisticas por equipes

Maior número de gols marcados - Argentina e Portugal: 7 gols (3,5 p/jogo)
Maior número de faltas cometidas - Gana: 67 faltas (16,7 p/jogo)
Maior número de finalizações - Gana: 71 finalizações (17,7 p/jogo)
Maior número de chutes a gol - Argentina: 30 chutes a gol (10 p/jogo)
Maior número de impedimentos - Honduras: 18 impedimentos (6 p/jogo)
Maior número de cartões - Chile: 11 cartões (3,67 p/jogo)

sábado, 26 de junho de 2010

Valcke comemora exclusão do Morumbi

"É uma boa notícia o Morumbi estar fora. Uma boa notícia porque estamos falando há tempos que o estádio tem problemas, que é preciso trabalhar, mas pouco foi feito. Ficamos felizes porque o Ricardo Teixeira e o Comitê Organizador Local viram isso claramente e anunciaram que o estádio está fora"
Jérôme Valcke, secretário-geral da Fifa, brincando de "chutar cachorro morto", ao festejar a exclusão do Morumbi para a Copa do Mundo de 2014

A Copa-2010 em números (após o Dia 15)

Estatísticas gerais

Total de jogos disputados: 48
Total de gols: 101 (2,1 p/jogo)
Chutes a gol: 570 (11,9 p/jogo)
Faltas cometidas: 1479 (30,8 p/jogo)
Cartões amarelos: 139 (2,9 p/jogo)
Cartões vermelhos: 12 (0,2 p/jogo)

Estátisticas por equipes

Maior número de gols marcados - Argentina e Portugal: 7 gols (3,5 p/jogo)
Maior número de faltas cometidas - Austrália: 62 faltas (20,6 p/jogo)
Maior número de finalizações - Espanha: 46 finalizações (23 p/jogo)
Maior número de chutes a gol - Argentina: 30 chutes a gol (10 p/jogo)
Maior número de impedimentos - Honduras: 18 impedimentos (6 p/jogo)
Maior número de cartões - Chile: 11 cartões (3,67 p/jogo)

Estatísticas individuais
Maior número de finalizações -
Messi (Argentina): 20 (6,6 p/jogo)
Maior número de bolas perdidas - Kingson (Gana): 24 (8 p/jogo)
Maior número de impedimentos - Welcome e Alvarez (Honduras), Mphela (África do Sul), Novakovic (Eslovênia), Heskey (Inglaterra), Van Persie (Inglaterra) e Honda (Japão): 5 (1,66 p/jogo)
Maior número de desarmes - Bougherra (Argélia) e Grichting (Suíça): 8 (2,6 p/jogo)
Maior número de faltas cometidas - Fallon (Nova Zelândia): 15 (5 p/jogo)
Maior número de faltas sofridas - Honda (Japão): 17 (5,6 p/jogo)

Explicações para o fiasco
europeu na Copa do Mundo

Do blog do Rubão

Decadência europeia

A final da Liga dos Campeões entre Internazionale e Bayern de Munique, no último 22 de maio, reuniu 34 atletas de 16 países.

Destes, 10 eram alemães (5 titulares do time de Munique) e apenas eram 3 italianos, todos reservas. Haviam atletas do Brasil, da Argentina, Romênia, Camarões, Ucrânia, Croácia, Sérvia, Turquia, Romênia, Macedônia, Colômbia, Gana, Bélgica e Holanda.

Uma autêntica filial da ONU.

E qual é o resultado disso? Bem, basta olhar para a Copa. Das 13 seleções do continente - antes das partidas do Grupo H onde Espanha e Suíça têm chances - apenas 5 estarão nas oitavas.

Poderão ser, no máximo, 7. É provável que sejam 6. Um número baixo para um continente que quase sempre dominou as Copas e que, em 2006, teve todos os semifinalistas.

Qual é o motivo?

A verdade é simples: enquantos os times aproveitam a riqueza financeira para se fortalecerem com estrangeiros, as seleções sofrem com a falta de renovação e de interesse por parte dos times. É muito mais barato trazer promessas de todos os cantos do planeta. Por isso, Itália e França, finalistas de quatro anos atrás, estão fora.

A fome em contratar jogadores de todo o planeta e atrair garotos estrangeiros de até 12 ou 13 anos está matando o futebol, no continente. Isso vem ajudando a crescer movimentos nacionalistas e de extremistas que lotam as arquibancadas para xingar estrangeiros, principalmente os negros. O futebol é um fértil e perigoso campo para a volta do fascismo e do nazismo.

Sem renovação, as seleções padecem de bons jogadores e até treinadores. É por essa razão que vemos o baixo nível dos goleiros ingleses. Pudera, os nove times principais só utilizam estrangeiros. E boa parte dos arqueiros reservas também são de outros países.

E o que acontece? Escalam o horroroso David James, arqueiro do rebaixado Portsmouth e Robert Green, do quase rebaixado West Ham como titulares. Seria como termos guarda-metas do Atlético Goianiense e do Santo André, na Seleção Brasileira. Vale também dizer que o English Team é treinador pelo italiano Fabio Capello.

Desesperadas, seleções como Alemanha e Portugal naturalizam atletas de segunda linha de outros países para tentar ter uma sobrevida maior. Imagine você dizer para um alemão, 30 anos atrás, que uma dupla de poloneses seriam os atacantes titulares do selecionado nacional. Seria internado, no mínimo.

Quando não naturalizam alguém, se arrastam em campo com vários veteranos longe de seus melhores dias, como a Itália, exemplificada pelo capitão Fabio Cannavaro.

Confesso que, nesse caso, fiquei feliz: a Itália precisa ficar fora de uns três mundiais consecutivos, para ver se ajudam a enterrar o absurdo esquema de jogo dos quais são mestres, o famoso futebol de resultado, o famoso anti-jogo.

O que mais assusta a UEFA é o caminho sem volta tomado. Os clubes tornaram-se tão grandes ou até maiores que suas seleções e não se interessam mais em ajudar a seleção. Para piorar, a convivência entre a entidade e a FIFA é péssima há décadas.

A Copa vem mostrando jogadores milionários, mimados, enfastiados e felizes com a eliminação de suas seleções, porque o Mundial ocorre bem no meio de suas férias. Isso significa que alguns terão férias apenas em 2011, após uma extenuante temporada encerrada.

O inverso ocorre na América do Sul. Nossos clubes estão cada vez mais pobres e alijados de bons jogadores, mas as seleções vibram com o aprendizado dos jogadores na Europa e com a eterna renovação e valorização financeira de seus atletas.

Os dois caminhos são ruins: enfraquecer seleções ou os times está longe de ser saudável. Mas, pense em termos de Copa do Mundo: um torneio curto, de apenas sete jogos onde você precisa de jogadores em boas condições físicas e técnicas.

Quase todas os times europeus chegaram baleados em termos físicos e psicológicos. Alguns escalam jogadores sem as mínimas condições. Por essa razão temos dois times da Concaf nas oitavas (EUA e México), dois asiáticos (Japão e Coréia do Sul) e poderemos ter os cinco sul-americanos, fato inédito em Copas.

A mácula vem do continente africano, tendo apenas Gana na fase final. As seleções africanas ainda não aprenderam a encontrar um equilíbrio entre o talento natural e a disciplina européia de treinadores preocupados apenas em encher os bolsos.

Além disso, há o eterno problema de arrogância dos principais craques do continente - Samuel Eto'o e Didier Drogba são os melhores exemplos.

O resultado é que temos boas chances de termos duas, três ou até quatro seleções sul-americanas nas semifinais, ou, pelo menos, ausência de algum time europeu entre os quatro primeiros, algo inédito.

