boo-box

sexta-feira, 30 de abril de 2010

O vôlei se rende ao basquete?

No lançamento dos novos uniformes das seleções brasileiras masculina e feminina de vôlei para a temporada 2010, chamou a atenção uma camisa listrada em verde e amarelo, exibidas pelos líberos Escadinha e Fabi.

Agora, será que a CBV bebeu na fonte do basquete? A foto abaixo mostra a seleção masculina de basquete que disputou os Jogos Pan-Americanos de Chicago, em 1959. E a camisa listrada foi a grande marca registrada da equipe que conquistou o bicampeonato mundial em 59 ne 63, além das medalhas de bronze nos Jogos Olímpicos de Roma-60 e Tóquio-64.

Uma estranha coincidência...


Falta de respeito na versão 2.0

Coluna Diário Esportivo, publicada na edição de 30 de abril do Diário de S. Paulo

No ótimo filme “Amor sem Escalas”, que concorreu em cinco categorias no último Oscar e saiu de mãos abanando, o personagem interpretado por George Clooney trabalha para uma empresa terceirizada e viaja pelo país inteiro com a tarefa de demitir pessoas. Até que uma nova funcionária cria um método de demissões on-line à distância que atrapalha consideravelmente a vida de Clooney.

Antes que o leitor chame o colunista de maluco e pense que está no caderno errado, a lembrança do filme tem a ver com o inacreditável episódio do fim do patrocínio da Blausigel ao time feminino de vôlei do São Caetano. Em uma demonstração rara de falta de respeito, a direção da empresa comunicou às atletas, por um simples e frio e-mail, a decisão de não patrocinar mais a equipe na próxima temporada. Somente dois anos depois de ter iniciado o investimento.

O que se tira deste lamentável episódio é que nem mesmo um esporte tão organizado como o vôlei consegue escapar da bagunça. Por mais que a prefeitura de São Caetano garanta a manutenção da equipe, sabe-se que a menos que apareça um mecenas disposto a abrir os cofres, será impossível manter o time no nível do atual, que ficou em terceiro na última Superliga. Ou seja, desemprego à vista.

Na verdade, existe um claro problema na forma de se administrar o esporte olímpico brasileiro, tanto por parte de quem patrocina como de quem é patrocinado. Paternalismo e falta de comprometimento são pecados comuns. Uma realidade que pelo jeito não irá mudar tão cedo.

A coluna Diário Esportivo, assinada por este blogueiro, é publicada às sextas-feiras no Diário de S. Paulo

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Um novo drama para Nenê Hilário?

Problemas à vista para o técnico Ruben Magnano, da seleção brasileira masculina de basquete, ou apenas um susto. O fato é que a foto ao lado preocupa bastante. Justamente quando cumpre uma excelente temporada na NBA, o pivô Nenê, do Denver Nuggets, acaba de deixar a quadra mancando, no quinto jogo do playoff contra o Utah Jazz, pela Conferência Oeste.

Quando faltavam 5min03s para o final do primeiro quarto, Nenê sofreu uma contusão no joelho esquerdo. Um torção. Não se sabe ainda a gravidade da contusão. Mas pode ameaçar a presença do brasileiro na equipe que disputará o Campeonato Mundial da Turquia, no final de agosto, atrapalhando consideravelmente os planos do argentino Magnano.

Vamos aguardar.

Foto: John Leyba/The Denver Post

A tabela da Copa Sul-Americana 2010



atualizado em 27/11


Primeira fase - 3/08 a 02/09


Jogo A - Universitario de Sucre (BOL) 2 x 0 Colo Colo (1 x 3)
Jogo B - Guarani (Par) 2 x 0 River Plate (Uru) (2 x 4)
Jogo C - Univ. César Vallejo (Per) 1 x 2 Barcelona (Equador) (1 x 3)
Jogo D - Atletico Huila (Col) 4 x 1 Trujillanos (Ven) (1 x 1)
Jogo E - Universidad de Chile 2 x 2 Oriente Petrolero (Bol) (0 x 1)
Jogo F - Defensor Sporting (Uru) 2 x 0 Olimpia (Par) (1 x 1)
Jogo G - Deportivo Quito (Equ) 3 x 2 Univ. San Martin (Per) (1 x 2)
Jogo H - Deportivo Lara (Ven) 2 x 0 Indep. Santa Fé (Col) (0 x 4)


Segunda fase - 7 a 23/09


O13 - Universitário de Sucre (Bol) 1 x 0 Cerro Porteño (Par) (2 x 2)
O9 - Guarani (Par) 1 x 1 Unión San Felipe (Chi) (1 x 1 - 7 x 8 nos pênaltis)
O3 - Barcelona (Equador) 0 x 1 Peñarol (Uru) (1 x 2)
O1 - Atletico Huila (Col) 1 x 1 San José (Bol) (0 x 4)
O7 - Oriente Petrolero (Bol) 1 x 0 Deportes Tolima (Col) (0 x 2)
O15 - Defensor Sporting (Uru) 9 x 0 Sport Huancayo (Per) (0 x 2)
O11 - Univ. San Martin (Per) 2 x 1 Emelec (Equ) (0 x 5)
O5 - Indep. Santa Fé (Col) 2 x 1 Caracas (Ven) (0 x 0)

Último campeão: LDU (Equador) - O8

Segunda fase - Argentina - 26/08 a 22/09

O10 - Vélez Sarsfield (Arg) 0 x 1 Banfield (Arg) (1 x 1)
O2 - Independiente (Arg) 1 x 0 Argentino Juniors (Arg) (1 x 1)
O16 - Newell's Old Boys (Arg) 1 x 0 Estudiantes (Arg) (1 x 1)

Segunda fase - Brasil - 4/08 a 19/08

O4 - Vitória-BA 2 x 0 Palmeiras (0 x 3)
O6 - Santos 1 x 3 Avaí (1 x 0)
O12 - Grêmio-PP 0 x 0 Atlético-MG (0 x 1)
O14 - Goiás 1 x 1 Grêmio-RS (2 x 0)

Oitavas de final - 28/09 a 20/10

C1 - Newell's Old Boys (Arg) 6 x 0 San José (Bol) (0 x 2)
C2 - Defensor Sporting (Uru) 1 x 0 Independiente (Arg) (2 x 4)
C3 - Goiás (Bra) 1 x 0 Peñarol (Uru) (2 x 3)
C4 - Universitário de Sucre (Bol) 0 x 1 Palmeiras (Bra) (1 x 3)
C5 - Atlético-MG (Bra) 2 x 0 Indep. Santa Fé (Col) (0 x 1)
C6 - Emelec (Equ) 2 x 1 Avaí (Bra) (1 x 3)
C7 - Banfield (Arg) 2 x 0 Dep. Tolima (Col) (0 x 3)

C8 - Unión San Felipe (Chi) 4 x 2 LDU (Equ) (1 x 6)

Quartas de final - 27/10 a 11/11
S1 - Newell's Old Boys (Arg) 0 x 0 LDU (Equ) (0 x 1)
S2 - Dep. Tolima (Col) 2 x 2 Independiente (Arg) (0 x 0)
S3 - Goiás (Bra) 2 x 2 Avaí (Bra) (1 x 0)
S4 - Atlético-MG (Bra) 1 x 1 Palmeiras (Bra) (0 x 2)

Semifinal - 17 a 24/11
F1 - LDU (EQU) 3 x 2 Independiente (ARG) (1 x 2)
F2 - Goiás (BRA) 0 x 1 Palmeiras (BRA)(2 x 1)

Final - 1º a 8/12


Goiás (BRA) 2 x 0 Independiente (ARG) (1 x 3)
obs: nos pênaltis, Independiente 5 x 3

quarta-feira, 28 de abril de 2010

As dançarinas da NBA 2009/10 (27):
Ally, do San Antonio Spurs



Ally, nascida em Austin (Texas), adora patinar e malhar, sempre escuta as músicas de Shakira e Jay-Z em seu iPod e sonha em passar suas férias na Nova Zelândia, integra pela terceira temporada o elenco das Silver Dancers, as dançarinas do San Antonio Spurs.

Esta seção, que reúne as mais belas cheerleaders da NBA, é publicada às quartas-feiras

terça-feira, 27 de abril de 2010

Nada a declarar...

