boo-box

terça-feira, 30 de novembro de 2010

As "pérolas" que os treinadores
brasileiros disparam a cada dia

Reportagem assinada pelo blogueiro e publicada originalmente no portal iG Esporte nesta terça-feira, 30 de novembro

Com frases confusas e bom humor, técnicos transformam entrevistas numa atração à parte
As coletivas dos “professores” reúnem desde declarações enigmáticas até um inusitado protesto contra programas de milhagem das companhias aéreas

Marcelo Laguna, iG São Paulo


Oswaldo de Oliveira: "futebol é contest"/Crédito: site oficial do Kashima Antlers
 Que as entrevistas coletivas dos treinadores, após os treinos ou jogos, costumam muitas vezes ficar no lugar comum, não é nenhuma novidade. Mas se analisarmos com um pouco mais de atenção as palavras dos técnicos que comandam as equipes neste Campeonato Brasileiro, poderemos encontrar declarações cheias de humor, outras um tanto misteriosas e até aquelas em que só com muito esforço é possível descobrir o que o “professor” quis dizer.

Entre os técnicos mais badalados do futebol brasileiro, Emerson Leão já ficou famoso por suas entrevistas. Ex-treinador do rebaixado Goiás, Leão adora colocar adjetivos e pronomes onde normalmente eles são dispensáveis, tornando as frases confusas. Já quem gosta de dar entrevistas "diferentes" é Oswaldo de Oliveira, há anos trabalhando com sucesso no futebol japonês.

Quando era comandante do São Paulo, entre 2002 e 2003, surpreendeu os repórteres que estavam no CT da Barra Funda, ao disparar numa coletiva que “futebol é contest”, em uma tentativa pouco comum para definir que está na competição, na disputa, a essência do futebol.

Hoje em dia, o maior representante das entrevistas despojadas do “estilo boleiro” é Tite, treinador do Corinthians. Professor de educação física, inteligente e com um vocabulário muito rico, Tite acaba deixando seu lado prolixo prevalecer, tornando as entrevistas um verdadeiro labirinto de ideias.

Não foi à toa que na internet já surgiu uma brincadeira com o estilo das entrevistas do técnico gaúcho: “O Fabuloso Gerador de Entrevistas Coletivas do técnico Tite”, citado em um post do Blog da Redação do iG, ironiza o que já se tornou conhecido entre os jornalistas como “titês.

Em uma de suas recentes coletivas, Tite disparou esta tese: "Não acredito que só a defesa que defende. Entendo que uma equipe se defende. Eu tenho ‘N’ exemplos. O Zico participava muito do jogo sem bola. O Maradona, no livro dele, diz que ele e o Valdano dificultavam a saída de bola dos adversários da Argentina, na Copa de 86. Em 2002, vocês se lembram? A jogada que deu origem ao primeiro gol da final nasceu de uma roubada de bola do Ronaldo, que tocou para o Rivaldo chutar, o Kahn dar o rebote, e o Ronaldo marcar. Eu acredito que é a equipe que se defende e é a equipe que ataca", disse o treinador, divagando um pouco, quando perguntado sobre a importância da defesa corintiana.

Logo em sua chegada ao Corinthians, antes do clássico contra o Palmeiras, Tite se enrolou para falar de seu papel no dérbi. “A minha contribuição para a equipe é de dar esta harmonia, neste curto espaço de tempo, nestes oito jogos decisivos. Neste primeiro jogo contra o Palmeiras, eu sei da grandeza do clássico, de retomar, de dar mais um passo na retomada daquele mesmo padrão que o Corinthians tinha tempos atrás.”

Resposta padrão
O antecessor de Tite, Adilson Batista, já tinha na ponta da língua uma resposta sempre que os jornalistas pensavam em questioná-lo sobre a dificuldade de alguma partida. “Não existe jogo fácil. Na verdade, a única partida fácil vai ser contra vocês (jornalistas) no final do ano. Nesse eu sei que a gente ganha fácil. Tem uns são-paulinos pra chegar junto. Esse jogo vai ser fácil. Esse eu garanto.”, disse Adilson quando ainda era técnico do Corinthians em pelo menos três entrevistas coletivas pré-jogo. Era com essa resposta que ele lidava com perguntas sobre a possível facilidade que o clube enfrentaria contra adversários como Grêmio Prudente, Ceará e Atlético-GO, todos adversários que enfrentou no Pacaembu.

Como é tradição nos grandes clubes, sempre ao fim das temporadas, há uma “pelada” entre membros da comissão técnica e os jornalistas que cobrem o dia a dia do clube. Adilson só não resistiu no cargo para colocar sua teoria em campo.

Outro que às vezes se perde na tentativa de explicar demais seu raciocínio é Paulo César Carpegiani, treinador do São Paulo. Ao comentar o motivo de ter trocado Casemiro por Marlos, na vitória de 2 a 1 sobre o Atlético-PR, no returno, Carpegiani saiu-se desta maneira: "Não sei se vocês estão pegando. Na minha cabeça é um tabuleiro e fica fácil de explicar para vocês. O Casemiro saiu porque existia a necessidade de eu colocar um atacante. O Marlos confundiu a marcação, havia a necessidade de trazer mais o Jean para o meio, trazendo o Carlinhos e o Fernandão”, explicou o treinador. “Gostei porque tivemos bastante posse, dominamos o adversário. Sempre foi um jogo perigoso, o Atlético-PR vendeu caro a derrota, mas nós impusemos o ritmo, era para ser mais dilatado o escore. O 2 a 1 podia redundar no escore, causar algum transtorno. Casemiro não saiu porque errou a bola, não faço esse castigo". Será que alguém está perguntando onde esta a tecla SAP para entender Carpegiani?

Bom humor

Mas o campeão das entrevistas divertidas deste Campeonato Brasileiro é o treinador do Botafogo, Joel Santana. Em parte por causa da boa campanha da equipe carioca na competição, Joel é dono de um humor contagiante. E faz questão de mostrar isso nas entrevistas. "Quando você vai numa festa de criança, você prefere pastel ou empadinha? Eu prefiro os dois, rapaz, é difícil demais escolher. Eu gosto dos dois", comentou Joel Santana, sobre jogar com bola aérea ou bola rasteira.

Antes do duelo contra o Palmeiras, no dia 10 de outubro, pelo returno do Brasileirão, Joel resolveu brincar com Luiz Felipe Scolari. "Nenhum dos dois jogou nada. Fomos muito ruins, demais. Deve ser por isso que somos bons técnicos hoje. E eu convivo com muitos profissionais que vivem falando que jogaram muito bem. Jogaram nada, gente, é tudo balela. Por isso é bacana, o Felipão também admite que foi grosso de doer", afirmou Joel, sobre a carreira dele e de Felipão como jogadores.

A mais estranha entrevista do treinador botafoguense, contudo, foi quando ele resolveu protestar contra as companhias aéreas que não liberava as milhas de suas viagens. "Passei o dia irritado desde ontem. Tenho muitas milhas para trocar e vou perdê-las. Quero trocar, mas não consigo falar com a companhia aérea de jeito nenhum. Vocês têm que colocar ai no jornal, isso é sério. Eles fazem a gente de gato e sapato”, reclamou.

Até entre os treinadores mais consagrados as entrevistas são inusitadas. Ninguém superou em 2010, neste quesito, Luiz Felipe Scolari, que muitas vezes confundiu sarcasmo e ironia com falta de educação em suas respostas. “Que saco vocês, hein tchê? E daí? Jogou bem. Dezoito minutos para mim está ótimo. Se amanhã jogar dez, está melhor ainda. Vocês estão de palhaçada. Entrevistem o médico. P..., todos vocês estão de palhaçada. E tu é um dos mais palhaços”, atacando os repórteres que insistiam em saber o motivo do meia Valdivia ter jogado apenas 18 minutos contra o Atlético-MG, pela Copa Sul-Americana.