O que a Europa pode fazer para reverter isso? Quase nada. É um problema insolúvel e que pode piorar muito nos próximos 10, 20 anos.

E, dessa maneira, técnicos arrogantes, como José Mourinho, dirão que dirigem times mais fortes que as seleções nacionais e que o torneio entre clubes é o ponto máximo da carreira de qualquer treinador ou jogador. É verdade: ele vence a Liga dos Campeões e deixa a Copa para Brasil, Argentina e os outros países do terceiro mundo.

Deve ser por isso que a Inter - pentacampeã italiana - não cedeu jogador algum para a Squadra Azzurra no Mundial. Zero.

Valeu portuga. Adoramos a troca. Se bem que se não fossem Júlio César, Maicon, Lúcio, Cambiasso, Zanetti e Milito sua vida teria sido um inferno, não?

sexta-feira, 25 de junho de 2010

A Copa-2010 em números (após o Dia 14)

Estatísticas gerais

Total de jogos disputados: 44
Total de gols: 95 (2,2 p/jogo)
Chutes a gol: 529 (12 p/jogo)
Faltas cometidas: 1357 (30,8 p/jogo)
Cartões amarelos: 126 (3,7 p/jogo)
Cartões vermelhos: 11 (0,3 p/jogo)

Estátisticas por equipes

Maior número de gols marcados - Portugal: 7 gols (3,5 p/jogo)
Maior número de faltas cometidas - Suíça: 47 faltas (23,5 p/jogo)
Maior número de finalizações - Espanha: 46 finalizações (23 p/jogo)
Maior número de chutes a gol - Argentina: 30 chutes a gol (10 p/jogo)
Maior número de impedimentos - Chile: 13 impedimentos (6,5 p/jogo)
Maior número de cartões - Chile: 8 cartões (4 p/jogo)

Estatísticas individuais
Maior número de finalizações -
Messi (Argentina): 20 (6,6 p/jogo)
Maior número de bolas perdidas - Kingson (Gana): 24 (8 p/jogo)
Maior número de impedimentos - Mphela (África do Sul), Novakovic (Eslovênia), Heskey (Inglaterra), Van Persie (Inglaterra) e Honda (Japão): 5 (2,5 p/jogo)
Maior número de desarmes - Bougherra (Argélia): 8 (2,6 p/jogo)
Maior número de faltas cometidas - Fallon (Nova Zelândia): 15 (5 p/jogo)
Maior número de faltas sofridas - Honda (Japão): 17 (5,6 p/jogo)

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Larissa Riquelme embala a torcida
do Paraguai na Copa do Mundo

A moça da foto acima já ganhou o título de torcedora-símbolo desta Copa do Mundo. Larissa Riquelme, modelo paraguaia que já havia encantado os fotógrafos em Assunção acompanhando o jogo entre Itália x Paraguai, voltou a ser o centro das atenções nesta quinta-feira, na capital paraguaia, durante a partida contra a Nova Zelândia. Na verdade, ela foi a única coisa interessante naquele horroroso 0 a 0.

Agora, nas oitavas de final, ela promete encher o peito para incentivar os paraguaios!

quarta-feira, 23 de junho de 2010

As dançarinas da NBA 2009/10 (final)


Homenagem do blog às integrantes do Laker Girls, a equipe de dançarinas do Los Angeles Lakers, que na semana passada conquistou o título da temporada 2009/10 da NBA


Esta seção, que reúne as mais belas cheerleaders da NBA, voltará a ser publicada durante a temporada 2010/11, sempre às quartas-feiras

A Copa-2010 em números (após o Dia 12)

Estatísticas gerais

Total de jogos disputados:
36
Total de gols: 77 (2,1 p/jogo)
Chutes a gol: 434 (12 p/jogo)
Faltas cometidas: 1100 (30,5 p/jogo)
Cartões amarelos: 126 (3,5 p/jogo)
Cartões vermelhos: 11 (0,3 p/jogo)

Estátisticas por equipes

Maior número de gols marcados - Portugal: 7 gols (3,5 p/jogo)
Maior número de faltas cometidas - Suíça: 47 faltas (23,5 p/jogo)
Maior número de finalizações - Espanha: 46 finalizações (23 p/jogo)
Maior número de chutes a gol - Argentina: 30 chutes a gol (10 p/jogo)
Maior número de impedimentos - Chile: 13 impedimentos (6,5 p/jogo)
Maior número de cartões - Chile: 8 cartões (4 p/jogo)

Estatísticas individuais
Maior número de finalizações -
Messi (Argentina): 20 (6,6 p/jogo)
Maior número de bolas perdidas - Muslera (Uruguai): 19 (6,3 p/jogo)
Maior número de impedimentos - Heskey (Inglaterra): 5 (2,5 p/jogo)
Maior número de desarmes - Bougherra (Argélia): 7 (3,5 p/jogo)
Maior número de faltas cometidas - Diaby (França): 13 (4,3 p/jogo)
Maior número de faltas sofridas - Sanchez (Chile): 12 (6 p/jogo)

terça-feira, 22 de junho de 2010

Benito Archundia, árbitro de Portugal x Brasil, é velho conhecido dos brasileiros

Escolhido pela comissão de arbitragem da Fifa para apitar Portugal x Brasil, na próxima sexta-feira, o juiz mexicano Benito Archindia é um velho conhecido do futebol brasileiro.

Foi Archundia, de 44 anos, quem apitou o encontro entre Brasil 1 x 0 Croácia, estreia da seleção na Copa do Mundo da Alemanha, em 2006. Na ocasião, distribuiu quatro cartões amarelos, sendo três para jogadores croatas (Niko Kovac, Robert Kovac e Tudor) e um para o volante brasileiro Emerson. Naquele Mundial, Archundia apitou mais quatro partidas, entre elas a semifinal entre Alemanha e Itália. Distribuiu um total de 14 cartões amarelos e um vermelho.

Mas o primeiro contato de Archundia com o futebol brasileiro é bem mais antigo. Ele foi o árbitro na derrota da seleção para o Japão por 1 a 0, nos Jogos Olímpicos de Atlanta/96.

Ele também apitou duas vezes a decisão do Mundial de Clubes. E em uma delas, havia a presença de um time brasileiro, em 2005, entre São Paulo e Liverpool.

Domenech e a grosseria com Parreira

O técnico francês Raymond Domenech, que tanto valor dá ao lado esotérico de seus jogadores (não costuma trabalhar com atletas do signo de escorpião, por exemplo), encerrou nesta terça-feira sua participação na Copa do Mundo da África do Sul de maneira ridícula, como ridícula foi a participação francesa.

Ao final do jogo África do Sul 2 x 1 França, que culminou com a eliminação das duas equipes, o brasileiro Carlos Alberto Parreira, treinador da seleção sul-africana, dirigiu-se a ele para cumprimenta-lo quando de forma surpreendente Domenech recusou-se a apertar a mão do colega e virou-lhe às costas.

Espantado, Parreira o segurou e perguntou o que havia ocorrido. Em um inglês macarrônico, Domenech tentou justificar a grosseria como uma forma de protesto a uma declaração do brasileiro a respeito da polêmica classifcação da França para o Mundial, obtida com a famosa mãozinha de Henry, no jogo contra a Irlanda. Inacreditável!

Cada país tem o Dunga que merece.