Em alguns momentos de nossa vida, é melhor silenciar do que abrir a boca para se arrepender depois. Embora em alguns momentos a vontade de mandar uns e outros para algum lugar pouco recomendável seja quase irresistível.

Voltaremos em uma edição extraordinára.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

O Paulistão e o culto à breguice

Reportagem desta segunda-feira da Folha de S. Paulo, assinada por Rodrigo Bueno, trouxe uma análise muito pertinente a respeito daquele que já foi conhecido como o melhor campeonato regional do Brasil, o Paulistão. A breguice se impõe do início ao fim do torneio do Marco Polo Del Nero, que deverá entrar para a história como um dos cartolas mais esdrúxulos do futebol paulista.

A cena do segurança entrando em campo antes da final deste domingo, entre Santo André e Santos, carregando numa redoma de vidro a bola que seria usada na decisão (e que ao contrário do divulgado não tinha fios de ouro) foi uma das mais patéticas desde a invenção do futebol.

O Paulistão mostrou também que não respeita as normas da Fifa e da Conmebol, ao permitir (graças à Federação Paulista de Futebol) a inscrição "Pacaembu, 70 anos" em pleno gramado, o que é proibido. Basta lembrar que a mesa coisa foi feita antes do jogo entre Corinthians e Independiente de Medellin, pela Taça Libertadores, e o juiz ameaçou adiar a partida se ela não fosse apagada.

E faltando somente uma partida para seu encerramento, o Campeonato Paulista conseguirá salvar um pouco o seu prestígio só por causa do futebol fantástico deste time do Santos, o virtual campeão estadual. Porque de modo geral, foi um torneio ridículo, de nível técnico sofrível e recheado de equipes medíocres.

Foto: Segurança entra em campo carregando a bola da decisão, numa redoma de vidro. Um show de falta de gosto.
Crédito: Globoesporte.com

domingo, 25 de abril de 2010

sábado, 24 de abril de 2010

Raio-X das oitavas de final
da Taça Libertadores 2010



Corinthians - 16PG/ 6J/ 5V/ 1E/ 0D/ 9GP/ 3GC/ 89% aprov.
Flamengo - 10PG/ 6J/ 3V/ 1E/ 2D/ 11GP/ 9GC/ 56% aprov



Universidad de Chile - 12PG/ 6J/ 3V/ 3E/ 0D/ 10GP/ 6GC/ 67% aprov.
Alianza Lima (Peru) - 12PG/ 6J/ 4V/0E/ 2D/ 12GP/ 7GC/ 67% aprov.


Libertad (Paraguai) - 12PG/ 6J/ 3V/ 3E/ 0D/ 10GP/ 3GC/ 67% aprov.
Once Caldas (Colômbia) - 11PG/ 6J/ 3V/ 2E/ 1D/ 8GP/ 5GC/ 61% aprov.

Vélez Sarsfield (Argentina) - 13PG/ 6J/ 4V/ 1E/ 1D/ 10GP/ 5GC/ 72% aprov.
Chivas Guadalajara (México) - classificado antecipadamente pelos problemas da gripe suína na Libertadores 2009


Estudiantes (Argentina) - 13PG/ 6J/ 4V/ 1E/ 1D/ 11GP/ 5GC/ 72% aprov.
San Luis (México) - classificado antecipadamente pelos problemas da gripe suína na Libertadores 2009

Internacional - 12PG/ 6J/ 3V/ 3E/ 0D/ 8GP/ 2GC/ 67% de aprov.
Banfield (Argentina) - 11PG/ 6J/ 3V/2E/ 1D/ 13GP/ 8GC/ 61% de aprov.

Nacional (Uruguai) - 12PG/ 6J/ 3V/ 3E/ 0D/ 9GP/ 4GC/ 67% de aprov.
Cruzeiro - 11PG/ 6J/ 3V/ 2E/ 1D/ 12GP/ 6GC/ 61% de aprov.


São Paulo - 13PG/ 6J/ 4V/ 1E/ 1D/ 9GP/ 2GC/ 72% de aprov.
Universitario (Peru) - 10PG/ 6J/ 2V/ 4E/ 0D/ 5GP/ 2GC/ 56% de aprov.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

A incrível máquina de fazer pontos

Coluna Diário Esportivo, publicada na edição de 23 de abril do Diário de S. Paulo

Quem viu o set decisivo da final da Superliga feminina de vôlei, no último domingo, certamente se lembra de uma cena impressionante: a cada ponto que marcava pelo Sollys/Osasco diante do Unilever/Rio, a atacante Natália saia para comemorar furiosamente com suas companheiras. Parecia até que estava transtornada. De fato, Natália jogou com raiva, graças a um cartão amarelo recebido no terceiro set e que rendeu um ponto ao time carioca. O resultado de tanta indignação: 28 pontos marcados pela jovem catarinense, de 21 anos, quase 30% do total marcado pelo Osasco.

A fantástica atuação de Natália foi o ponto alto de um jogo para entrar na história do vôlei feminino brasileiro, e que culminou com a vitória do time paulista, quebrando um jejum de quatro vice-campeonatos seguidos na Superliga. Mas se já seria natural esperar um duelo emocionante, até pelo histórico de rivalidade entre Sollys e Unilever, a marcante atuação de Natália (segunda maior pontuadora do torneio) mostrou que estamos diante de uma feroz máquina de fazer pontos.

Mas é bom avisar: não se trata de uma nova Ana Moser. Embora o poder de ataque das duas seja semelhante, Ana Moser tinha um ótimo passe, além de jogar demais. Natália tem um enorme potencial, mas ainda precisa evoluir muito nas quadras.

O único ponto negativo da decisão da Superliga foi seu próprio regulamento. É de uma burrice inaceitável que um torneio cuja fase de mata-mata foi toda em melhor de três jogos tenha sido decidido numa só partida.

A coluna Diário Esportivo, assinada por este blogueiro, é publicada às sextas-feiras no Diário de S. Paulo

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Eis a prostituta que pode complicar a vida de Franck Ribéry na seleção francesa

O francês Ribéry, do Bayern Munique, está sentindo na pele parte do que o golfista americano Tiger Woods vem passadno nos últimos tempos. A divulgação de que o feioso atacante se envolveu com uma prostituta menor de idade tem causado um verdadeiro terremoto na imprensa europeia.

E pra piorar, a moça em questão, Zahia Dehar, de origem marroquina, teria feito programas também com outros integrantes da seleção francesa, como Govou e Benzema. E o cachê seria de 2.000 euros.

Segundo o jornal espanhol Marca, o escândalo pode ter prejudicado uma possível negociação de Ribéry com o Real Madrid. Que roubada. E tudo isso falntando 50 dias para a Copa do Mundo da África do Sul começar.

Abaixo, as imagens da moça que tem feito um enorme estrago em terras francesas.




Iziane está de volta! Infelizmente

"Disse que quero jogar o Mundial. Ele falou que conta comigo e que me convocará. Estou com muita vontade de voltar"
Ala Iziane Marques, em entrevista ao Diário Lance! desta quinta-feira, relatando seu encontro com o novo técnico da seleção brasileira feminina, o espanhol Carlos Colinas, que confirmou qie irá convocá-la para o Mundial da República Tcheca.

A arrogância, indisciplina e falta de profissionalismo da "estrela" Iziane levaram a melhor. É mais ou menos como se o sargento Garcia prendesse o Zorro ou se o Coiote conseguisse pegar o Papa-Léguas.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Será que vai ter goleada hoje?

Tudo bem que será com o time reserva, mas o que será que o Santos irá aprontar para o Guarani nesta noite, na partida de volta das oitavas de final da Copa do Brasil? Goleada à vista?

Confira aqui as maiores goleadas na história da Copa do Brasil

As dançarinas da NBA (26):
Althea, do Sacramento Kings



Althea, estudante de administração de empresas na San Francisco State University, adora assitir corridas de carros e motos pela TV, tem como hobbie a fotografia e não vê a hora de chegar o verão, sua estação preferida, é integrante das Kings Dance Team, as dançarinas do Sacramento Kings

Esta seção, que reúne as mais belas cheeleadres da NBA, é publicada às quartas-feiras

terça-feira, 20 de abril de 2010

Os 80 anos da Copa do Mundo (21)

A única coisa de importante que a seleção da Rússia fez na Copa do Mundo dos EUA, em 1994, foi graças ao centroavante Oleg Salenko, que no dia 28 de junho tornou-se o jogador que mais gols fez numa única partida, ao anotar cinco vezes na goleada de 6 a 1 da Rússia sobre Camarões.