Já Vanderlei Luxemburgo, técnico do Flamengo, apelou para uma metáfora meio sem graça quando ainda dirigia o Atlético-MG e foi tentar justificar a derrota para o Cruzeiro. “A manteiga está caindo do lado contrário, está caindo virada de cabeça para baixo, daqui a pouco vai virar para a gente não perder a manteiga. Isso é futebol”, disse Luxemburgo, após derrota por 1 a 0 para o Cruzeiro em 1º de agosto.

*Colaboraram Bruno Winckler, Levi Guimarães, Danilo Lavieri, Renan Rodrigues e Vicente Seda

O elenco do Inter para brigar pelo bicampeonato do Mundial de Clubes da Fifa

Eis a relação dos 23 jogadores do Internacional relacionados pelo técnico Celso Roth para a disputa do Mundial de Clubes da Fifa, a partir do próximo dia 8/12, nos Emirados Árabes:

   1  - Renan (goleiro)
2 – Bolívar (zagueiro)
3 – Índio (zagueiro)
4 – Nei (lateral-direito)
5 – Guinazu (volante)
6  - Kleber (lateral-esquerdo)
7 – Tinga (meia)
8 – Giuliano (meia)
9 – Alecsandro (atacante)
10 – D’Alessandro (meia)
11 – Rafael Sobis (atacante)
12 – Derley (volante)
13 – Rodrigo (zagueiro)
14 – Ronaldo Alves (zagueiro)
15 – Glaydson (volante)
16 – Juan (zagueiro)
17 – Andrezinho (meia)
18 – Oscar (meia)
19 – Leandro Damião (atacante)
20 - Wilson Matias (volante)
21 – Daniel (lateral-direito)
22 – Abbondanzieri (goleiro)
23 – Lauro (goleiro)

domingo, 28 de novembro de 2010

Um exercício matemático sobre como ficaria o Brasileirão com o sistema de médias

Termina mais uma rodada do Campeonato Brasileiro, a penúltima, e o que não faltou foi polêmica. Tem gente inconformada com o Palmeiras por não ter se esforçado diante do Fluminense, outros revoltados porque o Vasco fez a mesma coisa diante do Corinthians. Sem contar o que já havia ocorrido na semana passada, no 4 a 1 do Fluminense diante do São Paulo. E como consequência disso tudo, uma saraivada de críticas ao sistema de disputa do campeonato, em pontos corridos.

Em conversa com alguns colegas, e inspirado numa sugestão dada em uma coletiva pelo técnico Paulo César Carpegiani, do São Paulo, surgiram algumas ideias para minimizar a balbúrdia ocorrida nas rodadas finais do torneio - que, na minha opinião, tem mais a ver com o caráter das pessoas do que com o sistema de disputa. Além da marcação de clássicos regionais nas últimas rodadas, para tentar evitar a marmelada, e se o Brasileirão adotasse o sistema de média de pontos, como existe na Argentina?

Bem, o blogueiro aqui resolveu encarar o desafio e fez algumas contas. Vamos a elas:



Para efeito de classificação, adotei o mesmo sistema usado pelos "hermanos", que pega as três últimas temporadas, soma os pontos das equipes e divide pelo número de jogos disputados em cada uma delas. E usei ainda os seguintes critérios:

  1. Em azul, os times classificados para a Libertadores, conforme o sistema atual (na Argentina, classificam-se os campeões do Clausura, Apertura e os três melhores na soma de pontos em uma temporada);
  2. Resolvi classificar o Grêmio para a Libertadores-11, por não achar que o Goiás não ganhará do Independiente na final da Sul-Americana e por entender que o Botafogo não conseguirá derrotar o Tricolor gaúcho no Olímpico, domingo que vem;
  3. Em amarelo, os oito clubes que estariam classificados para a Sul-Americana;
  4. Em bege, os times na zona de rebaixamento
Entre as conclusões mais interessantes que pude constatar deste simples exercício matemático, estão que:


  • O Avaí não estaria brigando para fugir do rebaixamento e sim garantido na Sul-Americana do ano que vem;
  • O Goiás não estaria rebaixado;
  • Guarani e Grêmio Prudente, ambos com campanhas ridículas, já estariam rebaixados;
  • Vasco e Atlético-GO, se fosse adotado o mesmo sistyema de playoff na Argentina, jogariam sua permanência na elite do futebol brasileiro com Bahia e América-MG, respetivamente 3º e 4º colocados da Série B;
  • E por fim, o que achei mais interessante em toda esta numeralha, é perceber que o Vasco teria disputado as últimas rodadas do Brasileiro com muito mais vontade do que de fato disputou. Inclusive neste jogo contra o Corinthians

As dançarinas da NFL 2010/11 (14):
Aimee, do Oakland Raiders



Aimee, formada em relações públicas e marketing pela San Jose State Univesity e que trabalha numa imobiliária como administradora executiva, integra pela primeira temporada o elenco das Raiderettes, as dançarinas do Oakland Raiders.

Esta seção, que reúne as mais belas cheerleaders da NFL, é publicada aos domingos

sábado, 27 de novembro de 2010

Os novos integrantes da Série A-2011

Coritiba
Fundação: 12/10/1909
Participações na Série A: 29 (de 1971 a 80, 84 a 89, 93, 96 a 2005, 08 a 09)
Melhor colocação: 1 vez campeão (1985)
Jogos: 741
Vitórias: 275
Empates: 201
Derrotas: 265
Gols pró: 876
Gols contra: 865
Última participação na Série A: 2009

Figueirense
Fundação: 12/06/1921
Participações na Série A: 13 (1973, 75 a 76, 78 a 79, 2000, 02 a 08)
Melhor colocação: 7º lugar (2006)
Jogos: 386
Vitórias: 126
Empates: 119
Derrotas: 141
Gols pró: 480
Gols contra: 533
Última participação na Série A: 2008



Bahia
Fundação: 1º/01/1931
Participações na Série A: 31 (de 1971 a 97, 2000 a 03)
Melhor colocação: 1 vez campeão (1988)
Jogos: 688
Vitórias: 228
Empates: 225
Derrotas: 235
Gols pró: 777
Gols contra: 826
Última participação na Série A: 2003



América-MG
Fundação: 30/04/1912
Participações na Série A: 14 (de 1971 a 79, 86, 93, 98, 2000 a 01)
Melhor colocação: 7º lugar (1973)
Jogos: 269
Vitórias: 68
Empates: 90
Derrotas: 111
Gols pró: 274
Gols contra: 340
Última participação na Série A: 2001

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Os eleitos pelo COB para concorrer
ao prêmio de Melhor Atleta de 2010


Murilo concorre ao prêmio de Melhor Atleta do Ano/Crédito: CBV
 O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) anunciou nesta sexta-feira quem são os atletas que concorrem ao prêmio de Melhor do Ano no Esporte em 2010. A festa acontecerá no dia 20 de dezembro, no Teatro do MAM, no Rio. No masculino, estão concorrendo Cesar Cielo (natação), Leandro Guilheiro (judô) e Murilo (vôlei), enquanto no feminino a escolha está entre Ana Marcela Cunha (maratonas aquáticas), Fabiana Murer (atletismo) e a dupla Juliana e Larissa (vôlei de praia).

As apostas do blogueiro é que Murilo, graça à conquista do tricampeonato mundial de vôlei com a seleção brasileira na Itália, será o escolhido no masculino, enquanto Fabiana, após a brilhante participação na vitória da Liga Diamante da Iaaf, irá faturar o troféu no feminino.