Veja abaixo o campeão mundial em grosserias, Raymond Domenech:



A Copa-2010 em números (após o Dia 11)

Estatísticas gerais

Total de jogos disputados:
32
Total de gols: 67 (2,1 p/jogo)
Chutes a gol: 376 (12,8 p/jogo)
Faltas cometidas: 988 (30,9 p/jogo)
Cartões amarelos: 116 (3,6 p/jogo)
Cartões vermelhos: 10 (0,3 p/jogo)

Estátisticas por equipes

Maior número de gols marcados - Portugal: 7 gols (3,5 p/jogo)
Maior número de faltas cometidas - Suíça: 47 faltas (23,5 p/jogo)
Maior número de finalizações - Espanha: 46 finalizações (23 p/jogo)
Maior número de chutes a gol - Argentina: 18 chutes a gol (9 p/jogo)
Maior número de impedimentos - Chile: 13 impedimentos (6,5 p/jogo)
Maior número de cartões - Chile: 8 cartões (4 p/jogo)

Estatísticas individuais
Maior número de finalizações -
Messi (Argentina): 15 (7,5 p/jogo)
Maior número de bolas perdidas - Benaglio (Suíça): 18 (9 p/jogo)
Maior número de impedimentos - Heskey (Inglaterra): 5 (2,5 p/jogo)
Maior número de desarmes - Bougherra (Argélia): 7 (3,5 p/jogo)
Maior número de faltas cometidas - Fallon (Nova Zelândia): 12 (6 p/jogo)
Maior número de faltas sofridas - Sanchez (Chile): 12 (6 p/jogo)

segunda-feira, 21 de junho de 2010

A "Lei de Gerson" e o golaço de Luís Fabiano contra a Costa do Marfim

Os frequentadores mais jovens deste blog talvez já tenham ouvido falar da "Lei de Gérson", mas possivelmente não devam saber exatamente do que se trata. Esta lei (que nunca foi escrita, na verdade) fala sobre a necessidade quase patológica de que o brasileiro gosta de levar vantagem em tudo.

De forma infeliz e injusta, o craque Gérson, meia-armador da seleção brasileira que foi tricampeã mundial no México, em 1970, acabou tendo seu nome associado à tal lei em razão de ter gravado um comercial da marca de cigarros Vila Rica, em 1976, onde eternizou a frase "gosto de levar vantagem em tudo, certo?".



Neste domingo, a famigerada "Lei de Gérson" foi indiretamente evocada após o segundo gol do Brasil contra a Costa do Marfim, marcado por Luís Fabiano. Um golaço, com direito a dois chapéus. Um gol para entrar na história das Copas do Mundo, não fosse por um simples detalhe: o gol foi ilegal! A evidente condução da bola com o antebraço de Luís Fabiano já serviria para anluar a belíssima jogada. Uma pena, pois o lance foi lindo, mas fazer o quê?

Só que mais uma vez, a "Lei de Gérson" fez a pachecada que acompanha a seleção - e até alguns renomados profissionais de imprensa, é bom que se diga - esquecerem toda a ilegalidade do lance. O que vale é comemorar.

No Twitter, logo após o gol, o apresentador da Globo, Luciano Huck, foi o primeiro a apelar para o pragmatismo gersiniano. "A regra é clara: 2 chapéus seguidos da (sic) direito a uma ajeitadinha com o braço, né não?". Mais tarde, em uma mesa redonda, um comentarista se dizia aliviado (!!!) pelo fato do juiz não ter anulado o gol do brasileiro.

Incrível a forma pela qual o brasileiro analisa certas coisas. Embora o coitado do Gérson tenha sido vítima de um infeliz texto publicitário, o fato é que a praga do "levar vantagem em tudo" está impregnada na alma nacional. E quando o assunto é futebol, ela fala mais alto.

Particularmente, não tenho a menor vontade em festejar um gol ilegal da seleção brasileira como este de Luís Fabiano, embora tenha sido um golaço. E conheço muita gente que pensa como eu. Porém, boa parte acha que ganhar a Copa "levando vantagem em tudo"´é muito mais bacana.

Desta turma aí eu quero distância, viu!

Dunga é um caso para psicólogo

Parece inacreditável, mas é verdade: no dia em que a seleção brasileira consegue uma convincente vitória sobre a forte (e violenta) Costa do Marfim, garantindo por antecipação sua classificação para as oitavas de final da Copa do Mundo da África do Sul, o técnico Dunga destilo seu ódio mais uma vez em direção da imprensa.

Logo no início da entrevista coletiva obrigatória ao final da partida deste domingo, Dunga dirigiu-se de forma irônica ao jornalista Alex Escobar, da TV Globo, interrompendo sua própria resposta. Depois, enquanto aguardava as demais perguntas, Dunga encarava Escobar com um sorrisinho escroto e irônico, deixando escapar pelo microfone ofensas e palavrões que falava em voz baixa.

A atitude motivou uma resposta dura da Globo (veja vídeo abaixo), que mesmo tendo perdido seus privilégios dentro da seleção brasileira, vinha mantendo uma cobertura, digamos, positiva. Depois dos fatos deste domingo, não se sabe se esta linha irá prosseguir.



Dunga tem até o direito de não concordar com a cobertura da imprensa. Pode, e deve, reclamar quando achar que alguma reportagem contenha alguma informação equivocada. O que ele não pode é simplesmente destilar seu rancor e ódio com os jornalistas sem um motivo justo.

Ou ele diz claramente, dando os nomes aos bois, quem em sua opinião está pisando na bola, ou mantenha a compostura que o cargo exige. Porque ficar xingando baixinho e mostrando sorrisos irônicos são atitudes covardes e tacanhas.

A Copa-2010 em números (após o Dia 10)

Estatísticas gerais

Total de jogos disputados:
29
Total de gols: 57 (2 p/jogo)
Chutes a gol: 376 (13 p/jogo)
Faltas cometidas: 894 (30,8 p/jogo)
Cartões amarelos: 101 (3,5 p/jogo)
Cartões vermelhos: 9 (0,3 p/jogo)

Estátisticas por equipes

Maior número de gols marcados - Argentina e Brasil: 5 gols (2,5 p/jogo)
Maior número de faltas cometidas - França: 43 faltas (21,5 p/jogo)
Maior número de finalizações - Argentina: 42 finalizações (2,1 p/jogo)
Maior número de chutes a gol - Argentina: 18 chutes a gol (9 p/jogo)
Maior número de impedimentos - Alemanha: 10 impedimentos (5 p/jogo)
Maior número de cartões - Sérvia: 7 cartões (3,5 p/jogo)

Estatísticas individuais
Maior número de finalizações -
Messi (Argentina): 15 (7,5 p/jogo)
Maior número de bolas perdidas - Stojkovic (Sérvia): 17 (8,5 p/jogo)
Maior número de impedimentos - Heskey (Inglaterra): 5 (2,5 p/jogo)
Maior número de desarmes - Bougherra (Argélia): 7 (3,5 p/jogo)
Maior número de faltas cometidas - Fallon (Nova Zelândia): 12 (6 p/jogo)
Maior número de faltas sofridas - Nakazawa (Japão) e Suarez (Uruguai): 11 (5,5 p/jogo)

domingo, 20 de junho de 2010

Itália da vexame histórico contra a
Nova Zelândia e a cornetagem rola solta


O incrível empate em 1 a 1 contra a frágil Nova Zelândia disparou o alarme da eliminação na imprensa da Itália. E dá-lha cornetadas...
A versão online do tradicional jornal esportivo Tuttosport estampou em sua homepage que a causa do fracasso da Azzurra até agora na Copa da África do Sul é a falta do atacante Cassano e já fala sobre o fantasma da eliminação. Além disso, já começam a comparar o técnico campeão de 2006,. Marcello Lippi, com o francês Raymond Domenech.