Salenko ainda faria mais um gol naquele Mundial e terminaria como artilheiro da Copa. A bela atuação nos gramados norte-americanos depertou a atenção do Glasgow Rangers, onde fez sete gols em 14 jogos. Encerrou a carreira em 2001, na Polônia, onde fez só um gol pelo Pogon Szczecin. Trabalha como treinador e também integra a seleção russa de futebol de areia atualmente.




Brasil Olímpico (15)

Do UOL Esportes - 20/04/2010

Senadores criticam Rio 2016 por tentar
"proibir" palavras como "Jogos" e "Rio"


O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos do Rio 2016 tentou, mas não deve conseguir adicionar novas palavras à lista “protegida” do Ato Olímpico. Nesta terça-feira, em assembleia pública, a proposta assinada pelo presidente da entidade, Carlos Arthur Nuzman, foi duramente criticada por senadores da Comissão de Educação, Cultura e Esporte.

Em carta datada de dezembro de 2009, enviada para o presidente do Senado, José Sarney, Nuzman diz que o Comitê Organizador está sofrendo para evitar o “marketing de emboscada” relacionado aos Jogos. Por isso, pede a inclusão de novos termos na lista de marcas protegidas pelo Ato Olímpico.

A polêmica começa justamente aí. A lei criada para garantir que os Jogos Olímpicos seriam realizados no Rio em 2016 já tem uma lista de termos que se enquadram na proteção á marca olímpica. Já estão sob a tutela do Rio 2016 palavras como “Olimpíadas”, “olímpicos”, “Jogos Olímpicos” e “Rio 2016”, por exemplo. A nova lista, porém, “proibiria” também termos e expressões mais comuns, como Rio e 2016 isolados, além das palavras medalhas (isolada ou acompanhada de ouro, prata e bronze) e patrocinador.

“A sugestão do COB (na verdade, do CO Rio 2016) é exagerada e demonstra que a vontade dos patrocinadores está sobrepujando os direitos consagrados pela Constituição, além de ferir a propriedade do vocabulário”, disse o senador Álvaro Dias (PSDB-PR). Marisa Serrano (PSDB-MS) se disse favorável à manutenção da atual legislação. Ela lembrou que, caso a inclusão dos termos na lista de proteção à marca olímpica fosse aceita, até o termo "olimpíadas da matemática" seria proibido.

O UOL Esporte entrou em contato com o Comitê Rio 2016, que prometeu resposta. Em entrevista ao site “Congresso em Foco”, Nuzman disse que o pedido feito atendia a uma demanda do Comitê Olímpico Internacional. “Faz parte da Carta Olímpica. É um compromisso assumido pelas autoridades brasileiras. Da mesma forma que Pequim fez nos seus Jogos Olímpicos, que Atenas fez, que Sydney, que Barcelona... Isso é igual é para todas as cidades. Iguais à Copa do Mundo, que tem as suas exigências especiais”, afirmou o dirigente.

A nova camisa comemorativa do São Paulo

Por Felipe Elias, do felldesign




segunda-feira, 19 de abril de 2010

Santos leva vantagem histórica sobre o Santo André no Paulista; veja os jogos

Não são apenas os números impressionantes deste fabuloso time do Santos que lhe dá um favoritismo absurdo diante do Santo André, na decisão do Campeonato Paulista. Historicamente, a superioridade do Peixe sobre o Ramalhão é inquestionável, em confrontos válidos pelo estadual.

Ao longo de 25 partidas, o Santos já venceu 12, o dobro de triunfos obtido pelo Santo André. Na artilharia, os santistas marcaram quase duas vezes mais: 36 a 19.

Abaixo, todos os confrontos entre Santos e Santo André na história do Paulistão:

9/7/1982 - Santo André 0 x 0 Santos
16/10/1982 - Santos 2 x 0 Santo André
19/7/1983 - Santo André 1 x 1 Santos
3/9/1983 - Santos 1 x 2 Santo André
29/8/1984 - Santos 2 x 0 Santo André
22/9/1984 - Santo André 1 x 0 Santos
1/5/1985 - Santo André 0 x 1 Santos
18/9/1985 - Santos 1 x 0 Santo André
23/2/1986 - Santos 4 x 0 Santo André
31/5/1986 - Santo André 2 x 1 Santos
15/3/1987 - Santo André 1 x 0 Santos
12/8/1987 - Santos 0 x 0 Santo André
30/4/1989 - Santos 0 x 0 Santo André
4/2/1990 - Santo André 0 x 1 Santos
1/8/1992 - Santo André 1 x 1 Santos
31/10/1992 - Santos 2 x 2 Santo André
6/2/1994 - Santo André 1 x 0 Santos
24/3/1994 - Santos 2 x 0 Santo André
25/1/2003 - Santo André 2 x 2 Santos
8/2/2004 - Santo André 1 x 3 Santos
23/3/2005 - Santo André 3 x 2 Santos
2/2/2006 - Santos 3 x 0 Santo André
11/2/2007 - Santo André 1 x 2 Santos
25/3/2009 - Santos 3 x 0 Santo André
4/2/2010 - Santo André 1 x 2 Santos

domingo, 18 de abril de 2010

Santos e Santo André deverão fazer a
final do Paulistão, aponta o internauta

Tudo bem que não chegou a me surpreender, mas confesso que fiquei impressionado com o resultado final da enquete sobre quais serão os finalistas do Campeonato Paulista.

É verdade que a opção "Santos e Santo André" seria a mais lógica, tal a vantagem que os dois times conquistaram nas partidas de ida da semifinal. Mas o fato de 60,7% dos internautas terem optado pelo Peixe e o Ramalhão demonstra que qualquer outro resultado que ocorra no final deste domingo será uma enorme zebra.

A segunda opção mais votada, "São Paulo e Santo André", contou com a preferência de 25% dos blogueiros. Mas isso só será possível caso o Tricolor consiga ganhar na Vila Belmiro por dois gols de vantagem.

Para 10,7% dos internautas, a decisão será o improvável confronto "São Paulo e Grêmio Prudente", o que me leva a acreditar que foram votos de grandes fanfarrões. Por fim, apenas 3,6% dos blogueiros acredita que a decisão será entre Santos e Grêmio-PP.

Os cartazes das Copas do Mundo:
Estados Unidos-1994 e França-1998


Estados Unidos - 1994



França - 1998

A seção "Os cartazes das Copas do Mundo" será publicada aos domingos, até o dia 2/05

sábado, 17 de abril de 2010

Os playoffs da NBA 2009/10

Vamos ser sinceros: a NBA reúne o que há de melhor no basquete mundial, mas a coisa começa pra valer mesmo agora, com a largada dos playoffs da temporada 2009/10. A fase de mata-mata terá início neste sábado, com a realização de quatro partidas. Abaixo, um breve raio-x dos mata-matas da primeira fase e a retrospectiva dos confrontos na fase regular.