Os votos serão computados após uma escolha feita por um juri de jornalistas selecionados (entre os quais eu não me incluo, é bom que se diga) e através de votação popular, a partir do próximo dia 30/11, feita pela internet, através do site do COB

O COB anunciou ainda a lista dos ganhadores do Prêmio Brasil Olímpico, com os melhores atletas de cada modalidade:

Atletismo – Fabiana Murer

Badminton – Daniel Paiola

Basquete – Tiago Spliter

Boliche – Roberta Rodrigues

Boxe – Roseli Feitosa

Canoagem Slalom – Silvia Gnadt

Canoagem Velocidade – Nivalter Santos

Ciclismo BMX – Mayara Perez

Ciclismo Estrada – Rafael de Matos Andriato

Ciclismo Moutain Bike – Rubens Donizete de Valeriano

Ciclismo Pista – Janildes Fernandes

Desportos na Neve – Mirlene Picin

Desportos no Gelo – Fabiana Alves dos Santos

Esgrima – Cleia Guilhon

Esqui Aquático – Marcelo Giardi

Futebol – Paulo Henrique Ganso

Futsal – Alessandro Rosa Vieira (Falcão)

Ginástica Artística – Jade Barbosa

Ginástica Trampolim – Daienne Lima

Ginástica Rítmica – Angélica Kvieczynski

Handebol – Alexandra Nascimento

Hipismo Adestramento – Luiza Almeida

Hipismo CCE – Ruy Fonseca

Hipismo Saltos – Rodrigo Pessoa

Hóquei sobre Grama – Daniel Tatara

Judô – Mayra Aguiar

Karatê – Douglas Brose

Levantamento de Peso – Fernando Reis

Luta – Joice Silva

Maratona Aquática – Ana Marcela Cunha

Natação – Cesar Cielo

Natação Sincronizada – Equipe de natação sincronizada

Patinação Artística – Juliana Almeida

Pentatlo Moderno – Yane Marques

Pólo Aquático – Luiza Carvalho

Remo – Fabiana Beltrame

Saltos Ornamentais – César Castro

Squash – Rafael Alarcon

Taekwondo – Marcio Wenceslau

Tênis – Thomaz Bellucci

Tênis de Mesa – Gustavo Tsuboi

Tiro com Arco – Bernardo Oliveira

Tiro Esportivo – Felipe Wu

Triatlo – Reinaldo Colucci

Vela –  Bruno Prada e Robert Scheidt (Classe Star)

Vôlei de Praia – Juliana e Larissa

Vôlei – Seleção adulta masculina de vôlei

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Brasil Olímpico (16)

Nada mais significativo do que marcar 2.500 posts deste blog do que escancarar a situação vexatória pela qual passa a sede dos Jogos Olímpicos de 2016

Do iG Esporte - 25/11/2010

Terror no Rio de Janeiro suspende
final do Carioca de vôlei feminino



Desde domingo, o cidade vive uma onda de violência, com arrastões, veículos queimados e ataques a bases policiais


Nesta quinta-feira, o esporte acabou sentindo o clima de terror no Rio de Janeiro. Após criminosos incendiarem um ônibus nas mediações do Ginásio do Tijuca Tênis Clube, local da partida, a federação estadual decidiu adiar o jogo, ainda com data indefinida.


Desde domingo, o Rio de Janeiro vive uma onda de violência, com arrastões, veículos queimados e ataques a bases policiais. De acordo com o governo carioca, os ataques partem das facções criminosas e são uma reação contra as UPPs (Unidades de Polícia Pacificadoras, instaladas, sobretudo, dentro de inúmeras favelas dominadas pelo tráfico de drogas.

A partida marcaria a estreia da atacante Sheilla na Unilever/Rio de Janeiro. Após derrotar o Universo, de São Gonçalo, a equipe comandada pelo técnico Bernardinho enfrentará o Macaé Sports na decisão.


As próprias jogadoras comentaram a iniciativa no Twitter. A meio de rede Carol Gattaz foi uma das primeiras a relatar o episódio em seu microblog. "Cancelado o jogo de hoje no Tijuca. A Sheilinha acabou de me avisar que cancelaram", avisou.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

As dançarinas da NBA 2010/11 (8):
Thera, do Golden State Warriors



Thera, natural de Milpitas (Califórinia), formada em engenharia elétrica pela Loyola Marymount University, fã da cor rosa, de sushi e de pizza, e que tem como grande sonho conhecer as Sete Maravilhas do Mundo, integra pela quarta temporada o elenco das Warrior Girls, as dançarinas do Golden State Warriors.

Esta seção, que reúne as mais belas cheerleaders da NBA, é publicada às quartas-feiras

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

No Campeonato Brasileiro das polêmicas,
a culpa só não é dos pontos corridos

Fred chuta para fazer um dos gols do Fluminense contra o São Paulo/Crédito: site oficial do Fluminense

O amigo e eterno provocador Fábio Salgueiro tentava, desde o último domingo, tirar de mim algumas palavras em relação a mais uma polêmica rodada do Campeonato Brasileiro. Desta vez, em razão da goleada sofrida pelo São Paulo para o Fluminense por 4 a1, que somado ao empate em 1 a 1 entre Vitória e Corinthians, deu ao Tricolor carioca a liderança da competição, com um ponto de vantagem sobre o Timão. Para a maioria absoluta dos torcedores, o São Paulo, se não entregou deliberadamente o jogo para o Fluminense, não fez o menor esforço em plena Arena Barueri.


Fábio, companheiro de tantos anos no Diário de S. Paulo e um crítico feroz do sistema de pontos corridos, me perguntava no domingo, pelo Twitter o que eu tinha achado da "marmelada" em Barueri. Como eu tinha algo mais importante para fazer - assistir ao inesquecível show de Paul McCartney -, disse que só iria escrever sobre o assunto no dia seguinte. E após ver os gols, ouvir programas esportivos, ler jornais etc,  tenho uma convicção: se existe algo que não pode ser atacado ou criticado na polêmica reta decisiva do Brasileiro é o seu sistema de disputa.

Explico: já cansei de dizer neste blog que considero o sistema de pontos corridos o mais justo para um torneio no formato de liga, campeonato. O velho e bom mata-mata pode, e deve, ficar restrito aos torneios eliminatórios, como Copa do Brasil. Até considero que uma forma de atenuar as possíveis "entregadas" de jogo seria colocar clássicos estaduais nas rodadas decisivas. Mas até isso é questionável, como o leitor e amigo Rubens Leme da Costa disse outro dia, lembrando o dia em que o Palmeiras colocou os reservas para enfrentar o Corinthians na final do Paulistão de 1999.


A marmelada entre Alemanha x Áustria, na Copa de 82

Eu acho, no final das costas, que não existe sistema imune a marmeladas. Um time amolecer para prejudicar um rival estadual pode acontecer em mata-mata também, cara-pálida! Se alguém me provar o contrário, rasgo o meu diploma na hora.

E já tivemos marmaledas até em jogos de Copa do Mundo, como a derrota da Alemanha Ocidental para a sua irmã Oriental, em 1974, com o objetivo de escapar de um confronto com Holanda e Brasil na segunda fase, e em 1982, quando a mesma Alemanha Ocidental fez 1 a 0 na Áustria, logo no começo do jogo, e depois ficou tocando a bola de lado, evitando marcar mais gols nos austríacos, acabando com as chances de classificação da Argélia, que terminou com o mesmo número de pontos dos dois rivais, mas levava desvantagem no saldo de gols.

O problema, caros inimigos dos pontos corridos, está no caráter do ser humano. Quanto a isso, infelizmente, não inventaram nenhum sistema de disputa perfeito, seja no futebol, seja na vida. Teve até um barbudo, quase dois mil anos atrás, que tentou mudar as coisas, mas que também não teve muito sucesso na empreitada.