Cornetagem com sotaque italiano.

E não é que o velho "soccer'" caiu
na boca do povo lá nos Estados Unidos?

A Copa do Mundo faz mesmo coisas incríveis. Ela é capaz até de tornar um esporte considerado bizarro pelo povo dos Estados Unidos tornar-se manchete de um de seus jornais mais tradicionais como o New York Times. Mas isso foi possível. Como disse um colunista americano, nem mesmo Pelé na época do Cosmos conseguiu tal feito.

O gol anulado, que daria a vitória da seleção dos EUA sobre a Eslovênia, na última sexta-feira, tornou-se literalmente assunto de bar em terras americanas. As pessoas por lá ainda não conseguiram entender o motivo pelo qual o juiz de Mali anulou o gol. Na verdade, em nenhuma parte do mundo alguém conseguiu entender.

E pensar que uma lambança de um árbitro colocou a Copa do Mundo na capa do NYT...

sábado, 19 de junho de 2010

A Copa-2010 em números (após o Dia 9)

Estatísticas gerais

Total de jogos disputados:
26
Total de gols: 49 (1,9 p/jogo)
Chutes a gol: 311 ( 12 p/jogo)
Faltas cometidas: 786 (30,2 p/jogo)
Cartões amarelos: 91 (3,5 p/jogo)
Cartões vermelhos: 8 (0,3 p/jogo)

Estátisticas por equipes

Maior número de gols marcados - Argentina: 5 gols (2,5 p/jogo)
Maior número de faltas cometidas - França: 43 faltas (21,5 p/jogo)
Maior número de finalizações - Argentina: 42 finalizações (2,1 p/jogo)
Maior número de chutes a gol - Argentina: 18 chutes a gol (9 p/jogo)
Maior número de impedimentos - Alemanha: 10 impedimentos (5 p/jogo)
Maior número de cartões - Sérvia: 7 cartões (3,5 p/jogo)

Estatísticas individuais
Maior número de finalizações -
Messi (Argentina): 15 (7,5 p/jogo)
Maior número de bolas perdidas - Stojkovic (Sérvia): 17 (8,5 p/jogo)
Maior número de impedimentos - Heskey (Inglaterra): 5 (2,5 p/jogo)
Maior número de desarmes - Bougherra (Argélia): 7 (3,5 p/jogo)
Maior número de faltas cometidas - Honda (Japão) e Diaby (França): 10 (5 p/jogo)
Maior número de faltas sofridas - Nakazawa (Japão) e Suarez (Uruguai): 11 (5,5 p/jogo)

sexta-feira, 18 de junho de 2010

A Copa-2010 em números (após o Dia 7)

Estatísticas gerais

Total de jogos disputados:
20
Total de gols: 38 (1,9 p/jogo)
Chutes a gol: 254 (12,7 p/jogo)
Faltas cometidas: 608 (30,4 p/jogo)
Cartões amarelos: 68 (3,4 p/jogo)
Cartões vermelhos: 6 (0,3 p/jogo)

Estátisticas por equipes

Maior número de gols marcados - Argentina: 5 gols (2,5 p/jogo)
Maior número de faltas cometidas - França: 43 faltas (21,5 p/jogo)
Maior número de finalizações - Argentina: 42 finalizações (2,1 p/jogo)
Maior número de chutes a gol - Argentina: 18 chutes a gol (9 p/jogo)
Maior número de impedimentos - México: 10 impedimentos
Maior número de cartões - México: 6 cartões (3 p/jogo)

Estatísticas individuais
Maior número de finalizações -
Messi (Argentina): 15 (7,5 p/jogo)
Maior número de bolas perdidas - Enyema (Nigéria): 15 (7,5 p/jogo)
Maior número de impedimentos - Gekas (Grécia) e Giovani (México): 4 (2 p/jogo)
Maior número de desarmes - Mascherano (Argentina) e Alvaro Pereira (Uruguai): 4 (2 p/jogo)
Maior número de faltas cometidas - Diaby (França): 10 (5 p/jogo)
Maior número de faltas sofridas - Suarez (Uruguai): 11 (5,5 p/jogo)

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Na novela Morumbi/Copa 2014, só não existe mocinho. Já vilão tem de sobra

Terminou nesta quarta-feira uma das polêmicas mais insuportáveis nos últimos tempos: a situação do Estádio do Morumbi como uma das sedes da Copa do Mundo de 2014, que será organizada pelo Brasil.

E terminou com o anúncio oficial da exclusão da arena do São Paulo da lista do comitê organizador e da Fifa. No lugar do Morumbi, até para a capital paulista não fique fora do Mundial, fala-se abertamente na construção de um novo estádio, localizado na região de Pirituba e já batizado "carinhosamente" de Piritubão, custando imorais R$ 700 milhões, pagos com o dinheiro adivinhem de quem. Outros também argumentam que cresceram as chances da Arena Palestra Itália ser apresentado como opção para São Paulo, caso a cidade não receba o jogo de abertura da Copa-2014.

Mas uma análise um pouco mais profunda precisa ser feita a respeito deste polêmico caso, cheio de idas e vindas, verdades (?) e mentiras (muitas), como este blog publicou em fevereiro. Sem paixões clubísticas ou interesses políticos.

Em primeiro lugar, a culpa da diretoria do São Paulo neste caso. Os cartolas tricolores têm uma parcela de responsabilidade grande neste episódio. Ou alguém pode imaginar que lá dentro dos muros do Morumbi eles não tinham a real noção de que não teriam condições de arcar com os custos astronômicos exigidos pela Fifa para a adequação do estádio? Por que ficaram protelando até o último momento, exigindo algo que não teriam competência de fazer? Será que o Juvenal Juvêncio acredita em Papai Noel ou em encontrar um pote de ouro no fim do arco-íris?

Agora, a questão da CBF. Que ninguém seja ingênuo em acreditar piamente nas palavras de Ricardo Teixeira. Se o São Paulo fosse seu aliado político, ou no mínimo mantivesse uma posição de neutralidade, duvido que o Morumbi não seria considerado apto para receber partidas da Copa, até mesmo o jogo de abertura.

Pelo que me consta, o Maracanã, que deverá abrigar a decisão do Mundial, já teve seu projeto de reforma rejeitado. Nem por isso lemos ou ouvimos declarações de ameaça ao maior estádio brasileiro. Sem falar nos demais projetos brasileiros, que nem saíram do papel ainda. Ou seja, o interesse político, pelo fato do São Paulo ter votado contra o candidato de Teixeira na eleição do Clube dos 13, teve um peso decisivo.

O lado da Fifa também é questionável. Como mostrou a Folha de S. Paulo na edição desta quinta-feira, os "defeitos imperdoáveis" que a entidade apontava no Morumbi não foram considerados pecados mortais para a Copa da África do Sul e nem mesmo no badalado Mundial da Alemanha em 2006. Estádios sul-africanos estão repletos de pontos cegos (como também o Olímpico de Berlim), com problemas de acesso graças ao trânsito congestionado e em alguns deles as arquibancadas ficam muito elevadas, deixando o torcedor distante do campo. Tudo aquilo que a Fifa criticou duramente no Morumbi. Estranho, não?

Por fim, a questão do Piritubão. Em sua edição de hoje, o Diário de S. Paulo traz ótima reportagem mostrando onde será erguida a nova arena, que deixaria a cidade de São Paulo em condições de receber o jogo de abertura. Duro é acreditar que naquele matagal todo, em apenas quatro anos, será construído um estádio "padrão Fifa". Quer dizer, será erguido, atendo a interesses sabe-se lá de quem e custando um valor indecente, provavelmente com dinheiro público. Tudo isso para receber seis ou sete jogos da Copa do Mundo. Depois, já se fala que o Corinthians herdará a nova arena.