CONFERÊNCIA LESTE


Cleveland Cavaliers (1º) - 61V/21D
Chicago Bulls (8º) - 41V/41D

Confrontos na temporada regular: 2-2

Orlando Magic (2º) - 59V/23D
Charlotte Bobcats (7º) - 44V/38D
Confrontos na temporada regular: Orlando 3-1

Atlanta Hawks (3º) - 53V/29D
Milwaukee Bucks (6º) - 46V/36D
Confrontos na temporada regular: Atlanta 2-1

Boston Celtics (4º) - 50V/32D
Miami Heat (5º) - 47V35D
Confrontos na temporada regular: Boston 3-0


CONFERÊNCIA OESTE


Los Angeles Lakers (1º) - 57V/25D
Oklahoma City Thunder (8º) - 50V/32D
Confrontos na temporada regular: LA Lakers 3-0

Dallas Mavericks (2º) - 55V/27D
San Antonio Spurs (8º) - 50V/32D
Confrontos na temporada regular: Dallas 3-1

Phoenix Suns (3º) - 54V/28D
Portland Trail Blazers (6º) - 50V/32D
Confrontos na temporada regular: Portland 2-1

Denver Nuggets (4º) - 53V/29D
Utah Jazz (5º) - 53V/29D
Confrontos na temporada regular: Denver 3-1

O baú das Copas (7)


Copa do Mundo do Chile - 1962

Período de disputa: 30/05 a 17/06/1962
Cidades-sede: Arica, Rancagua, Santiago e Viña del Mar
Estádios utilizados: Estádio Carlos Dittborn (Arica), Estádio Nacional (Santiago), Estádio Sausalito (Viña del Mar), Estádio Braden (Rancagua)
Eliminatórias: 56 seleções inscritas, 51 seleções participantes
Países classificados: 14
Total de jogos: 32
Total de gols marcados: 89
Média de gols: 2,78 gols/jogo

1º gol da Copa: Herctor Facundo (Argentina), aos 4min do jogo Argentina 1 x 0 Bulgária
Último gol da Copa: Vavá (Brasil), aos 78min do jogo Brasil 3 x 1 Tchecoslováquia

Artilheiros: Albert (Hungria), Ivanov (URSS), Garrincha (Brasil), Jerkovic (Iugoslávia), Vavá (Brasil) e Sanchez (Chile) - 4 gols
Melhor ataque: Brasil - 14 gols
Pior ataque: Bulgária - 1 gol

Melhor defesa: Itália e Alemanha Ocidental - 2 gols
Pior defesa: Colômbia - 11 gols
Total de público: 776.000 pessoas
Média: 24.250 pessoas/jogo
Jogador mais jovem da Copa: Rivera (Itália) - 18 anos e 286 dias
Jogador mais velho da Copa: Nílton Santos (Brasil) - 37 anos e 32 dias


CLASSIFICAÇÃO FINAL:

  1. BRASIL
  2. Tchecoslováquia
  3. Chile
  4. Iugoslávia
  5. URSS
  6. Hungria
  7. Alemanha Ocidental
  8. Inglaterra
  9. Itália
  10. Argentina
  11. México
  12. Espanha
  13. Uruguai
  14. Colômbia
  15. Bulgária
  16. Suíça

Foto: Garrincha comemora com Vavá um dos gols da seleção brasileira na decisão contra a Tchecoslováquia
Crédito: Reprodução

sexta-feira, 16 de abril de 2010

GP da China: conheça o circuito de Xangai


Circuito de Xangai

Traçado: 5.451m

Número de voltas: 56 (305,066 km)
Número de curvas: 5 (esquerda) e 5 (direita)
Velocidade máxima alcançada: 320 km/h
Recorde de volta mais rápida: Michael Schumacher (Ferrari) - 1min32s238 (2004)
Recorde da pole position: Rubens Barrichello (Ferrari) - 1min34s012 (2004)
Pole em 2009: Sebastian Vettel (Red Bull) - 1min36s184

Pódio em 2009: 1º) Sebastian Vettel (ALE/Red Bull); 2º) Mark Webber (AUS/Red Bull); 3º) Jenson Button (ING/Brawn GP)

Triste fim da escola de campeões


Coluna Diário Esportivo, publicada na edição de 16 de abril do Diário de S. Paulo

Pode ter terminado de forma melancólica, na última terça-feira, uma parte significativa da história recente do esporte brasileiro. O Brasil Vôlei Clube, que traz em seu DNA toda a tradição do antigo Banespa e que após a venda do banco foi rebatizado de Santander , ainda respira por aparelhos, mas deverá mesmo acabar por falta de patrocínio. Se o motivo do fechamento não chega a ser novidade, é de se lamentar profundamente que o encerramento das atividades do clube termine, por tabela, com a maior escola formadora de talentos do vôlei brasileiro.

Ao ser eliminado terça-feira pelo Montes Claros nas quartas de final da Superliga masculina, o time de São Bernardo também acabou com um ciclo de sofrimento que já durava desde agosto do passado, quando o Santander anunciou a retirada do investimento. O pior de toda esta história, para mim, é saber que o maior fornecedor de mão de obra do vôlei do Brasil irá fechar as portas.

Um número apresentado em uma reportagem do DIÁRIO da última quarta-feira, de autoria de Marta Teixeira, mostra a importância do Banespa (não consigo me acostumar a chamar este time por outro nome): em seus 26 anos de atividade ininterruptos, nada menos do que 23 jogadores formados pelo clube chegaram à seleção brasileira adulta. Nomes da importância de Marcelo Negrão, Tande, Giovane, Ricardinho, Murilo, Gustavo, Rodrigão. Todos craques, todos campeões. O fechamento do Banespa é, também, o fim de uma parte do vôlei do Brasil.

Foto: Um dos históricos times do Banespa, com Marcelo Negrão (nº 1), Giovane (3), Amauri (15), Montanaro (4) e Maurício (na fila de baixo, o terceiro da direita para a esquerda)
Crédito: reprodução


A coluna Diário Esportivo, assinada por este blogueiro, é publicada às sextas-feiras no Diário de S. Paulo

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Seleção brasileira está bem
de chefe de delegação, hein?


Fico imaginando como será a atuação do estadista e "diplomata" Andrés Sanchez na chefia da delegação do Brasil durante a Copa do Mundo da África do Sul...

Do site Globoesporte.com

CBF escolhe Andrés Sanches como chefe
da delegação brasileira na África do Sul

Andrés Sanches, presidente do Corinthians, será o chefe da delegação brasileira na Copa do Mundo da África do Sul. A decisão foi tomada em reunião na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), nesta quinta-feira, no Rio de Janeiro.

Esta não é a primeira vez que Sanches é escolhido pelo presidente Ricardo Teixeira para integrar a comitiva brasileira no exterior. O dirigente alvinegro já havia viajado para acompanhar o amistoso do Brasil contra a Estônia, em 12 de agosto do ano passado, na Europa.

CBF e Corinthians mostraram também que estavam próximos na eleição do Clube dos 13, na semana anterior. Sanches fez campanha e votou em Kléber Leite, candidato que tinha o apoio de Ricardo Teixeira. A vitória, porém, foi de Fábio Koff, da situação.

A união da entidade ao Corinthians pode ter efeitos também na Copa do Mundo de 2014. Em entrevistas recentes, o mandatário da CBF disse que o projeto feito pelo São Paulo foi rejeitado pela Fifa e que a presença do Morumbi na abertura do Mundial corria riscos.

Curiosamente, o Corinthians se apressa nos bastidores para oficializar a construção de um estádio para os próximos anos. Com o apoio da CBF e o aval da Fifa, o sonho dos alvinegros por uma "casa própria" pode começar a sair do papel.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Fim de uma polêmica chata e sem sentido

De forma surpreendente, a CBF decidiu entregar a famosa Taça das Bolinhas para o São Paulo. Aquela cujo dono seria a equipe que conquistasse o Campeonato Brasileiro três vezes consecutivas ou cinco alternadas. E pela lógica da entidade que comanda o futebol brasileiro, o primeiro time a se sagrar pentacampeão nacional foi o Tricolor.

Eis o final de um dos assuntos mais aborrecidos e pentelhos na imprensa esportiva nos últimos anos. Uma grande malice. Todo mundo que conhece um pouco de futebol sabe que o Flamengo foi o primeiro penta, pois ganhou o título da Copa União de 1987 (que deveria ser dividido oficialmente com o Sport) e garantiu a quinta conquista em 1992. O São Paulo só faturou seu quinto título em 2007, ou seja, 15 anos depois.

Querem saber de uma coisa: o São Paulo deveria pegar esta droga de taça e entregá-la ao Flamengo. Seria uma bofetada com cinco luvas de pelica no Ricardo Teixeira.

As dançarinas da NBA 2009/10 (25): Kimberly, do Portland Trail Blazers


Kimberly, nascida em Newberg (Oregon), de 1m55 de altura, tem mais de dez anos de experiência com dança, dona de dois gatos (Kiwi e Harvey) e fã dos seriados 30 Rock e The Office, é integrante das Blazer Dancers, a equipe de dançarinas do Portland Trail Blazers

Esta seção, que reúne as mais belas cheeleaders da NBA, é publicada às quartas-feiras


terça-feira, 13 de abril de 2010

Do blog do Maurício Noriega

A cidade de São Paulo na Copa, o que eu penso

por Maurício Noriega

Como principal pólo econômico da América Latina, São Paulo não pode ficar fora da Copa do Mundo de 2014. Pelo que representa para o País, seria ideal para a abertura do Mundial. O Rio, cidade mais conhecida e principal destino turístico brasileiro para o mundo, deve fazer a final. Isso é cristalino, óbvio.