Os sempre competentes amigos do blog Esporte Fino fizeram um ótimo post que também trata deste assunto. Clique aqui para ler.

domingo, 21 de novembro de 2010

As dançarinas da NFL 2010/11 (13):
Danielle, do New York Jets



Danielle, natural de Holbrook (Nova York), olhos verdes, estudante, que tem como definição de um dia perfeito ficar na praia tomando sorvete, procura como par ideal um homem que saiba fazê-la rir, adora rever o filme "Dirty Dancing" e que adoraria viver na cidade de Nashville, por conta de sua história e sua música, integra há três temporadas o Flight Crew, o elenco de dançarinas do New York Jets.

Esta seção, que reúne as mais belas cheerleaders da NFL, é publicada aos domingos.

sábado, 20 de novembro de 2010

Confira a relação completa de todos os campeões da Série B do futebol brasileiro

atualizado em 20/11/10

Jogadores do Coritiba comemoram o título da Série B 2010/Crédito: Hedeson Alves/Gazeta do Povo

1971 - Vila Nova (MG)
1972 - Sampaio Correa (MA)
1973 a 79 - não disputado
1980 - Londrina (PR)
1981 - Guarani (SP)
1982 - Campo Grande (RJ)
1983 - Juventus (SP)
1984 - Uberlândia (MG)
1985 - Tuna Lusa (PA)
1986 e 87 - não disputado
1988 - Inter de Limeira (SP)
1989 - Bragantino (SP)

1990 - Sport (PE)
1991 - Payssandu (PA)
1992 - Paraná (PR)

1993 - não disputado
1994 - Juventude (RS)

1995 - Atlético-PR
1996 - União São João (SP)
1997 - América (MG)
1998 - Gama (DF)

1999 - Goiás (GO)
2000 - não disputado
2001 - Paysandu (PA)

2002 - Criciúma (SC)
2003 - Palmeiras (SP)

2004 - Brasiliense (DF)
2005 - Grêmio (RS)
2006 - Atlético-MG (MG)
2007 - Coritiba (PR)

2008 - Corinthians (SP)
2009 - Vasco da Gama (RJ)

2010 - Coritiba (PR)

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Política ameaça futuro de Scheidt
e Grael nas Olimpíadas de 2016, no Rio


Scheidt (com Prada): ameaçado de não disputar a Rio-16 na class Star
 O Comitê Olímpico Brasileiro, que tem PhD em fazer lobby - a conquista para a sede das Olimpíadas de 2016 é a maior prova disso - precisa abrir bem o olho se não quiser levar uma rasteira e ver o Brasil ficar sem uma medalha quase certa nos Jogos Olímpicos do Rio. Um movimento, encabeçado pelos países da Oceania (sobretudo Austrália e Nova Zelândia) e da Ásia, tenta tirar do programa olímpico das Olimpíadas brasileiras a classe Star no iatismo. Por interesse político, os cartolas querem simplesmente alijar a prova onde competem Robert Scheidt e Torben Grael, ambos campões olímpicos (Scheidt, no caso, na Laser).

O movimento iniciado pelos países da Oceania e da Ásia já preocupa Scheidt, que tomou a iniciativa de mandar uma carta para a Federação Internacional de Vela (Isaf), mostrando os argumentos a favor da manutenção da prova.

Os delegados da Isaf que propuseram a exclusão da classe Star argumentam que o objetivo é diminuir o número de atletas nas Olimpíadas (tendência que vem sendo seguida em outras modalidades) e, por isso,  nada melhor do que excluir uma classe inteira do programa da vela.

Mas o que pode estar por trás desta intenção é diminuir a força de outros países fora da Ásia e Oceania, que não tem iatistas de alto nível na Star. " Brasil tem cinco medalhas olímpicas conquistadas na Star, quatro com Torben e uma com a gente (Robert Scheidt e Bruno Prada ficaram com a prata em Pequim/2008). Seria um baque muito grande para a vela nacional e acho que também para os organizadores dos Jogos e o próprio COB. Nossa batalha tem de ser pela manutenção da 11ª classe, como em Londres", observou Scheidt.


Se tudo isso não bastasse para o COB mexer seus pauzinhos políticos, há um outro argumento importante: a Star tem presença no programa olímpico desde os Jogos de 1932, em Los Angeles. Não se atira uma história dessa no lixo.!

Ô Nuzman, dá um jeito de garantir a classe Star em 2016, pô!

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

A história de Eder Jofre, através das
belas palavras de Henrique Matteucci

Eloy Sanchez e Eder Jofre, durante a luta histórica
Logo após começar a trabalhar na revista Placar, em 1986, fui escalado para fazer uma pauta com um escritor que havio lançado a biografia do massagista Mario Américo, personagem marcante na história da seleção brasileira. Ao chegar na casa do escritor, o jornalista Henrique Matteucci, num sobrado simples que já não existe mais na rua Turiassu, percebi logo após alguns minutos de conversa que haveria muito mais a aproveitar do que aquela simples pauta.

Com seu jeitão cativante de falar, daquele que conquista rapidamente o interlocutor, Matteucci falou sobre a obra recém-lançada e, diante da curiosidade quase irritante do foca que o entrevistava, começou a mostrar seus outros livros. Entre eles "O Galo de Ouro - A história de Eder Jofre", biografia que ele havia lançado em 1979 sobre o primeiro pugilista brasileiro campeão mundial de boxe pelos galos da AMB (Associação Mundial de Boxe), uma categoria séria e não como uma das inúmeras entidades fajutas que existem hoje em dia.

Após terminar a entrevista, antes de me despedir, Matteucci carinhosamente me presenteou com dois livros: o do Mario Américo e "O Galo de Ouro". Comecei a ler o livro ainda no taxi, quando voltava à redação, e duas noites depois já o tinha lido inteiro. Um livro excepcional, um registro preciso de um período marcante do esporte brasielrio, descrito de forma precisa e até meio poética por Matteucci.

Anos atrás, soube num obituário do Diário de S. Paulo que Henrique Matteucci havia falecido, talvez sem toda a sua importância devidamente reconhecida. Mas sua contribuição para o esporte brasileiro, ao retratar de forma tão bonita a história de Eder Jofre, foi eterna. E neste dia 18 de novembro, quando se comemoram os 50 anos da vitória de Eder Jofre sobre o mexicano Eloy Sanhez, dois agradecimentos são necessários: Valeu, Eder! Valeu, Matteucci!

Abaixo, um trecho memorável do "Galo de Ouro":

"...Os últimos instantes da luta foram dramáticos e inesquecíveis: eram dois pequenos gladiadores a troca junto às cordas e, torcendo por eles, com os ouvidos colados ao rádio, milhões de brasileiros e mexicanos a sofrer e vibrar pelos eu heroi. Eder dominou desde os primeiros instantes; Eloy, tenaz e obstinado, tentou superar com uma coragem fora dos limites humanos a classe superior do rival. Em meio ao sexto assalto, julgando ter abalado Eder com um direto, Sanchez levou-o até o extremo do ringue e o bombardeou com uma bem dirigida sequência de esquerdas e direitas no corpo. Havia dez mil mexicanos e quatrocentos brasileiros no estádio. Os primeiros puseram-se de pé, a gritar furiosamente, e o ginásio rugiu e tremeu como se tivesse explodido um trovão em suas entranhas. Foi nesse instante que Eder Jofre inclinou ligeiramente o corpo e desferiu um gancho de esquerda no fígado. O gemido de Eloy coincidiu com um segundo golpe, um direto de direita que lhe pegou o queixou e fez sua cabeça dobrar para trás. O mexicano girou e caiu de lado sobre um braço, que ficou torcido como se estivesse quebrado. Os dez mil mexicanos sentaram-se, surpresos, e os quatrocentos brasiuleiros ergueram-se em delírio, ao mesmo tempo que o árbitro Calaham, indicando o corner neutro a Eder, iniciava a contagem:..."