Diante de tudo isso, muito cuidado com o que ler ou ouvir a respeito do novelão Morumbi-Copa 2014. Porque a verdade neste episódio ainda está muito distante de aparecer.

A Copa-2010 em números (após o Dia 6)

Estatísticas gerais

Total de jogos disputados:
17
Total de gols: 28 (1,64 p/jogo)
Chutes a gol: 217 (12,7 p/jogo)
Faltas cometidas: 494 (29 p/jogo)
Cartões amarelos: 53 (3,11 p/jogo)
Cartões vermelhos: 5 (0,3 p/jogo)

Estátisticas por equipes

Maior número de gols marcados - Alemanha: 4 gols
Maior número de faltas cometidas - África do Sul: 31 faltas (15,5 p/jogo)
Maior número de finalizações - Brasil e Uruguai: 26 finalizações
Maior número de chutes a gol - Alemanha: 10 chutes a gol
Maior número de impedimentos - Alemanha e Uruguai: 7 impedimentos
Maior número de cartões - África do Sul: 5 cartões (2,5 p/jogo)

Estatísticas individuais
Maior número de finalizações -
Forlan (Uruguai): 10
Maior número de bolas perdidas - Khune (África do Sul): 13
Maior número de impedimentos - Suarez (Uruguai), Mphela (África do Sul) e Heskey (Inglaterra): 4
Maior número de desarmes - Alvaro Pereira (Uruguai): 6
Maior número de faltas cometidas - Pienaar (África do Sul): 7
Maior número de faltas sofridas - Suarez (Uruguai): 11

quarta-feira, 16 de junho de 2010

As dançarinas da NBA 2009/10 (especial playoffs): Brilane, do Los Angekes Lakers




Brilane, estudante de artes na University of California Riverside, e que tem como hobbies praticar yoga/pilates, pescaria e pintura, é uma das integrantes das Lakers Gilrs, a equipe de dançarinas do Los Angeles Lakers.

Esta seção, que reúne as mais belas cheerleaders da NBA, é publicada às quartas-feiras

A Copa da cornetagem: após Túlio Tanaka, agora é Deco quem detona o treinador

“O técnico primeiro me pediu para abrir pela direita, algo que nunca fiz na minha carreira, pois não jogo de ponta, e depois me mudou de lugar”
Deco, jogador de Portugal, mostrando toda sua insatisfação com o esquema tático do técnico Carlos Queiroz no empate entre a seleção portuguesa e Costa do Marfim

A Copa-2010 em números (após o Dia 5)

Estatísticas gerais

Total de jogos disputados:
14
Total de gols: 23 (1,6 p/jogo)
Chutes a gol: 129 (9,2 p/jogo)
Faltas cometidas: 405 (28,9 p/jogo)
Cartões amarelos: 44 (3,1 p/jogo)
Cartões vermelhos: 4 (0,3 p/jogo)

Estátisticas por equipes

Maior número de gols marcados - Alemanha: 4 gols
Maior número de faltas cometidas - Camarões: 29 faltas
Maior número de finalizações - Brasil: 26 finalizações
Maior número de chutes a gol - Alemanha: 10 chutes a gol
Maior número de impedimentos - Alemanha: 7 impedimentos
Maior número de cartões - Austrália: 4 cartões

Estatísticas individuais
Maior número de finalizações -
Messi (Argentina): 8
Maior número de bolas perdidas - Ri Myong Guk (Coreia do Norte): 9
Maior número de impedimentos - Heskey (Inglaterra): 4
Maior número de desarmes - Mascherano (Argentina): 3
Maior número de faltas cometidas - Kahlenberg (Dinamarca), Diaby (França) e Tagoe (Gana): 6
Maior número de faltas sofridas - Nakazawa (Japão): 7

terça-feira, 15 de junho de 2010

Na boa: Dunga já está enchendo o saco!


"Desde que eu nasci existe este confronto, este debate entre a imprensa e o técnico da seleção. Existe a liberdade de opinião. Mas eu apanho de manha à noite. Aí, quando eu respondo, dizem que eu sou rancoroso. Mas eu levo porrada 24 horas e, quando respondo, é só um segundo. Mas o rancoroso sou eu"
Técnico Dunga, em mais um capítulo de sua saga incansável contra os jornalistas que cobrem a seleção brasileira, durante a última entrevista coletiva antes da estreia na Copa do Mundo da África do Sul, contra a Coreia do Norte, nesta terça-feira

segunda-feira, 14 de junho de 2010

A Copa-2010 em números (após o Dia 4)

Estatísticas gerais

Total de jogos disputados:
11
Total de gols: 18 (1,63 p/jogo)
Chutes a gol: 93 (8,45 p/jogo)
Faltas cometidas: 323 (29,3 p/jogo)
Cartões amarelos: 37 (3,3 p/jogo)
Cartões vermelhos: 4 (0,3 p/jogo)

Estátisticas por equipes

Maior número de gols marcados - Alemanha: 4 gols
Maior número de faltas cometidas - Camarões: 29 faltas
Maior número de finalizações - Argentina: 20 finalizações
Maior número de chutes a gol - Alemanha: 10 chutes a gol
Maior número de impedimentos - Alemanha: 7 impedimentos
Maior número de cartões - Austrália: 4 cartões

Estatísticas individuais
Maior número de finalizações -
Messi (Argentina): 8
Maior número de bolas perdidas - Seitaridis (Grécia): 8
Maior número de impedimentos - Heskey (Inglaterra): 4
Maior número de desarmes - De Rossi e Cannavaro (Itália), Agger (Dinamarca), Mascherano (Argentina), Yebda (Argélia) e Godin (Uruguai): 3
Maior número de faltas cometidas - Kahlenberg (Dinamarca), Diaby (França) e Tagoe (Gana): 6
Maior número de faltas sofridas - Nakazawa (Japão): 7

domingo, 13 de junho de 2010

A Copa 2010 em números (após o Dia 3)


Estatísticas gerais
Total de jogos disputados: 8
Total de gols: 13 (1,6 p/jogo)
Chutes a gol: 68 (8,5 p/jogo)
Faltas cometidas: 211 (26,4 p/jogo)
Cartões amarelos: 30 (3,7 p/jogo)
Cartões vermelhos: 4 (0,5 p/jogo)

Estátisticas por equipes
Maior número de gols marcados - Alemanha: 4 gols
Maior número de faltas cometidas - França: 20 faltas
Maior número de finalizações - Argentina: 20 finalizações
Maior número de chutes a gol - Alemanha: 10 chutes a gol
Maior número de impedimentos - Alemanha: 7 impedimentos
Maior número de cartões - Austrália: 4 cartões

Estatísticas individuais
Maior número de finalizações -
Messi (Argentina): 8
Maior número de bolas perdidas - Seitaridis (Grécia): 8
Maior número de impedimentos - Heskey (Inglaterra): 4
Maior número de desarmes - Mascherano (Argentina), Yebda (Argélia) e Godin (Uruguai): 3
Maior número de faltas cometidas - Diaby (França) e Tagoe (Gana): 6
Maior número de faltas sofridas - Messi (Argentina), Lee Young Pyo (Coreia do Sul), Arevalo, Perez e Suarez (Uruguai) e Schweinsteiger (Alemanha): 4

Dança dos treinadores agita o futebol brasileiro durante a Copa do Mundo

Para quem achava que o período de disputa da Copa do Mundo seria marcado pela falta de notícias nos clubes brasileiros. Afinal, quem estaria preocupado com o noticiário habitual destes times enquanto os olhos do planeta estão voltados para a África do Sul?