O único estádio de futebol na cidade de São Paulo atualmente em condição de pleitear um jogo de Copa do Mundo é o Morumbi. O normal seria que houvesse consenso entre clubes e todos os setores envolvidos em torno desse estádio.

Construir mais um estádio de futebol em São Paulo não parece fazer sentido. Há quatro estádios com proporções de média para grande: Canindé, Palestra Itália, Pacaembu e Morumbi. Todos precisam de muitas reformas para atenderem às exigências da Fifa, em maior ou menor grau.

O problema maior do Morumbi não está no estádio em si, mas na área externa, que não comporta estacionamentos e área para caminhões de transmissão. Hoje o acesso dos times é precário para os padrões internacionais.

Um investidor potencial em estádios com quem conversei questiona o fato de se investir milhões na reforma do Morumbi sem poder ser parceiro do estádio na hora de conseguir o retorno. Algo como pagar a reforma de um teatro e não ganhar um tostão no futuro. E o investimento para adequar o Morumbi é pesadíssimo.

Num mundo ideal, São Paulo, Palmeiras, Corinthians e Santos deveriam utilizar o Morumbi em conjunto, dividindo despesas e lucros, como se o estádio fosse o que praticamente é, um patrimônio do futebol paulista. Mas será que o São Paulo toparia como dono do estádio? E os co-irmãos? Será que vale a pena para o São Paulo investir rios de dinheiro num estádio que servirá aos propósitos da Fifa por um mês, mas que talvez se torne um elefante branco para ele próprio depois da Copa?

Não faz sentido uma entidade como a Federação Paulista de Futebol construir um novo estádio em São Paulo. Pelo menos para mim. A não ser que o estádio possa ser compartilhado por três grandes clubes, que poderiam abrir mão de seus próprios estádios e ganhar dinheiro vendendo os terrenos ou ampliando suas áreas sociais. Isso certamente jamais aconteceria.

O Pacaembu não tem condições de atender às exigências da Fifa, é um estádio tombado. Nem atende aos desejos do Corinthians de explorá-lo mais e melhor economicamente, com camarotes e benfeitorias. Daí o eterno desejo corintiano de fazer um estádio que comporte confortavelmente um número grande de sua enorme massa de torcedores.

O Palmeiras está em vias de iniciar a transformação de seu estádio em uma Arena multiuso. Mas não quer encarecer o projeto, previsto para 45 mil lugares, ampliando-o para um número maior de torcedores. Embora seja o desejo de pessoas com influência política no clube, para pleitear a abertura da Copa. O mandatário atual do clube pensa num estádio menor, mas em condições de receber um jogo da Itália, por exemplo.

A Fifa não fala em dois estádios numa mesma cidade para 2014.

Enfim, uma confusão dos diabos.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Os 80 anos da Copa do Mundo (20)

Aquele que é considerado o maior jogo da história das Copas, Itália 4 x 3 Alemanha Ocidental, pelas semifinais da Copa de 70, no México, agora em imagens preto e branco, como foram mostradas na época aqui no Brasil. Exibido pelo programa Grandes Momentos do Esporte, da TV Cultura, em 2005, teve sua narração creditada à Walter Abrahão, mas sei não, acho que é outro narrador. Orlando Duarte, talvez?

O que importa é que o jogo foi sensacional...



Osasco tenta quebrar tabu contra
o Rio na Superliga feminina de vôlei

Para evitar o desagradável rótulo de "penta-vice", a equipe do Osasco (agora batizada com o nome de Sollys/Osasco) tentará neste domingo quebrar o tabu e derrotar o Unilever, do Rio de Janeiro, na decisão da Superliga feminina de vôlei. A última vez em que o Osasco foi campeão - e derrotando o então carioca Rexona - foi na temporada 2004/05.

A decisão acontecerá em uma única partida, na repetição do estúpido regulamento criado pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), que atende a um pedido da emissora de tv que detém os direitos de transmissão. Regulamento estúpido simplesmente porque distorce tecnicamente o campeonato, que até agora teve os mata-matas disputados em melhor de três partidas.

Abaixo, os resultados das últimas decisões entre Osasco e Rio:


2004/05: Finasa/Osasco 3 x 0 Rexona (série melhor de cinco)
2005/06: Rexona 3 x 2 Finasa/Osasco (série melhor de cinco)
2006/07: Rexona 3 x 2 Finasa/Osasco (série melhor de cinco)
2007/08: Rexona 3 x 1 Finasa/Osasco (jogo único)
2008/09: Rexona 3 x 2 Finasa/Osasco (jogo único)

domingo, 11 de abril de 2010

Os 80 anos da Copa do Mundo (19)

A Copa do Mundo de 1962 foi uma das mais estranhas da história. Para começar, o nível técnico foi bem inferior aos dois Mundiais anteriores, na Suécia (58) e Suíça (54). E a própria seleção brasileira esteve longe de ser brilhante, mostrando um time envelhecido e que precisou de uma mãozinha da arbitragem para avançar na competição.

Em fevereiro, uma reportagem do programa Esporte Espetacular, da Rede Globo, mostrou que o bandeirinha do jogo Brasil x Chile, o uruguaio Esteban Marino, aceitou suborno para não participar do julgamento de Mané Garrincha, expulso na semifinal contra o Chile. E o suborno teria partido de um árbitro brasileiro, João Etzel Filho.

Antes, a seleção ganhou uma forcinha dos árbitros, como na partida decisiva da primeira fase entre Brasil x Espanha. O pênalti não marcado de Nilton Santos no atacante espanhol foi um dos maiores assaltos na história dos Mundiais.




A estranha mania do São Paulo de
ser derrotado no último minuto (2)

Sim, está mais do que comprovado: se existe um time que gosta de tratar o seu torcedor com requintes de crueldade, este é o São Paulo. Conforme post publicado pelo blog no último dia 28 de março, após a derrota para o Corinthians por 4 a 3, o Tricolor tem uma mania quase incontrolável de ser derrotado em jogos importantes nos instantes finais de uma partida.

Neste domingo, na primeira semifinal contra o Santos, não foi diferente. Novamente uma derrota nos minutos finais. E para piorar, um resultado que na prática marcará a eliminação do time no Campeonato Paulista. Sim,o Santos, que é o melhor time em atividade no futebol brasileiro em 2010,não perderá a vaga na decisão. Detalhe: mesmo se perder por um gol de diferença o Peixe estará classificado...

Abaixo, só para atazanar a vida dos são-paulinos, mais provas incontestáveis desta estranha mania do São Paulo em levar gols nos minutos finais:








Os cartazes das Copas do Mundo:
México-1986 e Itália-1990


México - 1986




Itália - 1990

A seção "Os cartazes das Copas do Mundo" será publicada aos domingos, até o dia 2/05

sábado, 10 de abril de 2010

Os 80 anos da Copa do Mundo (18)

Imagens da primeira Copa do Mundo vencida pelo Brasil, em 1958, na Suécia, quando derrotou os donos da casa por 5 a 2, com direito a um gol antológico de Pelé no final da partida.




Isinbayeva e o direito de dar um tempo


Os sites especializados em esporte estampam, entre várias manchetes, que a saltadora russa Elena Isinbayeva decidiu dar um tempo nas competições. Sim, a mulher que parecia não encontrar limites na prova do salto com vara, onde quebrou inúmeras vezes o recorde mundial, sendo que o último deles se encontra em 5m06, resolveu interromper a carreira por tempo indeterminado.

É claro que deve ter pesado na decisão da bela russa de 27 anos o fracasso nas duas últimas grandes competições que disputou, os Mundiais de Berlim, em 2009, e o de pista coberta,em Doha, no mês passado, quando foi superada pela brasileira Fabiana Murer, a primeira mulher a ganhar uma medalha de ouro em Mundiais.