Atletismo brasileiro faz pré-seleção de olho no Pan-Americano de Guadalajara

Fabiana Murer já está pré-selacionada para o Pan-11
A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) definiu uma lista de 63 nomes que já estão pré-convocados para os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara (Mex), em 2011, que será realizado entre os dias 14 e 30 de outubro. Além da pré-lista, a entidade definiu também uma série de eventos preparatórios, com  objetivo de preparar a equipe e conquistar o maiior número de medalhas possívels na competição poliesportiva.

Isso seria fundamental epara melhorar a imagem do atletismo, que nos últimos anos viveu de raros momentos brilhantes (como a bela performance de Fabiana Murer, no salto com vara) e ficou mais em evidência pelos diversos casos de doping.

A paritr de janeiro, os treinadores deverão informar o estágio da preparação de seus atletas à CBAt. A lista será revisada periodicamente pela entidade.

Os 63 atletas (34 no masculino e 29 no feminino) são os seguintes:

MASCULINO

Nilson de Oliveira André - 100m/200m/4x100m
Sandro Ricardo Rodrigues Viana - 4x100m
Carlos Roberto Pio de Moraes Junior - 4x100m
Jefferson Liberato Lucindo - 4x100m
Eduardo de Oliveira Vasconcelos - 400m/4x400m
Hederson Alves Estefani - 4x400m
Fabio Henrique Vedrani - 4x400m
Kleberson Davide - 800m/4x400m
Fabiano Peçanha - 800m
Leandro Prates Oliveira - 1.500m
Marilson Gomes dos Santos - 5.000m/10.000m
Joilson Bernardo da Silva - 5.000m
David Benedito de Macedo - 10.000m
Hudson Santos de Souza - 3.000m com obstáculos
Celso Ficagna - 3.000m com obstáculos
Anselmo Gomes da Silva - 110m com barreiras
Eder Antonio Souza - 110m com barreiras
Mahau Camargo Suguimati - 400m com barreiras
Tiago Florêncio Bueno - 400m com barreiras
Talles Frederico Sousa Silva - Salto em Altura
Fabio Gomes da Silva - Salto com Vara
Augusto Dutra da Silva de Oliveira - Salto com Vara
Mauro Vinicius Hilário Lourenço da Silva - Salto em Distância
Rubens dos Santos Junior - Salto em Distância
Jadel Gregório - Salto Triplo
Hilton da Silva - Salto Triplo
Ronald Odair de Oliveira Julião - Arremesso do Peso/Lançamento do Disco
Wagner Jose Alberto Carvalho Domingos - Lançamento do Martelo
Luiz Fernando da Silva - Lançamento do Dardo
Luiz Alberto Cardoso de Araujo - Decatlo
Anderson Estevão Venâncio - Decatlo
Moacir Zimmermann - 20 km Marcha
Jose Alessandro Baggio - 50 km Marcha
Jean Carlos da Silva - Maratona

FEMININO
Ana Claudia Lemos Silva - 100m/200m/4x100m
Kauiza Moreira Venâncio - 4x100m
Thaissa Barbosa Presti - 4x100m
Rosemar Maria Coelho Neto - 4x100m
Geisa Aparecida Muniz Coutinho - 400m/4x400m
Joelma das Neves Sousa - 4x400m
Jailma Sales de Lima - 4x400m
Barbara Farias de Oliveira - 4x400m
Christiane Ritz dos Santos - 800m
Perla Regina dos Santos - 800m
Zenaide Vieira - 1.500m
Fabiana Cristine da Silva - 5.000m/10.000m
Sabine Letícia Heitling - 3.000m com obstáculos
Zenaide Vieira - 3.000m com obstáculos
Fabiana dos Santos Moraes - 100m com barreiras
Fernanda dos Santos Tavares - 400m com barreiras
Monica Araújo de Freitas - Salto em Altura
Fabiana de Almeida Murer - Salto com Vara
Keila da Silva Costa - Salto em Distancia
Gisele Lima de Oliveira - Salto Triplo
Keely Christinne Pinho Rodrigues Medeiros - Arremesso do Peso
Elisângela Maria Adriano - Lançamento do Disco
Josiane Soares - Lançamento do Martelo
Laila Ferrer e Silva - Lançamento do Dardo
Vanessa Chefer Spinola - Heptatlo
Tânia Regina Spindler - 20 km Marcha
Cisiane Dutra Lopes - 20 km Marcha
Adriana Aparecida da Silva - Maratona
Rosangela Raimunda Pereira Farias - Maratona

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

As dançarinas da NBA 2010/11 (7):
Chelsea, do Denver Nuggets




Chelsea, nascida en Nashville (Tennesse), estudante de marketing, apalixonada pelos cantores David Gray, Alan Jackson e Brittney Spears, fã do piloto da Nascar Jeff Gorden e que chora toda vez que assiste ao filme "Diamantes de Sangue", integra pela segunda temporada o elenco das Nuggets Dancers, o time de dançarinas do Denver Nuggets.

Esta seção, que reúne as mais belas cheerleaders da NBA, é publicada às quartas-feiras

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Veja quem são os concorrentes de
Neymar ao gol mais bonito de 2010

A esta altura, todo mundo já sabe que o atacante Neymar está concorrendo ao prêmio Puskas, que a Fifa entregará ao autor do gol mais bonito da temporada de 2010, durante a cerimônia de escolha do Jogador do Ano, agora batizado Bola de Ouro (em parceria com a revista francesa "France Football"), que será entregue em 10 de janeiro de 2011, na sede da Fifa, em Zurique. Este blogueiro mesmo escreveu um texto a respeito do tema, no portal iG Esporte, que pode ser acessado neste link.

Embora seja sensacional que um jogador brasileiro atuando no Brasil seja ao menos lembrado para participar do prêmio mais badalado do futebol mundial, ninguém pode se esquecer (atenção, pachecos!) que o golaço que Neymar marcou contra o Santo André, no dia 4 de fevereiro,pela fase de classificação do Campeonato Paulista, está concorrendo com verdadeiras obras de arte.

Alguns marcados por craques consagrados, como o argentino Messi, do Barcelona, ou pelo holandês Robben, atuando pelo Bayern de Munique. Outros, por jogadores desconhecidos (mas nem por isso menos talentosos), como o sueco Linus Hallenius, que fez um gol que lembrou Van basten, e a japonesinha Kumi Yokoyama, que parecia ter passado cola na bola para grudá-la a seus pés, em um gol por sua seleção no Mundial Sub 17, diante da Coreia do Norte. A parada para Neymar não será nada fácil.

Confira abaixo todos os concorrentes ao Prêmio Puskas - o gol mais bonito de 2010:

Conheça o Khalifa Stadium, palco do amistoso entre Brasil e Argentina

Construído em 1976, comcapacidade para apenas 20 mil pessoas, e reformado em 2005, para a disputa dos Jogos Asiáticos do ano seguinte, o Khalifa Stadium, palco do amistoso entre Brasil e Argentina desta quarta-feira em Doha, é um dos mais modernos e bonitos do planeta. A capacidade atual é de 50 mil pessoas. Aliás, nem se trata de um local estranho à seleção, que em novembro de 2009, disputou lá mesmo um amistoso contra a Inglaterra, quando venceu por 1 a 0, gol de Nilmar.