Bom, eis que os fatos estão aí para desmentir esta falsa impressão. Como a bombástica informação deste domingo, com a confirmação da volta de Luiz Felipe Scolari para comandar o Palmeiras. Felipão retorna ao clube que o consagrou e conquistou o título da Libertadores de 1999.

Mas outras mudanças também agitaram o mercado dos treinadores nesta fim de semana. Celso Roth trocou o Vasco da Gama pelo Internacional, enquanto Paulo César Gusmão, que cumpria belíssima campanha com o Ceará, vice-líder do Brasileirão, foi contratado pelo Vasco.


Clique aqui para conferir todas as mudanças de treinadores no atual Brasileirão.

sábado, 12 de junho de 2010

Copa 2010 em números (após o Dia 2)


Estatísticas gerais
Total de jogos disputados: 5
Média de gols: 1,4 p/jogo
Chutes a gol: 134 (26,8 p/jogo)
Faltas cometidas: 130 (26 p/jogo)
Cartões amarelos: 18 (3,6 p/jogo)
Cartões vermelhos: 1 (0,2 p/jogo)

Estátisticas por equipes
Maior número de gols marcados - Coreia do Sul: 2 gols
Maior número de faltas cometidas - França: 20 faltas
Maior número de finalizações - Argentina: 20 finalizações
Maior número de chutes a gol - Inglaterra: 8 chutes a gol
Maior número de impedimentos - México: 6 impedimentos
Maior número de cartões - Uruguai: 3 cartões

Estatísticas individuais
Maior número de finalizações -
Messi (Argentina): 12
Maior número de bolas perdidas - Seitaridis (Grécia): 8
Maior número de impedimentos - Heskey (Inglaterra): 4
Maior número de desarmes - Mascherano (Argentina): 3
Maior número de faltas cometidas - Diaby (França): 6
Maior número de faltas sofridas - Messi (Argentina), Lee (Coreia do Sul), Arevalo, Perez e Suarez (Uruguai): 4

GP do Canadá de F-1: conheça
o circuito Gilles Villeneuve


Circuito Gilles Villeneuve
Traçado:
4.361m
Número de voltas: 70 (305,270 km)
Número de curvas: 12 (5 para a esquerda, 7 para a direita)
Velocidade máxima alcançada: 348 km/h
Recorde de volta mais rápida: Rubens Barrichello (Ferrari) - 1min13s622 (2004)
Recorde de pole position: Ralf Schumacher (Williams) - 1min12s275 (2004)
Pole em 2008: Lewis Hamilton (McLaren) - 1min17s886
Pódio em 2008: 1º) Robert Kubica (BMW/POL); 2º) Nick Heidfeld (BMW/ALE); 3º) David Coulthard (Red Bull/ESC)

Depois de quebrar Drogba,
Tanaka quer quebrar o técnico


“Se jogarmos como o técnico nos disse, dificilmente conseguiremos mostrar algo”
Zagueiro Marcus Túlio Tanaka, brasileiro naturalizado japonês, detonando publicamente o trabalho do técnico da seleção do Japão, Takeshi Okada. Só para lembrar, Tanaka é o mesmo que foi responsável pela fratura no braço do marfinense Drogba, num amistoso

sexta-feira, 11 de junho de 2010

A história dos jogos
de abertura das Copas

A partida de hoje entre África do Sul e México, o primeiro da 19ª Copa do Mundo, foi o 12º jogo inaugural oficial na história do torneio. Até o Mundial da Inglaterra, em 1966, não existia uma partida de abertura de fato. Os jogos da primeira rodada ocorriam simultaneamente, às vezes com a diferença de poucas horas entre eles.

Foi apenas na Copa de 66 que ocorreu pela primeira vez uma partida inaugural, isolada. Foi um joguinho bem sem graça aquele Inglaterra 0 x 0 Uruguai, mostrado no vídeo abaixo:




E iniciou-se a partir de então uma "tradição" nada agradável de que os jogos de abertura sempre terminassem empatados e sem gols. Isso durou até a Copa da Espanha/82, quando a Bélgica derrotou a campeã mundial Argentina por 1 a 0, gol de Vandenbergh, aos 17min do segundo tempo.

Até o Mundial de 90, na Itália, apenas uma partida ocorria no "dia 1" das Copas. E sempre o último campeão tinha a primazia de abrir o torneio. A partir dos EUA, em 1994, começaram a ser programados dois jogos, mas nunca ocorrendo ao mesmo tempo.

Desde a Copa de 2006, quando o campeão do Mundial anterior deixou de ter a vaga garantida antecipadamente, o país anfitrião voltou a protagonizar o primeiro jogo do torneio.

Confira abaixo todos os jogos de abertura na história das Copas do Mundo:

11/07/1966 (Copa da Inglaterra) - Inglaterra 0 x 0 Uruguai
31/05/1970 (Copa do México) - México 0 x 0 URSS

13/06/1974 (Copa da Alemanha) - Brasil 0 x 0 Iugoslávia
1º/06/1978 (Copa da Argentina) - Alemanha Oc. 0 x 0 Polônia
13/06/1982 (Copa da Espanha) - Argentina 0 x 1 Bélgica
31/05/1986 (Copa do México) - Bulgária 1 x 1 Itália
08/06/1990 (Copa da Itália) - Argentina 0 x 1 Camarões
17/06/1994 (Copa dos EUA) - Alemanha 1 x 0 Bolívia
10/06/1998 (Copa da França) - Brasil 2 x 1 Escócia
31/05/2002 (Copa da Coreia e do Japão) - França 0 x 1 Senegal
09/06/2006 (Copa da Alemanha) - Alemanha 4 x 2 Costa Rica

O futebol de botão na
vida de um jornalista


O Esporte Fino, um dos melhores blogs esportivos independentes que existem no blogosfera, publicou um post sensacional nesta quinta-feira, ao apresentar a seus leitores o Escudinhos, criação do publicitário carioca MarcosVP, um blog no qual ele coloca à disposição kits com escudos para times de botão. Para os que gostam do assunto, uma viagem imperdível.

E enquanto "viajava" curtindo os lindos kits preparados pelo MarcosVP, lembrei-me de minha própria infância e de quanto o futebol de botão (ou futebol de mesa, para os mais puristas) influenciou em minha vida e na minha própria escolha profissional.

Pois tenha certeza que a maioria absoluta dos jornalistas esportivos da minha geração tomaram este rumo em suas carreiras boa parte em razão destes pequenos e mágicos botões. Criava um verdadeiro universo paralelo toda vez em que me colocava diante do velho e bom Estrelão, que ainda mantenho intacto como herança para os meus filhos.

E foram incontáveis campeonatos, copas, amistosos, todos narrados, catalogados com súmulas, tabelas de classificação e até artilheiros.

Para quem curtiu futebol de botão, não há videogame que consiga reproduzir, por mais avanços tecnológicos que possua, as mesmas sensações que tivemos em nossa infância.

As dançarinas da NBA 2009/10 (especial playoffs): Jenna, do Boston Celtics




Jenna, nascida em Long Island (New York), tem como mania colecionar ingressos de cinema e que gostaria de ter nascido nos anos 40 e 50 para curtir as músicas de Frank Sinatra, é uma das integrantes das Celtic Dancers, as dançarinas do Boston Celtics.