A vaidade abalada por estes péssimos resultados pode, sim, ter influenciado Isinbayeva, que no Mundial de Berlim reconheceu que estava mais focada em outras atividades extra-pista, como ensaios fotográficos e comerciais.

“Eu estive pensando sobre isso com muito cuidado nas últimas três semanas e agora concluí que uma pausa nas competições é absolutamente necessária para mim”, disse Isinbayeva, em uma nota oficial divulgada por seu agente.

Antes que comecem a jogar pedras na russa, é bom lembrar que enquanto esteve 100% focada em sua carreira, ela foi imbatível. Inclusive se decidir nunca mais competir, suas marcas permanecerão intactas por um bom tempo. E acima de tudo, qualquer um tem o direito de dar um tempo para refletir na vida de vez em quando.

O baú das Copas (6)


Copa do Mundo da Suécia - 1958

Período de disputa: 6 a 29/6/1958
Cidades-sede: Malmö, Halmstad, Helsingborg, Västeras, Norrköping, Örebro, Eskilstuna, Estocolmo, Sandviken, Gotemburgo, Uddevalla, Boräs
Estádios utilizados: Örjans Vall (Halmstad), Malmö Stadium (Malmö), Olympiavalle (Helsingborg), Arosvallen (Västeras), Idrottsparken (Noorköping), Eyravallen (Örebro), Tunavallen (Eskilstuna), Raasunda Stadion (Estocolmo), Jernvallen (Sandviken), Rimnersvallen (Uddevalla), Nya Ullevi Stadion (Gotemburgo), Ryavallen (Boräs)
Eliminatórias: 55 seleções inscritas, 48 seleções participantes
Países classificados: 14
Total de jogos: 35
Total de gols marcados: 126
Média de gols: 3,60 gols/jogo

1º gol da Copa: Agne Simonsson (Suécia), aos 17min do jogo Suécia 3 x 0 México
Último gol da Copa: Pelé (Brasil), aos 90min do jogo Brasil 5 x 2 Suécia

Artilheiro: Fontaine (França) - 13 gols
Melhor ataque: França - 23 gols
Pior ataque: México - 1 gol

Melhor defesa: Brasil e País de Gales - 4 gols
Pior defesa: França - 15 gols
Total de público: 868.000 pessoas
Média: 24.800 pessoas/jogo
Jogador mais jovem da Copa: Pelé (Brasil) - 17 anos e 235 dias
Jogador mais velho da Copa: Angel Labruna (Argentina) - 39 anos e 260 dias


CLASSIFICAÇÃO FINAL:
  1. BRASIL
  2. Suécia
  3. França
  4. Alemanha Ocidental
  5. País de Gales
  6. URSS
  7. Irlanda do Norte
  8. Iugoslávia
  9. Paraguai
  10. Tchecoslováquia
  11. Hungria
  12. Inglaterra
  13. Argentina
  14. Escócia
  15. Áustria
  16. México

Foto: A seleção brasileira posa com a taça Jules Rimet (nas mãos do capitão Bellini), após derrotar a Suécia na final por 5 a 2 e conquistar a Copa do Mundo pela primeira vez
Crédito: Fifa.com

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Os 80 anos da Copa do Mundo (17)

Eis um recorde que irá demorar um tempo para ser batido na história das Copas: Lothar Matthäus, meia da Alemanha, que disputou nada menos do que 25 partidas pela seua seleção em cinco Mundiais: 1982, 1986, 1990, 1994 e 1998. Em uma delas (Itália-90), foi o grande craque na campanha do tricampeonato alemão.



Os 80 anos da Copa do Mundo (16)

Na mais estranha disputa pelo terceiro lugar na história das Copas do Mundo, em 2002, no Japão e Coreia do Sul, eis que o turco Hakan Sukur marcou o gol mais rápido em todos os Mundiais, com apenas 11 segundos de partida.



Abaixo, uma lista de outros gols "instantâneos" das Copas:

15s - Vaclav Masek (Tch) - Tchecoslováquia 3 x 1 México - 7/6/1962
25s - Ernest Lehner (Ale) - Alemanha 3 x 2 Áustria - 7/6/1934
27s - Bryan Robson (Ing) - Inglaterra 3 x 1 França - 16/6/1982
37s - Bernard Lacombr (Fra) - França 1 x 2 Itália - 2/6/1978
50s - Adalbert Desu (Rom) - Romênia 3 x 1 Peru - 14/7/1930
52s - Celso Ayala (Par) - Paraguai 3 x 1 Nigéria - 24/6/1998

O Paulistão precisa ser repensado

Com o encerramento da fase de classificação do Campeonato Paulista e há dois dias do início da semifinal da competição, é o momento de se fazer uma rápida análise daquele que foi um dia o melhor campeonato estadual do Brasil.
  • O Paulistão está absurdamente inchado. Os quatro clubes que foram rebaixados (Sertãozinho, Rio Branco, Monte Azul e Rio Claro) nem deveriam ter subido para a Série A-1. E vários dos que sobreviveram são times ridículos também. O torneio deveria ter, no máximo, 12 clubes.
  • Este foi o campeonato dos mandos de campo invertidos. Ou vendidos, se você preferir. Não tem cabimento você participar de um campeonato e ao invés de receber os grandes times em seu estádio, ir jogar em outra cidade. Por mais que o dinheiro seja importante. No fim, só mostra que se você faz isso por grana, não tem condição de participar do campeonato.
  • Segundo informa a coluna Painel, da Folha de S. Paulo, a média de público desta primeira fase mal passou das quatro mil pessoas por jogo. Mas alguns "clássicos" entre os times pequenos chegaram a ter menos de 300 testemunhas nas arquibancadas.
  • E só uma constatação cruel: só a Portuguesa mesmo para perder do Ituano em casa por 3 a 2, depois de começar vencendo por 2 a 0, levando gols de dois jogadores aposentados!

Cavalo de Aço agora é imortal

Coluna Diário Esportivo, publicada na edição de 9 de abril do Diário de S. Paulo


“Se o Ubiratan jogasse em um país de Primeiro Mundo, já teria entrado no Hall da Fama há muito tempo.”

A frase acima é de Wlamir Marques, ex-ala da seleção brasileira e foi publicada pelo DIÁRIO na edição de 18/07/2002, um dia após a morte de Ubiratan Pereira Maciel. Amigo do ex-pivô, companheiro na campanha do título mundial de 1963 e na conquista da medalha de bronze olímpica em Tóquio (64), Wlamir não se conformava com a ausência de Bira no Hall da Fama do Naismith Memorial, em Springfield (EUA), que reúne as maiores lendas do basquete mundial.

Desde a última segunda-feira, Wlamir não precisa ficar mais inconformado. Os dirigentes do Hall da Fama aprovaram a entrada de Ubiratan entre os imortais do basquete, colocando-o no mesmo patamar de monstros sagrados como Michael Jordan, Larry Bird, Magic Johnson, Isiah Thomas, entre outros craques inesquecíveis. E que fique bem claro: a presença do velho Bira no Hall da Fama americano (ele já havia sido incluído no Hall da Fama da Fiba no ano passado) é mais do que justa.

O “Cavalo de Aço”, como Bira era chamado, foi o mais importante pivô da história do basquete brasileiro. Conciliava uma agilidade impressionante na luta pelos rebotes com muita garra dentro da quadra. Participante ativo da geração de ouro do Brasil, foi vice-campeão mundial em 1970, na extinta Iugoslávia. Ainda foi bronze nos Mundiais do Uruguai (67) e Filipinas (78). Este prêmio é mais um rebote que o grande Bira pegou lá no céu.

A coluna Diário Esportivo, assinada por este blogueiro, é publicada às sextas-feiras no Diário de S. Paulo

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Curling, o esporte das multidões?


Dizem que os números não mentem jamais, não é mesmo? Pois bem, a assessoria de imprensa do canal Sportv acaba de divulgar que o Mundial Feminino de Curling, disputado no final de março, no Canadá, teve um impacto de audiência de mias de 1,1 milhão de pessoas nos três dias em que o evento foi exibido pelo Sportv 2.

Segundo os dados da pesquisa do Ibope, feita entreos dias 20 e 28 de março, do total de 1,1 milhão de pessoas, 56% era composto de homens e 58% têm entre 18 e 49 anos.