Veja abaixo as imagens do estádio que receberá um dos clássicos mais importantes do futebol mundial:


domingo, 14 de novembro de 2010

As dançarinas da NFL 2010/11 (12):
Kristen, do New Orleans Saints




Kristen, de 19 anos, nascida em New Orleans (Louisiana), cursa a faculade de enfermagem na Louisiana State University, fã de sushi, da série de TV Grey's Anatomy e que adora ler, é integrante das Saintsations, as dançarinas do New Orleans Saints

Esta seção, que reúne as mais belas cheerleaders da NFL, é publicada aos domingos

Os campeões do Mundial feminino de vôlei

1952 (URSS)
  1. URSS
  2. Polônia
  3. Tchecoslováquia
1956 (França)
  1. URSS
  2. Romênia
  3. Polônia
1960 (Brasil)
  1. URSS
  2. Japão
  3. Tchecoslováquia
1962 (URSS)
  1. Japão
  2. URSS
  3. Polônia
1967 (Japão)
  1. Japão
  2. EUA
  3. Coreia do Sul
1970 (Bulgária)
  1. URSS
  2. Japão
  3. Coreia do Norte
1974 (México)
  1. Japão
  2. URSS
  3. Coreia do Sul
1978 (URSS)
  1. Cuba
  2. Japão
  3. URSS
1982 (Peru)
  1. China
  2. Peru
  3. EUA
1986 (Tchecoslováquia)
  1. China
  2. Cuba
  3. Peru
1990 (China)
  1. URSS
  2. China
  3. EUA
1994 (Brasil)
  1. Cuba
  2. Brasil
  3. Rússia
1998 (Japão)
  1. Cuba
  2. China
  3. Rússia
2002 (Alemanha)
  1. Itália
  2. EUA
  3. Rússia
2006 (Japão)
  1. Rússia
  2. Brasil
  3. Sérvia
2010 (Japão)
  1. Rússia
  2. Brasil
  3. Japão

O Mundial de Clubes da Fifa de 2010 reúne elencos milionários e participantes exóticos

Jogadores do Seongnam Ilhwa comemoram o título da Copa da Ásia
Foram conhecidos neste sábado os últimos participantes do próximo Mundial de Clubes, que será realizado a partir de 8/12, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes: o Seongnam Ilhwa, da Coreia do Sul, e o TP Mazembe, da Rep. Democrática do Congo.

Será, sem dúvida, o mais estranho e exótico Mundial desde que a Fifa criou o atual formato, com equipes de todos os continentes e em disputa mata-mata, a partir de 2005. Afinal, um campeonato que reúne um time estrelar, como a Inter de MIlão e seus craques holandeses, argentinos e, porque não dizer, brasileiros; o Inter de Porto Alegre, a equipe brasileira mais vitoriosa em competições no exterior nesta década; e até algumas equipes pra lá de estranhas (para não dizer medíocres), como os dois classificados de hoje e, principalmente, o Hekari United, da poderosa Papua Nova Guiné (tem futebol lá, Arnaldo?, diria o Galvão Bueno)...

Nada contra os times dos rincões do mundo. O futebol é bacana por ser o esporte mais democrático que existe Só acho que uma competição que pretende ter o status de definir qual o melhor clube de futebol do planeta, deveria encontrar uma fórmula que pudesse contar com mais times de reconhecida qualidade técnica, e não somente o campeão da Europa e da América do Sul. Uma verdadeira Copa do Mundo de clubes e não um torneio onde sabe-se, desde o início, quais os clubes que estarão na decisão.

sábado, 13 de novembro de 2010

A tabela do Mundial de Clubes-2010

Campeonato Mundial
de Clubes 2010


Local: Abu Dhabi (Emirados Árabes)
Período: 8 a 18/12/2010

atualizada em 22/12


Fase preliminar

8/12
Jogo 1 - Al Wahda (EAU) 3 x 0 Hekari United (PNG)


Quartas de final


10/12
Jogo 2 - Mazembe (COD) 1 x 0 Pachuca (MEX)

11/12
Jogo 3 - Al Wahda (EAU) 1 x 4 Seongnam Ilhwa (KOR)


Semifinal


14/12
Jogo 4 - Mazembe (COD) 2 x 0 Internacional (BRA)

15/12
Jogo 5 - Seongnam Ilhwa (KOR) 0 x 3 Internazionale (ITA)


Definição do 5º lugar

15/12
Jogo 6 - Pachuca (MEX) 2 (4) x (2) 2 Al Wahda (EAU)

Definição do 3º lugar

18/12
Jogo 7 - Internacional (BRA) 4 x 2  Seongnam Ilhwa (KOR)


Final
18/12
Jogo 8 - Mazembe (COD) 0 x 3 Internazionale (Ita)

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Cartão de visitas preocupante

A reportagem abaixo foi publicada pela Folha de S. Paulo desta sexta-feira (12/11). Se isso já acontece nos Jogos Militares, o que se esperar da Copa de 2014 ou das Olimpíadas de 2016? O que haverá de notícia falando de irregularidades em obras destas duas competições será uma grandeza.

E depois tem ua turma que acha que a imprensa que fiscaliza e cobra transparência é chata e só preocupada em destacar o lado negativo das coisas...


TCU vê falha de R$ 23,2 mi em Jogos

Mundiais Militares-2011
FLÁVIA FOREQUE
DIMMI AMORA
DE BRASÍLIA

O Tribunal de Contas da União apontou irregularidades graves em obras das vilas olímpicas dos Jogos Mundiais Militares-2011, sediados no Rio. O prejuízo estimado, devido a "valores de aditivos [contratuais] injustificados", chega aos R$ 23,2 milhões.

As vilas da Marinha, Exército e Aeronáutica terão capacidade para abrigar cerca de 8.000 pessoas, entre atletas, árbitros e dirigentes de 110 países, e serão destinadas depois a famílias de militares. Na Olimpíada de 2016, a vila do Exército abrigará os árbitros da competição.

Segundo o TCU, a vila sob responsabilidade da Marinha foi licitada sem licença ambiental prévia, item obrigatório para a elaboração do projeto básico dos edifícios.

"A ausência da licença ambiental quando da licitação ocasionou uma série de problemas, como a necessidade de alteração do projeto de locação da obra, alteração nas fundações dos prédios e atraso no início das obras" diz o relatório da auditoria.

Para cumprir o prazo de entrega dos 22 prédios mesmo com essas alterações, a Marinha argumentou ser necessário trocar o tipo de concreto utilizado na obra. No total, a despesa extra é estimada em R$ 16,5 milhões.

A Aeronáutica também trocou o material utilizado, com a mesma justificativa. Assim, foram pagos à construtora mais R$ 6,7 milhões. A alteração, feita logo após a assinatura do contrato, não tem respaldo na lei das licitações, pois as empresas já sabiam dos prazos, diz o TCU.

A auditoria fiscalizou um montante de R$ 209,8 milhões, reservados para a construção das vilas olímpicas, e apontou outras irregularidades, como o pagamento adiantado de serviços e sobrepreço devido a itens considerados em duplicidade, que não implicam prejuízos à administração pública.

Os responsáveis pelas obras terão 15 dias para apresentar as justificativas.

Procurado pela reportagem, o Ministério da Defesa não se manifestou.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Ameaça de marmelada coloca os pontos corridos do Brasileirão na berlinda


Nesta madrugada, voltando para casa após a rodada, tive o desprazer de ouvir o apresentador Nelo Rodolfo (um chato de galocha, diga-se de passagem), da rádio Jovem Pan, soltar uma opinião que, infelizmente, começa a se tornar um pouco comum no meio esportivo: que a ameaça de "marmelada" de alguns times na reta final do Brasileiro ameaça o futuro do sistema de pontos corridos. Para o apresentador, já está na hora de se acabar com este sistema de disputa e promover o retorno do mata-mata, com a classificação de oito clubes para a fase decisiva, a exemplo do que ocorrerá no próximo Campeonato Paulista, exemplo de campeonato ideal na opinião do radialista.

A tese defendida por Nelo Rodolfo é fajuta, na minha opinião. Quem me conhece, sabe que defendo os pontos corridos como o sistema ideal para a disputa de um campeonato, deixando o mata-mata para torneios eliminatórios como a Copa do Brasil. Mas é inegável que a sombra dos jogos estranhos ameaça a lisura do torneio.