Esta seção, que reúne as mais belas cheerleaders da NBA, é publicada às quartas-feiras (ou às sextas, dependendo da atribulada vida do blogueiro)

Hora de arrumar a casa


Na campanha publicitária para divulgar seu novo projeto gráfico, a Folha de S. Paulo garante que lançou o jornal do futuro. E metido a besta que sou, resolvi aproveitar o gancho da abertura da Copa do Mundo para dar um "tapa" no visual do blog, que já andava bem gastinho,´tenho que admitir.

Na verdade, são apenas algumas pequenas mudanças, já ensaiando para uma reforma na casa mais radical, ainda sem data para ser concluída.

Espero que gostem.

Dias longos, tempo curto


O (raro) leitor deste blog deve notado que este blog anda criando teia de aranha. Posts sendo colocados no ar em um ritmo pra lá de preguiçoso.

Mas antes de chamar o blogueiro de relapso ou braço curto, três palavras podem explicar esta súbita queda de ritmo: Copa do Mundo.

Quem não é jornalista talvez não se dê conta da insanidade que é a cobertura da competição mais importante do futebol mundial. Em alguns momentos a gente tem a nítida impressão que a coisa não vai dar certo. Mas não é que no final sempre dá?

A loucura tem sido tamanha que até mesmo seções campeãs de audiência do blog, como a das dançarinas da NBA, tiveram sua publicação semanal atrapalhada.

Mas vamos em frente. Talvez não do jeito que gostaríamos, mas mantendo o blog na ativa. E contando, é óbvio, com a companhia de todos.



terça-feira, 8 de junho de 2010

O baú das Copas (16)




Copa do Mundo da França - 1998

Período de disputa: 10/06 a 12/07/1998
Cidades-sede: Bordeaux, Lens, Lyon, Marseilles, Montpellier, Nantes, Paris, St.Denis, St.Etienne e Toulouse
Estádios utilizados: Stade de France (St. Denis), Stade de la Mosson (Montpellier), Stade Lescure (Bordeaux), Stade Atlantique (Nantes), Stade Vélodrome (Marseilles), Stade G.Guichard (St.Etienne), Stade Municipal (Toulouse), Stade Felix Bollaert (Lens), Parc des Princes (Paris) e Stade Garland (Lyon)
Eliminatórias: 174 seleções inscritas, 170 seleções participantes
Países participantes: 32
Total de jogos: 64
Total de gols marcados: 171
Média de gols: 2,67 gols/jogo

1º gol da Copa: César Sampaio, aos 5min do jogo Brasil 2 x 1 Escócia
Último gol da Copa: Petit (França), aos 93 min do jogo Brasil 0 x 3 França

Artilheiro: Suker (Croácia) - 6 gols
Melhor ataque: França - 15 gols
Pior ataque: Colômbia, Japão, Tunísia, EUA, EUA e Bulgária - 1 gol

Melhor defesa: França e Paraguai - 2 gols
Pior defesa: Brasil - 11 gols
Total de público: 2.923.000 pessoas
Média: 45.672 pessoas/jogo
Jogador mais jovem da Copa: Eto'o (Camarões) - 17 anos e 99 dias
Jogador mais velho da Copa: Leighton (Escócia) - 39 anos e 300 dias


CLASSIFICAÇÃO FINAL:


  1. França
  2. Brasil
  3. Croácia
  4. Holanda
  5. Itália
  6. Argentina
  7. Alemanha
  8. Dinamarca
  9. Inglaterra
  10. Iugoslávia
  11. Romênia
  12. Nigéria
  13. México
  14. Paraguai
  15. Noruega
  16. Chile
  17. Espanha
  18. Marrocos
  19. Bélgica
  20. Irã
  21. Colômbia
  22. Jamaica
  23. Áustria
  24. África do Sul
  25. Camarões
  26. Tunísia
  27. Escócia
  28. Arábia Saudita
  29. Bulgária
  30. Coreia do Sul
  31. Japão
  32. EUA

Foto: Zidane, o craque da França, erguew a Taça Fifa após ganhar o título mundial de 1998
Crédito: Fifa.com

segunda-feira, 7 de junho de 2010

O baú das Copas (15)


Copa do Mundo dos EUA - 1994

Período de disputa: 17/06 a 17/07/1994
Cidades-sede: Boston, Chicago, Dallas, Detroit, Los Angeles (Pasadena), Orlando, San Francisco, Nova York/Nova Jersey e Washington
Estádios utilizados: Pontiac Silverdome (Detroit), Rose Bowl (Los Angeles), Stanford Stadium (San Francisco), Soldier Field (Chicago), Cotton Bowl (Dallas), Foxboro Stadium (Boston), Giants Stadium (Nova York/Nova Jersey), RFK Memorial Stadium, Citrus Bowl (Orlando)
Eliminatórias: 147 seleções inscritas, 133 seleções participantes
Países participantes: 24
Total de jogos: 52
Total de gols marcados: 141
Média de gols: 2,71 gols/jogo

1º gol da Copa: Klinsmann (Alemanha), aos 61min do jogo Alemanha 1 x 0 Bolívia
Último gol da Copa: Kennet Andersson (Suécia), aos 40min do jogo Suécia 4 x 0 Bulgária

Artilheiro: Salenko (Rússia) e Stoichkov (Bulgária) - 6 gols
Melhor ataque: Suécia - 15 gols
Pior ataque: Grécia - 0 gol

Melhor defesa: Noruega - 1 gol
Pior defesa: Camarões e Bulgária - 11 gols
Total de público: 3.557.500 pessoas
Média: 68. 413 pessoas/jogo
Jogador mais jovem da Copa: Song (Camarões) - 17 anos e 353 dias
Jogador mais velho da Copa: Milla (Camarões) - 42 anos e 39 dias


CLASSIFICAÇÃO FINAL:

  1. BRASIL
  2. Itália
  3. Suécia
  4. Bulgária
  5. Alemanha
  6. Romênia
  7. Holanda
  8. Espanha
  9. Nigéria
  10. Argentina
  11. Bélgica
  12. Arábia Saudita
  13. México
  14. Noruega
  15. EUA
  16. Suíça
  17. Irlanda
  18. Rússia
  19. Colômbia
  20. Coreia do Sul
  21. Bolívia
  22. Camarões
  23. Grécia
  24. Marrocos

Foto: Dunga exibe a Taça Fifa, quebrando um jejum de 24 anos sem títulos mundiais da seleção brasileira
Crédito: Fifa.com

domingo, 6 de junho de 2010

Susana Vieira na Copa do Mundo?
Quem merece este castigo?

Da Folha.com - 6/06/2010

Outro Canal: Susana Vieira será repórter da SporTV na Copa do Mundo

DE SÃO PAULO

A atriz Susana Vieira, 67, será uma das celebridades que servirão de repórteres ocasionais para o canal pago SporTV durante a Copa do Mundo na África do Sul.

A informação é da coluna Outro Canal, assinada por Andréa Michael e publicada na Folha deste domingo (6).
Os repórteres vão filmar com celulares "smartphone" distribuídos pelo SporTV. Os filmetes serão exibidos em horários ainda a definir.

Além de Suzana, pelo menos outras dez celebridades participam da estratégia de marketing. Entre os nomes certos estão Regina Duarte, Flávia Alessandra, Letícia Spiller, Marcos Pasquim e Mart'nália.

Outros famosos estão negociando a participação.