Por mais exótico e até engraçado que seja, não dá pra negar que o curling foi mesmo o fenômeno esportivo deste início de 2010.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Genialidade de Messi divide a
opinião de enquete do blog

Talvez seja a eterna rivalidade com o futebol argentino, ou então seja a falta de grandes atuações pela seleção da Argentina. Mas o fato é que Lionel Messi ainda não é considerado melhor do que Diego Maradona. Enquete realizado pelo blog nos últimos dias mostra total equilíbrio na opinião dos internautas.

Houve empate em dois quesitos da enquete: 36,1% apontaram o baixinho argentino como melhor do que Maradona, enquanto outros tantos colocam esta condição em dúvida.

Já 16,6% dos blogueiros consideram que Messi ainda não superou Maradona, mas que isso é só questão de tempo. E para 11,2% Messi jamais irá superar o grande ídolo dos argentinos.

As dançarinas da NBA 2009/10 (24):
Nicole, do Phoenix Suns



Nicole. nascida em Scottdale (Arizona), apelido "Coco", signo escorpião, formada em biologia, trabalha como assistente de um consultório dentário, amante de música country e sorvete, integra há uma temporada o elenco das Suns Dancers, a equipe de dançarinas do Phoenix Suns.

Esta seção, que reúne as mais belas cheerleaders da NBA, é publicada às quartas-feiras

Suzana Vieira é uma besta quadrada

O blog é de esportes, mas às vezes abrimos espaço para dar pitacos em outras freguesias...

No caso em questão, trata-se de uma entrevista surreal dada pela atriz Suzana Viera em Caruaru, na Semana Santa, onde esteve para apresentar o espetáculo "A Paixão de Cristo". A informação está na coluna do Flavio Ricco, do UOL. Foi um festival de grosserias, preconceitos e barbaridades proferidas por esta senhora, que apesar de quase septuagenária, quer agir como uma garotinha de 17 anos.

Simplesmente ridículo! Ouçam e comprovem.


terça-feira, 6 de abril de 2010

Os 80 anos da Copa do Mundo (15)

Roger Milla foi o mais velho jogador a disputar uma Copa do Mundo. Tinha 42 anos e 39 dias quando participou do Mundial dos EUA, em 1994. Quatro anos antes, contudo, na Copa da Itália, Milla viveu seu grande momento, marcando quatro gols e se transformando em um dos destaques do Mundial.

Abaixo, dois destes gols, na partida contra a Colômbia, pelas oitavas de final, no dia 23 de junho.


segunda-feira, 5 de abril de 2010

Brasil Olímpico (14)

Do UOL Esportes - 5/04/2010

Maracanãzinho alaga, e 2ª semi entre
Unilever e São Caetano é adiada


Bruno Doro e Paula Almeida
Em São Paulo


A tão aguardada partida entre Unilever e Blausiegel/São Caetano pela segunda rodada das semifinais da Superliga feminina de acaba de ser adiada. O jogo, agendado para esta terça-feira, às 21h, mudará de data - e talvez até mesmo de local - por problemas no Maracanãzinho. Ao que tudo indica, o novo duelo será na quarta-feira.

Em razão das fortes chuvas sobre o Rio de Janeiro neste início de semana, o rio Maracanã, que fica nos arredores do ginásio, transbordou nesta segunda-feira e inundou parte do Maracanãzinho. Neste início de noite, o estádio do Maracanã está inacessível, com água impedindo a passagem em todos os portões. Há 15 dias, o local sofreu com o mesmo problema, mas foi recuperado a tempo para um evento no dia seguinte.

Uma vistoria seria realizada nesta terça pela manhã no Maracanãzinho, para verificar a situação do ginásio, mas foi cancelada. Agora, representantes da CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) e das duas equipes vão se reunir para definir data, horário e local da nova partida. Entretanto, antes mesmo de a entidade confirmar o adiamento, os dois times já trabalhavam com a hipótese de o jogo não acontecer amanhã. O São Caetano, por sinal, sequer pôde treinar nesta segunda, já que não tinha ginásio a sua disposição. O time apenas fez musculação em uma academia da cidade.

Na opinião do técnico Mauro Grasso, dificilmente o jogo poderá ser realizado no Maracanãzinho, mesmo na quarta-feira. "Acho muito pouco provável que aconteça lá. Hoje, o taraflex (espécie de tapete que reveste a quadra) estava boiando, tinha onda embaixo dele", comentou o treinador.

Uma segunda opção de local seria o ginásio da Tijuca, onde a Unilever realiza seus treinamentos regularmente e disputa a maior parte de seus jogos como mandante.

"Se for no Tijuca, o ruim é que a torcida fica mais perto, o que atrapalha um pouco a gente, mas ao mesmo tempo é bom porque ele é parecido com o nosso ginásio (Lauro Gomes), tem as mesmas proporções, então a gente não sofreria tanto com o tamanho", completou Mauro Grasso.

David Trezeguet no Corinthians? Mas
1º de abril não foi na sexta-feira?

"A informação que nos temos é de que o Trezeguet gostaria de jogar no Corinthians. Seria uma honra para nós tê-lo no time. O jogador pode entrar em pauta mais para frente. Agora, estamos focados e não precisamos mexer no grupo"
Mario Gobbi, diretor de futebol do Corinthians, em entrevista à ESPN Brasil, literalmente esnobando uma estranha oferta para contar com Trezeguet no Timão. E o Dia da Mentira foi na semana passada, hein?

O velho Bira também está entre
os imortais do basquete mundial

Depois de bater na trave cinco vezes, finalmente o pivô brasileiro Ubiratan Maciel teve sua indicação aprovada para integrar o Hall da Fama do Naismith Memorial, em Springfield (EUA). A partir desta segunda-feira, o nome de Ubiratan foi aprovado para integrar a lista dos maiores nomes do basquete mundial.

Não que o velho Bira precisasse disso para ser imortalizado na memória dos fãs brasileiros do basquete. Foi um dos maiores pivôs que já vestiram a camisa do Brasil, jogador de uma raça impressionante e que se tornou ídolo de Marcel e Oscar Schmidt, por exemplo.

Integrou a seleção na campanha vitoriosa do bicampeonato mundial de 1963 e ganhou a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio/64. Em clubes, foi ídolo no Corinthians, Sírio, Palmeiras e Tênis Clube de São José dos Campos, onde encerrou a carreira. Defendeu ainda o Sprungen, da Itália.

Tive a sorte de entrevista Ubiratan apenas uma vez. Foi em 1997, quando ele participou da cerimônia de lançamento do centro de excelência Rexona, em Curitiba, destinado à formação de novos talentos de vôlei e basquete. Seu nome acabava de ser indicado pela segunda vez ao Hall da Fama, mas ele não se mostrava preocupado com o resultado da votação. Para Bira, o mais importante era o quanto ele ainda tinha o que contribuir para o crescimento do basquete brasileiro.

Agora, Bira entrou de vez para a história.

Os feitos de Ubiratan Maciel

Jogos Olímpicos

Medalha de bronze em Tóquio (Japão - 1964)
4º lugar na Cidade do México (México - 1968)
7º lugar em Munique (Alemanha - 1972)

Torneio Pré-Olímpico

4º lugar (Canadá - 1976)

Campeonato Mundial

Campeão (Brasil - 1963)
Medalha de bronze (Uruguai - 1967)
Medalha de prata (Iugoslávia - 1970)
6º lugar (Porto Rico - 1974)
Medalha de bronze (Filipinas - 1978)

Jogos Pan-Americanos

Medalha de prata em São Paulo (Brasil - 1963)
Medalha de bronze na Cidade do México (México - 1975)
Medalha de bronze em San Juan (Porto Rico - 1979)

Campeonato Sul-Americano

Campeão (Peru – 1963)
Campeão (Paraguai – 1968)
Campeão (Colômbia – 1973)
Vice-campeão (Colômbia - 1976)
Campeão (Chile - 1977)

Pelos clubes:
- Taça Brasil
. Campeão (1965, 1966, 1969, 1977 e 1980)
- Campeonato Paulista
. Campeão (1963, 1964, 1965, 1968, 1969, 1973, 1974, 1975, 1976, 1980 e 1981)

Foto: Divulgação/CBB

Os 80 anos da Copa do Mundo (14)