A culpa, porém, não é de um sistema de disputa. Não me lembro de ler ou ouvir coisas semelhantes à respeito ocorrendo na Itália, Espanha ou Inglaterra, até porque nenhuma cidade tem mais do que duas equipes em suas principais ligas. Já houve, sim, caso de manipulação de resultados na Itália, envolvendo a Juventus, mas por outros motivos e não pelo que ocorre aqui, onde o motivo é a rivalidade feroz entre as equipes.

Para aqueles que, mais românticos, insistem em dizer que marmelada não existe no futebol, a entrevista do técnico Tite, do Corinthians, para Juca Kfouri, na ESPN, confirmando que um caso destes ocorreu num jogo envolvendo uma equipe que ele dirigia, é definitiva.

Se São Paulo e Palmeiras vão "facilitar" para o Fluminense (sendo que o Palmeiras tem até motivos reais, por estar envolvido na reta decisiva da Copa Sul-Americana), ninguém pode ter certeza. Talvez o ideal, até para preservar o sistema de disputa ideal para um campeonato, fosse mesmo colocar clássicos regionais nas últimas duas rodadas do Brasileiro. Duvido que alguém colocaria time misto em um São Paulo x Corinthians, Botafogo x Fluminense, Vasco x Flamengo ou Palmeiras x Santos.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

O pensamento vivo de Hortência

Texto publicado originalmente nesta quarta-feirta (10/11) no blog Bala na Cesta, de Fábio Balassiano

Rainha da Sucata

Hortência abriu a boca mais uma vez. Foi ontem, no lançamento do Nacional da CBB (vulgo Liga de Basquete Feminino). Vamos às declarações divulgadas pela Globo.com, com minhas indagações em seguida.


"A vinda do Colinas não foi um erro. O basquete brasileiro precisava de uma mexida. Existem coisas importantes e outras urgentes. E a resposta sobre Colinas não é urgente nesse momento. Tem que ter calma, decidir com tranqüilidade"


"Eu acho que a Janeth já melhorou muito. Mas não podemos dizer que uma ex-jogadora pode ser técnica só porque era boa em quadra"


"Parei de jogar basquete há 15 anos. Qual o técnico que surgiu depois que parei? Uma coisa que vou implantar no Brasil: atleta não tem que disputar posição? Técnico também vai disputar. Vamos ver o que ele ganhou, não aqui dentro, mas pela seleção brasileira. Eles vão ter chances nas categorias de base. Tem que existir competição entre eles também. Ganhou, fica. Não ganhou, sai"


As perguntas:

1) A definição do técnico da seleção adulta não é urgente para Hortência. Quem está observando as atletas então? Ela, que não viaja nem para ver as meninas da Sub-15?

2) Concordo muito com Hortência quando ela diz que não necessariamente uma boa ex-jogadora será uma técnica de nível. Mas fica a questão: e em relação a uma ex-jogadora que virou dirigente CBB? O mesmo raciocínio vale, certo?


3) Pelo que entendi, o critério da base do Brasil agora será vitórias, e não a formação dos/das atletas, correto? Então podemos pensar apenas em bater os rivais continentais, conquistar troféus e esquecer dos fundamentos, da preparação adequada, da construção dos futuros jogadores, certo?


4) Partindo do torto raciocínio de Hortência, como então demitir Paulo Bassul, vice-campeão mundial Sub-21, e manter, por exemplo, Luiz Claudio Tarallo, que em âmbito mundial sempre vai mal?


5) O raciocínio vale, também, para Janeth, que com apenas um ano de seleção sub-15 virou assistente da seleção adulta? Pelo visto não, né...


6) Como não surgiram técnicos, Rainha? O que dizer de Paulo Bassul, Guilherme Vos, o próprio Zanon de Americana?

As dançarinas da NBA 2010/11 (6):
DeLeah Caro, do Dallas Mavericks



DeLeah, natural de Dallas, de 30 anos, assistente administrativa e professora de dança, integra há cinco tempiradas a equipe de dançarinas das Mav Dancers, as dançarinas do Dallas Mavericks.

Esta seção, que reúne as mais belas cheerleaders da NBA, é publicada às quartas-feiras

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Perguntar não ofende

Caso o São Paulo entre com, vamos dizer assim, "pouca motivação" no jogo contra o Fluminense, perca o jogo e o resultado desta partida prejudique o Corinthians na birga pelo título do Campeoanto Brasileiro, será que o promotor Paulo Castilho irá algemar os jogadores do Tricolor ao final da partida?

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Ilsinho e a dor de cotovelo


Atualizado em 9/11
“Aceita cartão de crédito internacional? Ou só nacional?”

Lateral-direito Ilsinho, do São Paulo, mostrando, no Twitter, uma incrível dor de cotovelo, além de falta de bom humor e espírito esportivo, ao comentar a provocação do site oficial do Corinthians, que após a vitória no clássico estampou a frase "CPF na nota?", em alusão à freguesia de mias de três anos sem derrota para o rival

Antes tarde do que nunca, né Bernardinho?

Bernardinho finalmente admtiu que o Brasil entregou o jogo para a Bulgária
Demorou quase um mês, mas finalmente um integrante da seleção brasileira masculina de vôlei admitiu a maracutaia de entragar uma partida para a Bulgária, no Mundial masculino da Itália, para escapar de um grupo mais difícil na competição. O integrante, no caso, tem uma importância bastante razoável: trata-se de Bernardo rezende, o Bernardinho, o técnico multiocampeão do vôlei brasileiro.

Em entrevista à Revista Alfa, da editora Abril, que chega às bancas na próxima semana, Bernardinho conta que não gostou do caminho adotado pelo Brasil no torneio. "A gente tinha de tomar um caminho. Mas é um caminho que eu nunca quero tomar de novo. Eu queria pedir desculpas às pessoas. Se você me perguntar se eu me orgulho, eu digo: 'De forma nenhuma'. Vai contra tudo aquilo que eu sempre preguei, os princípios em que acredito".

Parabéns pelas palavras, Bernardinho. Pena que você demorou quase 30 dias para admitir algo tão óbvio, ainda por cima se preocupando em criticar - você e seu capitão, o craque Giba - a atitude da imprensa brasileira, que na volta vitoriosa da delegação ao Brasil procurou ouvir as opiniões dos jogadores sobre aquele jogou que manchou a brilhante conquista do tricampeonato mundial do Brasil.

domingo, 7 de novembro de 2010

As dançarinas da NFL 2010/11 (11):
Jessica, do New England Patriots



Jessica, nascida em Waltham (Massachusetts), estudante de Higiene Dental, trabalha como instrutora de ginástica, é fã das séries de TV Lost e Will & Gracie e dos atores Morgan Freeman e Sarah Jessica Parker, além de adorar comida mexicana e sushi, integra há duias temporadas o elenco das dançarinas do New England Patriots.

Esta seção, que reúne as mais belas cheerleaders da NFL, é publicada aos domingos

E a fila vai aumentando...

Reprodução da página inicial do site do Corinthians
Já são 11 jogos que o Corinthians não perde para o São Paulo. Mais precisamente, três anos e três meses. Ou 1.212 dias. E não está dando pinta de que vai acabar tão cedo...