O baú das Copas (14)


Copa do Mundo da Itália - 1990

Período de disputa: 08/06 a 08/07/1990
Cidades-sede: Bari, Bolonha, Cagliari, Florença, Genova, Milão, Nápoles, Palermo, Roma, Torino, Udine e Verona
Estádios utilizados: Olimpico (Roma), Communale (Florença), Giuseppe Meazza/San Siro (Milão), San Nicola (Bari), San Paolo (Nápoles), Delle Alpi (Turim), Luigi Ferraris (Genova), Renato Dall'Ara (Bolonha), Marc Antonio Bentegodi (Verona), Friuli (Udine), Sant' Elia (Cagliari) e Della Favorita (Palermo),
Eliminatórias: 116 seleções inscritas, 105 seleções participantes
Países participantes: 24
Total de jogos: 52
Total de gols marcados: 115
Média de gols: 2,21 gols/jogo

1º gol da Copa: Omam-Biyik (Camarões), aos 67min do jogo Argentina 0 x 1 Camarões
Último gol da Copa: Brehme (Alemanha Ocidental), aos 85min do jogo Alemanha Ocidental 1 x 0 Argentina

Artilheiro: Schillaci (Itália) - 6 gols
Melhor ataque: Alemanha - 15 gols
Pior ataque: Egito e Coreia do Sul - 1 gol

Melhor defesa: Brasil, Itália e Egito - 2 gols
Pior defesa: Emirados Árabes Unidos - 11 gols
Total de público: 2.517.300 pessoas
Média: 48.411 pessoas/jogo
Jogador mais jovem da Copa: Gonzalez (Costa Rica) - 19 anos e 307 dias
Jogador mais velho da Copa: Shilton (Inglaterra) - 40 anos e 292 dias


CLASSIFICAÇÃO FINAL:

  1. Alemanha Ocidental
  2. Argentina
  3. Itália
  4. Inglaterra
  5. Iugoslávia
  6. Tchecoslováquia
  7. Camarões
  8. Irlanda
  9. BRASIL
  10. Espanha
  11. Costa Rica
  12. Bélgica
  13. Romênia
  14. Holanda
  15. Uruguai
  16. Colômbia
  17. Áustria
  18. Escócia
  19. URSS
  20. Egito
  21. Suécia
  22. EUA
  23. Coreia do Sul
  24. Emirados Árabes Unidos

Foto: Lothar Matthaeus, capitão da Alemanha Ocidental, carrega a taça após a vitória sobre a Argentina na decisão
Crédito: Fifa.com

sábado, 5 de junho de 2010

Este é Viktor Kassai, o árbitro de
Brasil x Coreia do Norte

Este rapaz aí da foto ao lado terá uma missão bem espinhosa no próximo dia 15 de junho: apitar simplesmente o jogo de estreia do Brasil na Copa do Mundo de 2010, diante da Coreia do Norte, no Estádio Ellis Park.

O húngaro Viktor Kassai, de 34 anos (10/09/1975), de 1m89 de altura, trabalha como supervisor de vendas e além de húngaro fala também inglês. É árbitro internacional desde 2003 e o primeiro jogo que apitou foi entre Eslováquia e Luxemburgo, no dia 18 de agosto de 2004.

Kassai tem como principal participação internacional o torneio olímpico de futebol dos Jogos de Pequim, em 2008. Fora dos gramados, adora ir ao cinema e praticar esportes.

Lula dá um pito no esporte olímpico brasileiro e cobra fiscalização

"Eu acho que todo o dinheiro que a gente (governo federal) tiver que colocar tem que ser com base num plano de metas, e ser fiscalizado por todos nós, para que possamos atingir nossos
objetivos"
Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao cobrar das confederações esportivas (e por tabela, do Comitê Olímpico Brasileiro) um programa de metas e fiscalização pela utilização do dinheiro público, visando as Olimpíadas de Londres

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Que Drogba!

Com o perdão do trocadilho infame, a Copa do Mundo do África do Sul nem começou e já estamos diante de uma quantidade impressionante de ausências (ou possíveis ausências) por causa de contusões. Nesta sexta-feira, duas estrelas foram as novas baixas: o zagueiro inglês Ferdinand e o atacante marfinense Drogba.

Ferdinand já está devidamente cortado, após contundir o joelho esquerdo em um treinamento da seleção inglesa, em Rustenburg. Levado ao hospital, constatou-se a necessidade de cirurgia. Ou seja, fora da Copa.

Já a contusão com Drogba, astro da Costa do Marfim, segunda adversária da seleção brasileira no Mundial, ainda não sentenciou o corte definitivo do atacante. Mas o lance com o brasileiro naturalizado japonês Marcos Túlio Tanaka, durante o amistoso entre os marfinenses e o Japão, parecia cena de um filme pastelão. A entrada de Tanaka em Drogba foi ridícula e o jogador acabou quebrando o braço. Será operado, mas os médicos garantem que ele estará pronto para pegar o Brasil, no próximo dia 20.

Será?

Reveja abaixo o lance da fratura de Drogba:


quinta-feira, 3 de junho de 2010

Dunga e sua paciência tibetana

"Não pense que eu tenho alguma coisa contra (jornalistas) não. Cada um tem de fazer seu trabalho. Cada um pergunta o que quer e pode ouvir o que não quer. É uma democracia"

Dunga, técnico da seleção brasileira, em mais uma prova de seu temperamento afável e amistoso, durante a entrevista coletiva desta quinta-feira.

O baú das Copas (13)


Copa do Mundo do México - 1986

Período de disputa: 31/05 a 29/06/1986
Cidades-sede: Guadalajara, Irapuato, Leon, Cidade do México, Monterrey, Nezahualcoyotl, Puebla, Queretaro e Toluca
Estádios utilizados: Azteca (Cidade do México), Olímpico (Cidade do México), Cuauhtemoc (Puebla), Bombonera (Toluca), Sergio Leon (Leon), Revolución (Irapuato), Jalisco (Guadalajara), Trez de Marzo (Guadalajara), Tecnológico (Monterrey), La Corregidora (Queretaro), Neza '86 (Nezahualcoyotl), Universitário (Monterrey)
Eliminatórias: 121 seleções inscritas, 113 seleções participantes
Países participantes: 24
Total de jogos: 52
Total de gols marcados: 132
Média de gols: 2,54 gols/jogo

1º gol da Copa: Altobelli (Itália), aos 44min do jogo Bulgária 1 x 1 Itália
Último gol da Copa: Burruchaga (Argentina), aos 88min do jogo Argentina 3 x 2 Alemanha Ocidental

Artilheiro: Lineker (Inglaterra) - 6 gols
Melhor ataque: Argentina - 14 gols
Pior ataque: Canadá - 0 gol

Melhor defesa: Brasil - 1 gol
Pior defesa: Bélgica - 15 gols
Total de público: 2.403.000 pessoas
Média: 43.211 pessoas/jogo
Jogador mais jovem da Copa: Cruz (México) - 20 anos e 10 dias
Jogador mais velho da Copa: Jennings (Irlanda do Norte) - 41 anos


CLASSIFICAÇÃO FINAL:
  1. Argentina
  2. Alemanha Ocidental
  3. França
  4. Bélgica
  5. BRASIL
  6. México
  7. Espanha
  8. Inglaterra
  9. Dinamarca
  10. URSS
  11. Marrocos
  12. Itália
  13. Paraguai
  14. Polônia
  15. Bulgária
  16. Uruguai
  17. Portugal
  18. Hungria
  19. Escócia
  20. Coreia do Sul
  21. Irlanda do Norte
  22. Argélia
  23. Iraque
  24. Canadá

Foto: Diego Maradona é carregado em triunfo após a vitória sobre a Alemanha Oc., na final da Copa do México
Crédito: Fifa.com

Related Posts with Thumbnails