A história das Copas do Mundo foi escrita nestes 80 anos por grandes equipes, craques inesquecíveis, jogos memoráveis. Mas as oito décadas de Mundiais também foram marcadas por grandes babas. E estas porcarias futebolísticas entraram no livro dos recordes pela pior forma possível, integrando a lista das maiores goleadas das Copas. Como este Iugoslávia 9 x 0 Zaire, na Copa da Alemanha, de 1974:




Abaixo, as maiores goleadas na história das Copas do Mundo:


15/6/1982 - Hungria 10 x 1 El Salvador
17/6/1954 - Hungria 9 x 0 Coreia do Sul
18/6/1974 - Iugoslávia 9 x 0 Zaire
12/6/1938 - Suécia 8 x 0 Cuba
2/7/1950 - Uruguai 8 x 0 Bolívia
1/6/2002 - Alemanha 8 x 0 Arábia Saudita
19/6/1954 - Uruguai 7 x 0 Escócia
20/6/1954 - Turquia 7 x 0 Coreia do Sul
19/6/1974 - Polônia 7 x 0 Haiti
27/5/1934 - Itália 7 x 1 EUA
9/7/1950 - Brasil 7 x 1 Suécia

domingo, 4 de abril de 2010

Os 80 anos da Copa do Mundo (13)

Just Fontaine, o maior artilheiro individual numa Copa do Mundo, com 13 gols...o azar dele foi ter jogado na mesma época de uns caras chamados Pelé, Garrincha, Didi, Zito....


Os cartazes da Copa do Mundo:
Argentina-1978 e Espanha-1982



Argentina - 1978



Espanha - 1982
A seção "Os cartazes das Copas do Mundo" será publicada aos domingos, até o dia 2/05

sábado, 3 de abril de 2010

Os 80 anos da Copa do Mundo (12)

Sem dúvida, este gol de Diego Maradona está entre os mais belos da história do futebol, o que dirá então da história das Copas. Mas se tem algo inesquecível no vídeo abaixo é a narração de Victor Hugo Morales.

"Diegol, Diegol, Diego Armando Maradona, gracias, Dios, por el fútbol, por Maradona, por estas lágrimas, por este Argentina 2 x Inglaterra 0."


Sensacional!




Bate-boca entre corintianos
e são-paulinos não tem fim

“Vejo isso como uma tentativa de aproveitamento. O Corinthians vem fora da zona de classificação, já esteve dentro e nunca falamos sobre falta de lisura. Acho que a passagem pelo México deu uma embaralhada nas ideias do pessoal”

Mano Menezes, técnico do Corinthians, ao comentar as insinuações do presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, de faltaria "lisura" da Federação Paulista de Futebol na reta final do Paulistão, para prejudicar a classificação do Tricolor para as finais do torneio.

O baú das Copas (5)

Copa do Mundo da Suíça - 1954

Período de disputa: 16/6 a 4/7/54
Cidades-sede: Basileia, Berna, Genebra, Lausane, Lugano e Zurique
Estádios utilizados: La Pontaise (Lausane), Les Charmilles (Genebra), Sportzplatz Hardturm (Zurique), Wankdorf Stadion (Berna), St. Jakob Stadion (Basileia) e Stadio Comunale di Cornaredo (Lugano)
Eliminatórias: 45 seleções inscritas, 36 seleções participantes
Países classificados: 14
Total de jogos: 26
Total de gols marcados: 140
Média de gols: 5,38 gols/jogo

1º gol da Copa: Milutinovic (Iugoslávia), aos 15min do jogo Iugoslávia 1 x 0 França
Último gol da Copa: Rahn (Alemanha Oc.), aos 84min do jogo Alemanha Ocidental 3 x 2 Hungria
Artilheiro: Kocsis (Hungria) - 11 gols
Melhor ataque: Hungria - 27 gols
Pior ataque: Coreia do Sul, Escócia e Tchecoslováquia - 0 gol

Melhor defesa: Iugoslávia e França - 3 gols
Pior defesa: Coreia do Sul - 16 gols
Total de público: 943.000 pessoas
Média: 36.269 pessoas/jogo
Jogador mais jovem da Copa: Tas Coskun (Turquia) - 19 anos e 41 dias
Jogador mais velho da Copa: Stanley Mattews (Inglaterra) - 39 anos e 141 dias


CLASSIFICAÇÃO FINAL:
  1. Alemanha Ocidental
  2. Hungria
  3. Áustria
  4. Uruguai
  5. Suíça
  6. BRASIL
  7. Inglaterra
  8. Iugoslávia
  9. França
  10. Turquia
  11. Itália
  12. Bélgica
  13. México
  14. Tchecoslováquia
  15. Escócia
  16. Coreia do Sul

Foto: A seleção da Alemanha Ocidental, perfilada antes da decisão da Copa do Mundo de 54, contra a Hungria
Crédito: Reprodução

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Os 80 anos da Copa do Mundo (11)

As dez maiores viradas da história das Copas do Mundo...É como dizem: de virada é mais gostoso!



A arriscada aposta de Cesar Cielo

Coluna Diário Esportivo, publicada na edição de 2 de abril do Diário de S. Paulo

Foi surpreendente, para dizer o mínimo, a decisão do nadador Cesar Cielo em assinar contrato até o final do ano para defender o Flamengo. Isso depois de ter recusado uma proposta milionária para nadar pelo Corinthians e ser uma das estrelas do Timão no ano do centenário. O motivo principal para esta escolha teria sido a credibilidade do projeto apresentado pela presidente do clube rubro-negro, Patrícia Amorim, que foi uma das principais nadadoras do Brasil.

Talvez nunca iremos descobrir o que levou Cielo a optar pelo time carioca. Comenta-se que ele abriu mão de ganhar R$ 130 mil no Timão para receber cerca de R$ 50 mil no Flamengo. E o mês na Gávea, todo mundo sabe, costuma ter mais do que os 30 dias da folhinha.

Já são famosos os casos de atrasos no pagamento de salário das equipes olímpicas flamenguistas, como o time masculino de basquete e dos integrantes da ginástica artística. Mesmo com todo este “currículo” pouco recomendável, Cielo ainda assim optou em defender o Flamengo.

O fato é que não é o dinheiro que motiva Cesar Cielo a encarar a aventura no Rubro-negro. O campeão mundial dos 50m e 100m livre encontrará em Patrícia Amorim alguém em condições de dialogar com ele no mesmo nível. Se no Timão Cielo teria que dividir o seu tempo entre as piscinas e as gravações de vários comerciais (fundamentais para completar o seu polpudo salário), no Flamengo sua única preocupação será treinar. Agora, se irá receber no fim do mês, é outra história.

A coluna Diário Esportivo, assinada por este blogueiro, é publicada às sextas-feiras no Diário de S. Paulo

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Taça das Bolinhas, capítulo final

E garante o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, que está perto de ser solucionado o maior mistério da história do futebol mundial: quem ficará com a taça das bolinhas, apelido dado ao troféu que premiava os campeões brasileiros.

"Já encomendei ao departamento jurídico um estudo para dar um destino definitivo para a Taça das Bolinhas, Eles é que darão o parecer", disse Teixeira, em uma solenidade na Câmara dos Vereadores do Rio, na última quarta-feira.

Será uma decisão no mínimo polêmica. Sim, porque dizia o regulamento da CBF na época em que a tal taça estava em disputa que ela seria entregue definitivamente ao clube que ganhasse o Campeonato Brasileiro três vezes consecutivas ou cinco alternadas.

Ao vencer o Brasileiro de 1992, o Flamengo reivindicou para si a posse da taça. O problema é que neste meio tempo o clube ganhou a Copa União de 1987, competição que jamais foi reconhecida pela CBF.

Só que em 2007, o São Paulo conquistava seu quinto título nacional (já havia sido campeão em 1977, 1986, 1991 e 2006) e resolveu pedir a posse da taça. Aliás, logo depois de ser campeão brasileiro no ano passado, fiz um post a respeito do tema (leia aqui)

Agora, se a CBF, até para espezinhar o São Paulo, resolver dar a taça ao Flamengo, terá que voltar atrás numa questão que inclusive teve decisão na Justiça, a favor do Sport Recife, oficialmente o campeão brasileiro de 1987.

Mas que roubada, Ricardo Teixeira!

Related Posts with Thumbnails