Abaixo, os 11 jogos do tabu  do Corinthians contra o São Paulo

14/07/2007 - Corinthians 1 x 1 São Paulo (Brasileirão/Morumbi)
07/10/2007 - São Paulo 0 x 1 Corinthians (Brasileirão/Morumbi)
27/01/2008 - São Paulo 0 x 0 Corinthians (Paulistão/Morumbi)
15/02/2009 - São Paulo 1 x 1 Corinthians (Paulistão/Morumbi)
12/04/2009 - Corinthians 2 x 1 São Paulo (Paulistão/Pacaembu)
19/04/2009 - São Paulo 0 x 2 Corinthians (Paulistão/Morumbi)
21/06/2009 - Corinthians 3 x 1 São Paulo (Brasileirão/Pacaembu)
27/09/2009 - São Paulo 1 x 1 Corinthians (Brasileirão/Morumbi)
29/03/2010 - Corinthians 4 x 3 São Paulo (Paulistão/Pacaembu)
22/08/2010 - Corinthians 3 x 0 São Paulo (Brasileirão/Pacaembu)

07/11/2010 - São Paulo 0 x 2 Corinthians (Brasileirão/Morumbi)

O melhor jogo deste domingo
pelo Campeonato Brasileiro


Que São Paulo x Corinthians, Fluminense x Vasco, Avaí x Botafogo ou Vitória x Cruzeiro. O melhor jogo da 34ª rodada do Campeonato Brasileiro acontecerá em Porto Alegre, no Estádio Beira-Rio, com o show deste senhor aí da foto acima. Não tem pra ninguém!

E que venha logo o dia 21/11.

sábado, 6 de novembro de 2010

Ricardinho e Bernardinho: uma
polêmica sem data para terminar



"Foi o Bernardinho que me cortou e até hoje ele não me falou o que foi e o que não foi. Por isso que fica no ar. Não sei o que passou na cabeça dele para ter me cortado naquele momento. É até estranho"
Levantador Ricardinho, do Vôlei Futuro, de Araçatuba, em entrevista ao portal UOL, mostrando que se depender dele, a polêmica de seu corte da seleção masculina de vôlei, comandada por Bernardo Rezende, o Bernardinho, irá durar ainda um bom tempo

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

A natação brasileira que não conhece as glórias de Cesar Cielo ou Thiago Pereira

Existe um lado da natação brasileira que não consegue aproveitar as glórias obtidas pelo campeão olímpico e mundial Cesar Cielo, tampouco o campeão da Copa do Mundo de piscina curta Thiago Pereira. A carta do ex-nadador David Castro, que disputou as Olimpíadas de Seul-88 nos 400m livre e nos 1.500m livre, publicada originalmente no blog de Alberto Murray, é um verdadeiro soco no estômago para quem ainda encara o mundo do esporte de forma romântica.


Por David Castro*

Colegas da internet e de uma longa vida esportiva ou não, venho aqui me despedir antecipadamente o carinho e apoio de muitos, mas infelizmente estarei saindo da internet por tempo indeterminado a partir de fim de novembro, em virtude de estar desempregado há 6 anos e passando seríssimas dificuldades financeiras e doença em família. Possivelmente terei que vender onde moro pois corro o risco de ficar sem onde morar e sem ter o que comer, a cidade onde vim morar em 1990 cheio de ideais e sonhos simplesmente virou a mim pesadelo e angústia.


Ajudei muita gente e fui traído por muitos também, mas isso é outra história e passado é passado, não vai voltar, mas todos meu ideais e objetivos terminaram. Foram muitas glórias defendendo a cidade, momentos inesquecíveis e terminando de forma invicta 36 anos de carreira, um recorde,numa época onde não existia internet e intensa divulgação como é hoje no esporte.

Muitas vezes me encontro sem forças e animo para dar a volta por cima à procura de algo. Onde vou, nada consigo. São promessas, promessas e promessas, do tipo "tenha fé, boa sorte,estou torcendo". Enfim, tudo isso é bom, mas preciso que a vida me dê algo de concreto, pois a parte espiritual eu tenho e sempre acreditei, mas hoje corro contra o tempo para sobreviver, sobreviver em uma cidade para a qual  dei tudo de mim por 10 anos com muita garra, carinho e acima de tudo amor. Hoje, essa mesma cidade renega o que fiz, abandona e despreza.

Sei que é d vida e infelizmente as coisas são assim em nossas vidas e em qualquer área ou trabalho. Vence o mais forte, às vezes o mais desonesto, o injusto, o incapaz…enfim…um lugar onde é cada um por si e Deus pra todos, não só aqui, mas em todo lugar desse imenso país.

Escrevo a todos vocês como forma não de desabafo e sim de carinho e respeito a todos que de uma maneira ou outra sempre me apoiaram, seja em palavras ou gestos.

O que fiz no esporte ficará sempre e hoje estou procurando emprego até de lixeiro, sem desmerecer esses valorosos trabalhadores, pois procuro qualquer forma de trabalho honesto nessa vida, pois eu tenho a certeza que dê algum modo fui ”queimado” na cidade por pessoas inescrupulosas e más.


Mas não sou ninguém para julgar e sim para perdoar, pois sei que Deus estará sempre comigo, pois Ele me proporcionou momentos divinos de felicidade em ter a minha mãe hoje viva com 87 anos, apesar de acamada, junto a mim e ter saúde para poder cuidar dela e seguir em frente e uma esposa maravilhosa que amo e que me ama, que sempre está comigo mesmo estando desempregada também, aliado ao fato de Deus ter me presenteado uma Olimpíada (quantas pessoas desejariam ter ido?) e pessoas que me apoiaram e me ajudaram na medida do possível. Isso tudo digo aqui e sou grato e serei pelo resto da vida.

Tenham a certeza que meu respeito e carinho a todos é imenso e desejo a todos tudo em dobro que me desejem…saúde e paz e se não tivermos a oportunidade de nos falarmos mais…um Feliz Natal e Feliz 2011 a todos !!!

David Castro

*ex-atleta olímpico – 1988

Um promotor boquirroto

Paulo Castilho, aquele que adora dar entrevistas/Crédito: CBF News

"MASSA PRESO?

Felipe Massa pode ser preso se der passagem para seu companheiro de Ferrari, Fernando Alonso, no GP do Brasil de F-1, no domingo. Pelo menos é o que ameaça o promotor Paulo Castilho, do Juizado Especial Criminal, baseado no Estatuto do Torcedor. Ele prevê prisão de até seis anos para quem "fraudar" ou "contribuir para que se fraude" o resultado de competição esportiva. "Se fizer isso, ele tem que sair algemado de Interlagos", diz."


Abro o post com esta inacreditável nota publicada pela coluna de Mônica Bergamo, na edição desta quinta-feira da Folha de S. Paulo, retratando mais uma infeliz entrevista do promotor Paulo castilho, a versão piorada de Fernando Capez. O tema foi abordado por vários colegas ao longo do dia, entre eles Flavio Gomes, em um post brilhante em seu blog, no portal iG. Mas eu não resisto em dar numa cornetada no boquirroto promotor.

Ao defender a "prisão" de Felipe Massa, caso ele venha a cometer uma suposta "fraude esportiva", o que estaria ferindo o Estatuto do Torcedor, Castilho mistura, no popular, alhos com bugalhos. Sim, porque o nobre promotor língua solta, amante dos microfones e holofotes, confunde, por exemplo, o Escândalo do Apito do juiz ladrão Edílson de Carvalho, de 2005, com um jogo de equipe existente na Fórmula 1 desde que a categoria existe.

A cada entrevista, a cada participação em programas de TV, a cada inútil reunião realizada com os bandidos das torcidas organizadas, mais Paulo Castilho  torna-se uma figura, digamos, inútil. Ao contrário de seu antecessor igualmente inútil, Fernando Capez, hoje deputado estadual, Castilho é uma pessoa muito educada e não demonstra a mesma arrogância que Capez exibia. Mas somente educação e humildade não tornam Castilho competente. Muito pelo contrário.

Como disse Flavio Gomes em seu blog, dá vontade de torcer para que Massa realmente dê passagem para Alonso no GP do Brasil deste domingo, e torcer ainda mais para que Paulo Castilho tente cumprir sua "ameaça.

Se bobear, quem sai algemado de Interlagos é o próprio Castilho.

Related Posts with Thumbnails